Topo

Testes e lançamentos

Chevrolet Blazer 2019 é SUV feito no México; que tal importar pra cá, GM?

Do UOL, em São Paulo (SP)

22/06/2018 12h26

Modelo usa estrutura monobloco e se posiciona acima do Equinox

Muita gente torceu o nariz quando viu a grade frontal enorme do novo Chevrolet Camaro. Mas e se a peça fosse usada num modelo maior? Eis o Chevrolet Blazer 2019, SUV que retoma um nome aposentado globalmente em 2005 (no Brasil, o Blazer foi vendido até quase 2010) e jogará com a função de ser uma opção urbana, mas cheia de potência, tecnologia e... marra. Muita marra.

A General Motors mostrou o carro em ação na cidade de Atlanta (EUA), não deu muitas especificações, mas apontou que o SUV ocupará o espaço entre Equinox (cinco lugares) e Traverse (sete lugares) por lá. Será um modelo médio-grande (compacto-médio para eles) também de cinco lugares, só que mais largo e com mais espaço que o oferecido pelo Equinox.

Esqueça o padrão do Trailblazer, que deriva de picapes com sua estrutura sobre chassis. Esse Blazer terá estrutura monobloco (plataforma C1), para dar conforto aos ocupantes.

Mas o principal detalhe para os brasileiros é: será fabricado em Ramos Arizpe (onde também são feitos o Cruze norte-americano e o Sonic), no México, de onde poderia chegar sem encargos de importação. Que tal incluir este modelo na lista de 30 lançamentos, GM?

Veja mais

+ Teremos mais SUVs e Crossovers garante chefão da GM do Brasil
Avaliação: Bolt é o melhor carro da Chevrolet
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe

Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Tecnológico e forte

Se não há detalhes de dimensão, a GM destacou o estilo chamado "Bold" (forte, sólido em português), que agora domina as linhas da Chevrolet e cai muito bem para modelos maiores. A grade fininha integra o conjunto óptico super-fino totalmente em LED e que foi dispensado pela Fiat-Chrysler, mas surge com força por aqui. A bocona inferior é tomada por acabamento escurecido, deixando a té a gravatinha menos dourada e mais fumê. Na versão RS, essa tomada de ar usa formato de colmeia, trocada por frisos na versão Premier.   

Capacidade de carga total de 2.041 kg, facilidade para transportar trailers e carretilhas, rodonas aro 18, 20 e 21 disponíveis -- há muita impressão de força, ainda que o carro não seja um modelo de off-road típico. Mas a tração 4x2 padrão será complementada com seletor eletrônico de modos de direção que atuará sobre o sistema de estabilidade e tração, compensando a situação em pisos escorregadios. E haverá configuração  AWD (tração integral) nas versões mais caras.

Para movimentar o Blazer, câmbio automático de nove marchas (o mesmo do Equinox), casado com motor 4-cilindros, 2,5 litros da linha Ecotec, com 195 cv e 26 kgfm de torque; ou com o V6, 6 litros, 310 cv e 37,20 kgfm, sempre com injeção direta e start/stop e desativação de cilindros.

Letra total foi dada, de fato, sobre os mimos da cabine: interior ao estilo de Camaro, mas com acabamento mais bem executado e mais classudo; dois tons de couro; cinco bancos e volante aquecidos; até seis saídas USB; tela central sensível ao toque com oito polegadas; conexão 4G; projeção Android Auto e Apple Carplay; teto solar panorâmico elétrico duplo, além de climatização avançada da cabine e múltipla iluminação de LED. 

Lançamento fica para o começo de 2019 nos EUA, quando serão divulgados também os valores. Para nosso mercado, resta a torcida.

Divulgação
Cabine ao mesmo tempo estilosa, classuda e tecnológica do Blazer 2019 Imagem: Divulgação

Mais Testes e lançamentos