Topo

Segredos automotivos

Conheça o misterioso "SUV-cupê" que a Renault prepara para peitar o Compass

Divulgação
Mais moderno entre os Renault vendidos no Brasil em termos de visual, Renault Captur dá bons indícios de como será a cara do futuro crossover Imagem: Divulgação

Leonardo Felix

Do UOL, em São Paulo (SP)

27/03/2018 04h00

Chamado internamente de "LJC", projeto será lançado em 2020 e nascerá da mesma matriz de plataformas do Kwid

Muito se falou sobre um SUV do porte do Jeep Compass que a Renault estaria desenvolvendo para mercados como Brasil, Rússia e China. As especulações começaram em outubro do ano passado, quando imagens de uma aparente apresentação interna feita pela fabricante vazaram e deram as primeiras pistas desse carro.

Não tardou para que os rumores chegassem ao Brasil, embora praticamente transformados em desencontro de informações. Até mesmo o Kadjar foi cotado para ser tal produto.

No início deste mês o presidente da Renault no Brasil, Luiz Fernando Pedrucci, neutralizou parte dos burburinhos ao afirmar que, sim, o projeto existe, mas não, não é o Kadjar. E declarou que o modelo "está apenas em estudo" para o mercado brasileiro.

Veja mais

+ Governo "empaca" planos da Renault; veja quais
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe

Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Projeto LJC

UOL Carros conseguiu desvendar algumas informações sobre esse misterioso produto, que na verdade não é um mero estudo nem surgiu tão recentemente assim. Fontes consultadas pela reportagem asseguram que ele vem sendo trabalhado pela equipe local de engenharia há aproximadamente dois anos.

Sua sigla interna é LJC e não se trata propriamente de um SUV, mas sim de um "SUV-cupê" -- crossover que mescla os dois estilos -- de cinco lugares aos moldes de um BMW X4. Comprimento deve ser um pouco maior que o do Captur, ficando próximo justamente aos 4,41 metros do Compass.

Tal qual exposto pela apresentação vazada no fim de 2017, o modelo deve utilizar uma derivação esticada da plataforma modular CMF, a mesma que dá origem ao subcompacto Kwid. Só que, enquanto o Kwid utiliza a matriz CMF-A, voltada a subcompactos, o "SUV-cupê" será construído a partir da CMF-B, intermediária em dimensões e qualidade dos materiais de carroceria. Será, inclusive, o primeiro produto a nascer dessa especificação da matriz modular.

Na Europa já há diversos modelos da aliança Renault-Nissan feitos sobre a base CMF-C/D, ainda maior e mais avançada. É uma lógica similar à da base MQB da Volkswagen, embora no caso dos alemães todos os modelos sigam um padrão muito mais homogêneo de qualidade dos chassis.

Ligeiramente maior do que Duster e Captur, o projeto LJC está sendo preparado para brigar no cada vez mais aquecido segmento do Compass flex, na faixa de R$ 100 mil a R$ 150 mil. Seu grande trunfo será justamente o apelo "acupezado" da carroceria, tendência que já se mostrou bem-sucedida entre as marcas de luxo e que agora, ao que parece, começará a ser adotada por fabricantes generalistas.

Produção, muito provavelmente, ocorrerá em São José dos Pinhais (PR). Lançamento no Brasil não ocorrerá antes de 2020. Nesse sentido o mercado russo estará adiantado, já que o misterioso crossover deve aparecer no Salão de Moscou deste ano, em agosto, e ganhar as ruas em meados de 2019.

Fontes consultadas pela nossa reportagem afirmam que o LJC terá visual padronizado em todos os mercados onde for lançado, porém com "soluções específicas" para cada país. Aqui estamos falando de motorização. No caso do Brasil, deve ser utilizado o futuro motor 2.0 4-cilindros da família SCe, que estreará junto com a nova geração do Duster. Câmbio será CVT e tração, dianteira.

Nome definitivo é um mistério guardado a sete chaves, mas foi intrigante à nossa reportagem o fato de a Renault ter registrado no segundo semestre do ano passado a marca "Arkana" tanto no instituto de patentes industriais do Brasil quanto da França. Se será essa a escolha, precisaremos esperar para ver.

Reprodução
Imagem que vazou de apresentação feita pela Renault em outubro do ano passado denuncia se tratar de um SUV "C", justamente o segmento do Compass, voltado a mercados como Rússia, China, Coreia do Sul e... Brasil. Ingrediente "cupê" dará toque especial à receita Imagem: Reprodução

O que vem antes

Até a chegada do projeto LJC a Renault fará outros importantes lançamentos no Brasil. Ainda este ano chega a picape média Alaskan, baseada na nova Nissan Frontier.

No primeiro semestre de 2019 chegam as reestilizações de Sandero e Logan, com nova frente e lanternas traseiras horizontais ao estilo Fiat Argo e Hyundai  HB20. Na segunda metade do próximo ano será a vez do novo Duster, com pompas de nova geração, embora seja montado sobre uma atualização da matriz B0.

Em fila de espera continua o "suvão" Koleos, que depende das definições do Rota do 2030 para enfim começar a ser importado, se é que será mesmo vendido por aqui.

Mande flagras por e-mail ou no nosso novo WhatsApp

Se você fotografar ou filmar um carro diferente e/ou camuflado, envie para UOL Carros, com seu nome completo, RG e/ou CPF, telefone, cidade de residência e local do flagra. A critério da Redação, elas podem ser publicadas, sempre com o devido crédito ao autor. Não há remuneração.

UOL Carros também usa o WhatsApp como forma de receber suas imagens: basta adicionar o +55 11 9-7670-4028. Segue válida a forma por e-mail uolcarros@uol.com.br.

Avaliação: como o excêntrico elétrico Twizy se sai no trânsito pesado de SP?

UOL Carros

Mais Segredos automotivos