Carros

Toyota russa antecipa rumos do Corolla no Brasil; assista e conheça

Leonardo Felix

Do UOL, em São Paulo (SP)

O facelift de meia-vida para a 11ª geração do Toyota Corolla já começou a sair do forno. Programado para começar a ser vendido na Europa entre o fim deste ano e início de 2017, o modelo apareceu ao vivo pela primeira vez em apresentação ao mercado russo, no fim da semana passada.

Conforme antecipado por UOL Carros em março, o sedã reestilizado só deve aparecer no mercado brasileiro em meados do ano que vem, e isso significa que nem mesmo uma amostra antecipada no Salão de São Paulo, em novembro, está nos planos da marca.

Motivo para tanta espera está no abismo que o best seller da fabricante criou sobre os concorrentes desde a chegada da atual geração: entre janeiro e março de 2016, para se ter uma ideia, o Corolla vendeu 26.475 unidades, número maior que o de todos os seus concorrentes somados.

Honda Civic, Nissan Sentra, Chevrolet Cruze, Volkswagen Jetta, Renault Fluence, Citroën C4 Lounge, Ford Focus Sedan, Fiat Linea, Kia Cerato, Mitsubishi Lancer, Peugeot 408 e JAC J5 foram responsáveis, juntos, por 25.860 emplacamentos.

Se em time que está ganhando não se mexe, a Toyota quer surfar o máximo possível na onda desta goleada sem precisar se mexer -- o que significa investir. 

Como ficou

As primeiras imagens físicas do novo Corolla confirmam a impressão deixada pelos desenhos de estúdio já divulgados. O três-volumes teve visual levemente modificado na dianteira: para-choque musculoso e com secções mais incisivas; faróis mais afilados (especialmente nas pontas internas) e que invadem a grade, esta menor e predominada por divisórias cromadas.

Embora pontuais, as mudanças deixaram o aspecto visual um pouco mais jovem. Não há alterações no desenho das laterais ou traseira.

Por dentro também foram feitos retoques a fim de deixar o ambiente menos "tiozão". A tela digital centralizada do quadro de instrumentos continua com as mesmas 4,2 polegadas, porém agora com gráficos coloridos. A central multimídia foi atualizada para a segunda geração do sistema Toyota Touch, passando de 6,1 para 7 polegadas, e ainda ganhou contornos em preto piano.

Volante recebeu novo acabamento no aro inferior e número maior de comandos multifuncionais. Entretanto, o desenho básico do painel continua igual e um tanto defasado, especialmente em relação às saídas de ar centrais e ao tradicional (porém obsoleto) relógio digital. 

Artemachkasov.com
Acabamento em preto piano, central multimídia maior e cluster digital colorido tentam dar ar mais jovem à cabine, mas não adianta: desenho do painel continua envelhecido Imagem: Artemachkasov.com

Atrás da concorrência

Seria uma boa para a divisão brasileira da Toyota seguir o caminho que a Rússia adotou. Por lá o sedã médio foi incrementado com: ar-condicionado automático de duas zonas, sensores traseiros de estacionamento, vidros elétricos com função um-toque em todas as posições, reforços no isolamento acústico e suspensões retrabalhadas, o que aumentou a altura livre do solo em 1,5 cm.

É provável que o pacote do Corolla brasileiro receba boa parte desses recheios, especialmente porque as novas gerações de Cruze e principalmente do rival conterrâneo Civic estão chegando para elevar o patamar tecnológico do segmento. O item mais importante a estrear na configuração nacional do três-volumes reestilizado será o controle de estabilidade.

No restante do mercado europeu haverá ainda as estreias de rodas de liga leve aro 17, frenagem emergencial, assistente de manutenção de faixa e acendimento automático de luz alta. Não há confirmação quanto a esses equipamentos, mas seriam elementos capazes de enfim equiparar o Corolla com seus mais avançados concorrentes.

Trens-de-força não devem mudar: 1.8 ou 2.0 flex, de 144 e 154 cv (etanol), respectivamente, acoplados a transmissão manual de cinco marchas ou CVT (continuamente variável). 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo