Topo

Carros elétricos

FCA confirma lançamento de Jeep Renegade híbrido plug-in para 2020

Do UOL, em São Paulo (SP)

08/10/2018 15h39

SUV deve ser um dos 30 modelos eletrificados oferecidos pela empresa até 2022

A FCA (Fiat Chrysler Automobile) revelou nesta segunda-feira (8) que o Jeep Renegade vai ganhar uma versão híbrida plug-in.

Em junho, a empresa afirmou que investiria 9 bilhões de euros (aproximadamente R$ 38,7 bilhões) no desenvolvimento de veículos híbridos e elétricos pelos próximos cinco anos. Além de pegar carona na onda de "eletrificação" que toma conta da indústria automobilística, a medida é uma forma da fabricante atender normas de emissões mais rígidas. A FCA também pretende interromper a produção de motores a diesel até 2021.

Antes disso, o Renegade híbrido está previsto para estrear em 2020. Ele será produzido na fábrica de Melfi, no sul da Itália, a mesma responsável pela produção do Fiat 500X e do Renegade com motor a combustão.

Veja mais

+ FCA promete 15 lançamentos no Brasil em cinco anos
+ Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
+ Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
+ Instagram oficial de UOL Carros
+ Siga UOL Carros no Twitter

A empresa estima gastos acima de 200 milhões de euros na motorização híbrida, afirmando ainda que precisará treinar seus funcionários e modernizar a fábrica para a nova tecnologia.

A meta da FCA é oferecer 12 motorizações "eletrificadas" até 2022 -- considerando tecnologias elétrica, híbrida plug-in e 100% híbridas. A promessa é que 30 modelos sejam equipados com uma ou mais destas opções de propulsão.

Grupo era anti-elétricos

Sergio Marchionne, CEO da FCA morto em julho, resistia à eletrificação dos veículos, afirmando que só venderia carros deste tipo se houvesse chance de lucro. Há alguns anos, o executivo chegou a afirmar que não queria que clientes comprassem o Fiat 500e (único modelo movido a bateria lançado pela FCA até aquele momento), porque estaria perdendo dinheiro a cada unidade vendida.

Entretanto, o sucesso da Tesla combinado à necessidade de atender normas de emissões de poluentes mais rígidas fez a FCA  abrir os cofres -- em uma de suas últimas declarações, o executivo chegou a afirmar que foi o investimento "mais dolorido" de sua carreira.

Esse novo plano estratégico para os próximos anos é tocado pelo sucessor de Marchionne, Mike Manley.

Mais Carros elétricos