Carros

Uno 2015 se nivela a Ka, up! e HB20; saiba como anda o Evolution

André Deliberato

Do UOL, em Buenos Aires (São Paulo)

04/09/2014 20h48Atualizada em 04/09/2014 21h00

A Fiat melhorou o Uno 2015, que há anos figura no topo da lista de carros mais vendidos do país, ainda que tenha perdido o posto de "número 1" da marca para o Palio. E melhorou a ponto de deixá-lo no mesmo nível de rivais poderosos como o novo Ford Ka e Hyundai HB20 -- de longe, os dois melhores compactos do mercado. E também do Volkswagen up!, rival direto do Uno entre os subcompactos, e referência até para os dois modelos anteriores em termos de segurança e eficiência.

A renovação deve fazer com que o carro retome a briga pela liderança com o Volkswagen Gol -- e serve também para mostrar como uma fabricante pode melhorar um veículo sem que seja necessária a troca de geração. Mas no que o Uno melhorou?

Depois de falar de versões, preços e expectativas mercadológicas do novo modelo, UOL Carros decidiu experimentar a configuração Evolution 1.4, a mais instigante da nova linha por trazer de série o sistema star/stop, que desliga o motor em paradas rápidas para economizar combustível. Antes de falar sobre essa característica técnica, vamos explicar o pacote.

O preço de R$ 34.990 parece interessante se lembrarmos que o carro já traz de série itens como direção hidráulica, computador de bordo, display digital em TFT no painel de instrumentos (inédito no modelo), vidros elétricos dianteiros e travas elétricas; volante com regulagem de altura e rádio CD/MP3-Player com entrada USB, além dos obrigatórios freios ABS e airbags dianteiros.

Fica pesado, no entanto, caso o comprador acrescente um item importante, mas que é opcional por aqui: o ar-condicionado está no pacote extra Kit Creative 1, de R$ 3.200, junto a faróis de neblina e parabrisa degradê. Com ele, o preço sobe para R$ 38.190.

Vale lembrar que o Ka SE 1.0 custa R$ 35.390 já com ar, direção elétrica e Bluetooth -- só R$ 400 mais caro que o Uno Evolution básico. Até o March 1.0, que tem ar e direção por R$ 32.990, é um forte rival. Ambos, Ford e Nissan, têm motores menores e tão econômicos e fortes quanto o do Uno (ou seja, mais eficientes).

Arte UOL Carros/Divulgação
De perto é possível notar as mudanças: novo parachoque e faróis maiores Imagem: Arte UOL Carros/Divulgação
POR FORA, MUDANÇAS PONTUAIS
Visualmente, o novo Uno mudou pouco por fora, tanto que as diferenças só podem ser claramente percebidas se o carro for visto de perto -- de longe, apenas as lanternas traseiras são facilmente reconhecidas como novas.

Os para-choques dianteiro e traseiro são novos, assim como os faróis dianteiros (maiores) e o contorno dos faróis de neblina. O tamanho do carro é o mesmo: 3,81 metros de comprimento, 1,64 m de largura, 1,48 m de altura e 2,38 m de entre-eixos.

Arte UOL Carros/Divulgação
Atrás, as mudanças estão no parachoque e no conceito das lanternas Imagem: Arte UOL Carros/Divulgação
POR DENTRO, MUDANÇAS PROFUNDAS
O interior do Uno 2015 é complemente diferente do anterior, muito mais moderno, bem acabado e desenhado. A qualidade dos materiais pode ser tranquilamente comparada à do Punto, hatch posicionado dois andares acima na gama de modelos Fiat (entre eles ainda existe o Palio).

O pequeno display de TFT no interior do velocímetro agrada: ele reúne todas as informações do computador de bordo de forma simples e direta, além de contar com indicador de marcha engatada, importante sobretudo para as versões com câmbio Dualogic.

Obviamente, espaço traseiro e porta-malas não são seus pontos fortes -- lembre-se, estamos falando de um subcompacto. Suspensões, freios e a pegada do carro são os mesmos do modelo anterior, já que praticamente não mudaram. A posição de guiar um pouco mais elevada, comum em modelos menores da Fiat, segue incomodando quem tem mais de 1,80 metro.

Arte UOL Carros/Divulgação
Na parte de dentro estão as maiores mudanças: tudo novo na linha 2015 Imagem: Arte UOL Carros/Divulgação
MOTOR VELHO, TECNOLOGIA NOVA
A versão Evolution poderia ser muito melhor se rodasse com um motor mais novo -- um três-cilindros (que a Fiat já afirmou continuar em desenvolvimento), por exemplo, encaixaria perfeitamente.

Não que o 1.4 Evo flex (88 cavalos e 12,5 kgfm de torque com etanol; 85 cv e 12,4 kgfm com gasolina) seja ruim, mas atualmente é possível extrair muito mais potência e torque de um propulsor desse tamanho. O Ka, já citado, rende 85 cv de potência com motor tricilíndrico de 1 litro.

A própria Fiat possui na Europa motores de dois cilindros mais fortes e econômicos que os da família Evo. Dessa forma, um carro que já consegue ser econômico nesta configuração (registramos 17,8 km/litro de gasolina em circuito urbano, mas sem trânsito) poderia dar passos largos rumo ao topo da cadeia de veículos abstêmios no Brasil, hoje em dia liderada por híbridos.

DESLIGA E LIGA
O Uno já possui nota A no programa de etiquetagem do Inmetro, mas isso pode ser ampliado. E o sistema start-stop possui extrema importância para a ambição da Fiat. Ele funciona como em carros importados, mas é a primeira vez que a tecnologia chega a um carro nacional e desta categoria: desliga em paradas rápidas (como faróis), sempre que o motorista coloque o carro em ponto morto.

O ar-condicionado mantém o carro refrigerado durante a pausa, mas religa o motor caso o carro continue parado após 1 minuto. Com a climatização desligada, o carro pode permanecer desligado por até até 3 minutos, antes da retomada automática. Antes disso, qualquer toque na embreagem ou movimento do carro também desperta o motor.

Quem não tem o costume de desengatar o carro -- ou prefere deixá-lo em primeira marcha para arrancar mais rápido -- vai mudar de hábito: com o sistema desativado, o consumo no computador de bordo caiu para 14,4 km/l, 19% a menos. Como a própria Fiat afirma, cerca de 20% de melhora na economia de combustível representa um tanque a menos para quem utiliza cinco por mês.

Nenhum outro start-stop chega perto disso (a maioria, aliás, não passa de 10% de eficiência). É muita diferença -- que, repetimos, poderia ser melhor caso o motor fosse moderno.

MORREU?
É estranho se acostumar o desliga-liga do motor se você nunca dirigiu um carro com esta tecnologia -- o conjunto exige certa adaptação, já que no começo a sensação é de que o carro morre a cada parada. Isso de fato ocorreu, mas você não precisará religá-lo na chave -- é tudo automático.

Justamente por isso, a Fiat deve fazer (e afirma que fará) um trabalho forte junto aos concessionárias para que estes expliquem aos clientes como funciona (e como se usa corretamente) o conjunto. Além disso, se o motorista não quiser usá-lo, pode usar um botão no console para desativar a função.

UOL Carros promete testar o Uno Evolution em território brasileiro e com etanol no tanque em breve.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo