Topo

Testes e lançamentos


Novo Renault Clio evolui e poderia até inspirar sucessor do Sandero

Do UOL, em São Paulo (SP)

30/01/2019 07h00

Quinta geração do hatch esbanja esportividade e tecnologia, bem diferente do modelo descontinuado no Brasil em 2017

Houve um tempo em que o Renault Clio era a última palavra de modernidade no segmento de compactos. Só que o tempo passou e a terceira geração do modelo -- a primeira e única produzida no Brasil -- foi aposentada após 20 longos anos. Na Europa, porém, a história é bem diferente: o Clio foi evoluindo e acaba de chegar à quinta geração mais moderno do que nunca.

Se o antigo Clio já enchia os olhos pelo design, agora o estilo ficou ainda mais atraente. A frente preserva a identidade visual da Renault, ressaltando o losango que identifica a marca francesa. O capô ganhou mais vincos e ficou mais incorpado, assim como o para-choque. No geral, ele não esconde a inspiração no Mégane, escancarada em detalhes como os faróis em formato de "C" estilizado com luzes de LEDs. A elegante traseira tem lanternas com formato que lembram vagamente o Fiat Argo.

O interior é um dos destaques do novo Clio, que traz uma central multimídia com tela vertical flutuante. Há outros requintes pouco usuais nos compactos vendidos aqui, mas cada vez mais comuns nos modelos europeus, como painel digital, partida do motor por botão e freio de estacionamento elétrico.

Menor e mais espaçoso

Curiosamente, o novo Clio é 1,4 cm mais curto e 3 milímetros mais baixo que seu antecessor -- uma exceção em uma indústria tão acostumada a ver carros cada vez maiores. Mesmo assim, a nova plataforma CMF-B permitiu aos engenheiros planejar o interior de forma mais inteligente para os passageiros, proporcionando maior espaço interno e um porta-malas 26 litros maior (391 litros).

E já que falamos em plataforma, vale mencionar que a base CMF-B foi desenhada para receber motorizações híbridas e elétricas. Como o próprio Grupo Renault prometeu lançar 8 modelos 100% elétricos e 12 veículos eletrificados até 2022, é de se esperar que o Clio seja um deles.

Para combinar com o design mais esportivo, o Clio ganhou uma versão RS Line em substituição à antiga GT Line. A receita é parecida com a do Sandero GT Line vendido no Brasil, incluindo para-choques mais invocados, spoiler, grade frontal exclusiva e rodas de liga leve -- de 17 polegadas no caso do Clio. Pelo menos serve como aperitivo enquanto o novo Clio RS não estreia no Velho Continente...

Vem pra cá?

Muito se especula sobre o lançamento do Clio no mercado brasileiro. Há quem diga, inclusive, que o hatch será vendido por aqui em uma versão simplificada para baratear custos. O objetivo seria claro: aposentar o já veterano Sandero, lançado em 2008.

Enquanto isso, a Renault ainda não revelou detalhes sobre motorizações e dados técnicos. Até agora, o que se sabe é que quem quiser conhecer o novo Clio de perto poderá fazê-lo durante o Salão de Genebra, em março.

Mais Testes e lançamentos