Topo

Testes e lançamentos


Novo BMW Série 3 é "ser vivo" que fala português, anda só e... tem 4 rodas

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em Mogi-Guaçu (SP)

2019-03-18T07:00:00

18/03/2019 07h00

Sim, é um exagero gigante, mas os executivos da BMW do Brasil quiseram de fato "causar" ao lançar esta nova atualização de seu carro mais importante, o BMW Série 3. Falaram que o carro é um "ser vivo", que é um "celular sobre rodas" e trataram de falar e explicar não (só) de chassis, carroceria, motor e câmbio, mas de "hardware" e "software".

Tudo porque o modelo 2019 (que corresponde à oitava geração, série G20) não apenas cresceu em porte e em conforto. O sedã médio que chega agora no dia 28 de março às lojas de todo o Brasil promete redefinir, de fato, o segmento de luxo por trazer tecnologia de inteligência artificial, conectividade em nuvem e assistência de condução semi-autônoma entre seus equipamentos -- como UOL Carros explica no vídeo-teaser que abre esta reportagem.

Importado de Regensberg (Alemanha), tem valores que já estavam sendo praticados em esquema de pré-venda desde fevereiro. A configuração 330i Sport, um pouco mais "raiz", custa R$ 219.950. Já o 330i M Sport entrega todos os avanços citados por R$ 269.950. Ambos começam a ser fabricados em Araquari (SC) em junho.

Maior, ao infinito e além

Não vamos desanimar os puristas de cara, vamos dar as especificações técnicas: o BMW 330i cresceu bem e tem dimensões que batem com um Série 5 de duas gerações atrás. São 4,71 m de para-choque a para-choque, com largura de 1,83 m e entre-eixos de 2,85 m. Apesar do maior entre-eixos, bitolas ampliadas deixam o modelo ainda mais centrado, ligeiro e gostoso de guiar.

Falando em dirigir, este novo Série 3 usa uma evolução do motor 2.0 turbo de quatro cilindros da série 28i (B48): além de melhorias de construção, gera 258 cv de potência e 40,8 kgfm de torque a 1.500 rpm. O câmbio automático de oito marcas também foi aprimorado pela ZF. Rodas são de 19 polegadas, calçadas com pneus "run flat", mas o Brasil conta com estepe no porta-malas... porque sim ("o consumidor exige", segundo a marca, "por conta de nosso asfalto, ainda que tire 155 dos 480 litros").

Mas é óbvio que a BMW só vai querer falar da tecnologia que faz do Série 3 o modelo mais avançado de sua categoria e mesmo que os carros da categoria acima. A estrela de tudo é o sistema de inteligência artificial conectado em nuvem com sinal interno 4G para dados (segundo a marca, feito para transmissão exclusiva, com criptografia de banco, sem ligação com redes externas).

Chamado pela marca de IPA (parece cerveja, mas é o "Assistente Pessoal Inteligente" em inglês), essa "alma virtual" entende português do Brasil, tem capacidade de "aprender" (processando e analisando dados de acordo com os padrões de uso do motorista e até outros três usuários) e consegue escutar, responder e auxiliar o ocupante do Série 3 em questões sobre ajustes do carro, trânsito em tempo real, clima, notícias, música... e qualquer coisa que futuras atualizações permitirem. Essas atualizações serão feitas nos moldes do smartphone no seu bolso -- ou dos carros da Tesla: automaticamente, usando ondas da rede de dados 4G.

Em "beta test" (teste preliminar) desde outubro, o IPA será lançado assim mesmo, porque não vai parar de aprender nunca, segundo executivos e engenheiros da marca. O objetivo é que o sistema entenda o jeito de ser do motorista brasileiro e até as falas e sotaques regionais. A fabricante espera ter ao menos quatro grandes atualizações ao ano e mais upgrades menores para mapas, aplicativos secundários ou nuances de ajuste.

Uma grande mudança a ser feita no futuro, por exemplo, será a possibilidade de destravar e até definir ajustes do carro usando o celular e dispensando a chave inteligente. Esta função, no entanto, será paga, como num plano de Netflix, por exemplo. Aliás, a conexão de celular já existe para, por exemplo, usar as câmeras de 360 graus do Série 3 para saber se está tudo bem ao redor do carro, antes que o motorista se desloque para onde ele está estacionado.

Murilo Góes/UOL
Câmera que monitora constantemente atenção do motorista do BMW 330i M Sport Imagem: Murilo Góes/UOL

De olho em você

Além do sistema de 360 graus (que usa quatro câmeras de ângulo aberto), o Série 3 conta ainda com outras três câmeras, mais sensores e radar para ativar o sistema semi-autônomo (nível 2), que acelera, freia e mantém o carro na faixa seguindo ajustes feitos pelo motorista. Mas ele difere do que outras marcas fazem por contar com um sétima câmera no interior.

Essa outra câmera está no topo do painel de instrumentos digital (sim, até isso mudou) e enxerga o motorista o tempo todo. Calma: de acordo com Henrique Miranda, responsável pelo gerenciamento de Tecnologia e de Carros Elétricos da BMW do Brasil, essa câmera só monitora ("Não grava, nem transmite") o rosto do condutor, para medir suas reações, distrações ou sonolência. Assim, o carro sabe se o cara atrás do volante está de fato olhando para a pista ou prestando mais atenção ao celular, por exemplo. Alertas visuais, sonoros ou um tremor de volante servem para "trazer de volta" o condutor, mas o sistema pode também interferir no sistema semi-autônomo, para que o motorista tenha "menos folga" e tenha de voltar a dirigir como seus avós e pais faziam.

Novamente, a BMW fala em ajustes e atualizações progressivas, mas o principal aqui é garantir que o sistema, além de seguro em termos de privacidade, seja à prova de hackers. Segundo os engenheiros, mesmo que uma improvável invasão ocorra (novamente, o sistema de inteligência artificial não faz parte da internet tradicional, mas de uma rede privada da BMW) , motor e câmbio do Série 3, por exemplo, funcionam de forma totalmente independente do sistema de comunicação.

Por fim (por enquanto, pois UOL Carros promete voltar a falar desse novo e admirável mundo automotivo), esse sistema todo permite livrar o dono do Série 3 2019 até mesmo das revisões periódicas. Segundo a engenharia da BMW, o novo Série 3 estará sempre monitorando a integridade das peças e sistemas e também o perfil de condução do usuário para, com isso, determinar o momento de agendar uma passada na assistência. "Será em um momento para você, talvez com 10 mil quilômetros para uma troca de óleo, mas em outro momento para alguém que tem uma tocada diferente", exemplifica Emílio Paganoni, da engenharia da marca.

Resta saber agora como os clientes endinheirados do Série 3 vão conviver este novo "pensador" sobre rodas. E como as rivais irão reagir. Os concorrentes rivais são o Mercedes Classe C (renovado em meio de ciclo), de R$ 188 mil a R$ 260 mil, além do Audi A4, R$ 193 mil a R$ 253 mil.

UOL Carros te lembra agora para rever nossa avaliação do 330i M Sport feita na pista de Portimão, em Portugal.

Ficha técnica

BMW 330i
Motor: 2.0, gasolina, turbo (Twinpower)
Potência: 258 cv, 5.000 - 6.500 rpm
Torque: 40,8 kgfm, 1.550 - 4400 rpm
Câmbio: automático, oito marchas
0-100 km/h: 5,8 s
Dimensões: 4,71 m de comprimento, 2,58 m de entre-eixos
Porta-malas: 480 litros (365 com estepe)

Preços: R$ 219.950 (330i Sport); R$ 269.950 (330i M Sport)

Testando o 330i M Sport em Portugal

UOL Carros

Mais Testes e lançamentos