Topo

Salão de São Paulo

Fiat Fastback é SUV da Toro; marca vai investir R$ 8 bilhões até 2023

Vitor Matsubara, Leonardo Felix

Do UOL, em São Paulo (SP)

06/11/2018 10h25

Marca também exibe no Salão de SP versões esportivas de Argo e Cronos

A Fiat ainda não mergulhou de cabeça na onda dos SUVs. Porém, a marca sinalizou no Salão de São Paulo 2018 que isso acontecerá logo. O primeiro sinal disso é o Fastback. O outro é um exemplar do 500X, "primo" do Jeep Renegade, que vai testar a adesão do público à ideia.

Vamos falar do Fastback: conceito é um SUV "acupezado" com traços e porte de Toro. A Fiat não fala se o veículo será produzido, mas a tendência é que o protótipo inspire um modelo de série com lançamento previsto para 2020.

Veja mais

+ GM dá preço para o carro elétrico: Bolt parte de R$ 175 mil
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe

Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Adiantando nova cara da Toro

Se for mantido o estilão de "SUV-cupê" em sua versão de produção, chegará na medida para brigar com o Renault Arkana, outro modelo que deve povoar esse ainda inabitado segmento de utilitários acupezados feitos por marcas generalistas. Vai ser um repeteco da briga "Duster Oroch x Toro", mas saindo do segmento de picapes para o filão dos utilitários urbanos.

Apesar de lembrar bastante a Toro na parte dianteira, o Fastback traz elementos que propõem uma evolução visual em relação à picape. Ou seja, indica também como pode ser o primeiro facelift da picape, em mais dois anos.  

O conjunto óptico dianteiro segue dividido em três andares, mas a porção intermediária está mais afilada e integrada por um chamativo anel cromado que atravessa toda a grade. Outro destaque vai para o logotipo aplicado à grade dianteira, que agora traz as quatro letras do nome da marca dispostas individualmente, sem um emblema. Tal padrão já tem sido visto em modelos da montadora, porém apenas na parte traseira.

Vitor Matsubara/UOL
Fiat Fastback: traseira é a parte mais bonita do protótipo Imagem: Vitor Matsubara/UOL

Lembra o BMW X4

Já a carroceria com caimento de teto em direção a uma ampla porta traseira -- daí o nome "Fastback" -- lembra demais tendência já usada por marcas de luxo: a BMW implementou isso com Série 3 GT, depois X6 e mais recentemente X4. Esse último, aliás, deve ser uma inspiração de porte tanto para Renault Askana, quanto para o modelo da Fiat.

Todos os traços parecem tentar torná-lo mais horizontal e musculoso. E talvez não tão alto quanto a Toro. Traseira é mais limpa e harmoniosa, destacando a tampa do porta-malas em relação ao para-choque. A tinta prata fosca remete a alumínio escovado e lembra a pintura mais popular entre carros da Tesla.

Maxim Shemetov/Reuters
Arkana promete rivalizar com Fastback, assim como Duster Oroch brigou com Toro na chegada das duas picapes Imagem: Maxim Shemetov/Reuters

Abrindo os cofres

A Fiat aproveitou a coletiva desta terça-feira (6) para anunciar um investimento de R$ 8 bilhões até 2023, período no qual haverá 15 lançamentos, entre novos modelos, motorizações e soluções de conectividade.

"Vamos fazer da marca Fiat a marca mais ousada do Brasil e da América Latina", afirmou Antonio Filosa, CEO do FCA Group Brasil.

A marca também preparou dois estudos esportivos baseados nos compactos Argo e Cronos. O Argo Sting tem visual com ar de Punto T-Jet, reforçado pelas molduras plásticas nos para-lamas e a chamativa pintura amarela. Já o Cronos Sport foi pintado de vermelho e se destaca por um nada discreto aerofólio traseiro.

Entre os novos produtos estará certamente a versão de produção do Fastback, além de um SUV compacto derivado do Argo -- ou mesmo o 500X de produção local, novas gerações de Strada e Uno e a esperada família Firefly 1.0 e 1.3 turbo.

Mais Salão de São Paulo