Topo

Testes e lançamentos

Toyota Yaris mistura Etios e Corolla para encarar turma de Polo e Argo

André Deliberato, Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em São Paulo e Sorocaba (SP)

07/06/2018 19h00

Bastará ter "padrão de qualidade Toyota"? Leia impressões

Com encomendas que têm início nesta quinta-feira (7) mesmo, produção em ritmo comercial a partir do próximo dia 15, e entregas a partir do dia 21 de junho, a Toyota apresenta seu compacto premium Yaris ao mercado brasileiro. Os preços "vazaram" nas redes sociais pela manhã, mas o lançamento oficial acontece nesta noite.

UOL Carros já viu o carro de perto e traz agora os principais detalhes sobre hatch e sedã. A meta da Toyota para ambos é, de certa forma, bastante ambiciosa: vender 6 mil carros por mês, sendo 60% hatch e 40% sedã (cerca de 3.600 hatches e 2.400 sedãs mensalmente). Se atingir o objetivo, poderá brigar em pouco tempo com a dupla Volkswagen Polo/Virtus pela liderança.

Mas será que Yaris hatch e Yaris sedã têm o que o comprador procura atualmente de um carro deste segmento?

Veja mais

+ Veja as estratégias de Toyota e BMW para serem "os melhores" na venda
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

O que cada versão tem

Vamos começar confirmando os preços e detalhando os detalhes de cada pacote à venda. É bom lembrar que, em nossa opinião, os valores não são tão bons quanto poderiam, na comparação com os rivais. Alguns dos comentários de nossos leitores, porém, já apontam que boa parte do público pode topar pagar de quase R$ 60 mil a R$ 80 mil por conta da "qualidade Toyota" atribuída aos modelos da marca.

Aos preços e versões, então:

+ Yaris Hatchback XL 1.3 MT/6: R$ 59.590
+ Yaris Sedan XL 1.5 MT/6: R$ 63.990

Na versão de entrada, o Yaris terá de série itens como ar-condicionado; direção elétrica progressiva; vidros elétricos dianteiros e traseiros com acionamento por um toque; alarme; travas elétricas, faróis com regulagem de altura por comando; faróis de neblina, retrovisor interno anti-ofuscante; computador de bordo com comandos no volante; descansa-braço dianteiro; controles eletrônicos de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa e os obrigatórios freios ABS (com distribuição eletrônica de frenagem) e airbag duplo.

Há um rádio simples, com conexão Bluetooth, e as rodas são sempre de liga leve aro 15, com pneus 185/60. Também vem com limpador e lavador do vidro traseiro.

+ Yaris Hatchback XL 1.3 CVT: R$ 65.590
+ Yaris Sedan XL 1.5 CVT: R$ 68.690

A versão XL com câmbio CVT adiciona dois itens ao pacote da primeira configuração: controlador automático de velocidade (piloto automático) e função Eco Driving no computador de bordo.

+ Yaris Hatchback XL Plus Tech 1.3 CVT: R$ 69.590
+ Yaris Sedan XL Plus Tech 1.5 CVT: R$ 73.990

A terceira configuração da gama do Yaris, chamada "XL Plus Tech", passa a contar com descansa-braços traseiro; detalhes internos na cor prata; ar-condicionado digital com função "automática"; chave inteligente presencial; sistema de partida por botão; banco traseiro rebatido tipo "40/60" (uma curiosidade: a maior divisão aparece no ponto atrás do condutor, não atrás do passageiro, como é padrão) e central multimídia com tela tátil de sete polegadas -- que inclui rádio, leitor de MP3, entrada USB, conexão via Bluetooth e sistema de espelhamento de aplicativos por meio da tecnologia SDL, com áudio da Harman e GPS Tom Tom.

+ Yaris Hatchback XS 1.5 CVT: R$ 74.590
+ Yaris Sedan XS 1.5 CVT: R$ 76.990

O Yaris XS agrega todos os equipamentos do XL Plus Tech e mais revestimento interno (bancos, painel das portas, manopla de câmbio e volante) em couro; grade com detalhes cromados; roda pintada em dois tons (preto e prata); retrovisor externo com rebatimento elétrico; câmera de ré, tapetes em carpete e tela digital de TFT de 4.2 polegadas no painel de instrumentos.

+ Yaris Hatchback XLS 1.5 CVT: R$ 77.590
+ Yaris Sedan XLS 1.5 CVT: R$ 79.990

A versão de topo adiciona ao pacote de equipamentos já citado o teto solar; sensor de chuva; maçanetas cromadas; lanternas em LED e mais cinco airbags, totalizando sete bolsas.

Serão oito cores disponíveis: branco "Polar" e vermelho "Super" (pinturas sólida), branco perolizado, cinza "Cosmopolita", prata "Lua Nova", prata "Premium", preto "Infinito" e a nova azul "Titã". São três anos de garantia, incluindo equipamentos da linha de acessórios genuínos da marca.

Corresponde às expectativas?

Questionado sobre quais serão os atributos do Yaris sobre as duplas rivais Polo/Virtus e Argo/Cronos, Miguel Fonseca, vice-presidente da Toyota do Brasil, foi enigmático, afirmando que o carro teria o fundamental para se dar bem no segmento: "Qualidade superior no carro é item fundamental para esse tipo de cliente. Tecnologia com conforto e segurança, dinâmica com eficiência e conectividade".

Internamente, o Yaris tem uma missão importantíssima para a Toyota, que é cobrir o buraco na linha entre Etios e Corolla. Com isso, segundo o executivo, a empresa pode "segurar clientes" que tinham Etios, mas ainda não conseguiam migrar para o Corolla, bem como "atrair novos compradores".

Na prática, o Yaris é tudo o que o Etios deveria ser desde que foi lançado no Brasil, mas nunca conseguiu por conta do projeto empobrecido. Tanto é assim que a Toyota vai matar as versões mais caras do Etios (Platinum), agora desnecessárias. De quebra, o Yaris herda algumas boas características do Corolla.

Motorização vem do Etios, mas recalibrada para ter mais força: o 1.3 flex de duplo comando de válvulas equipa só o hatch e rende 101 cv e 94 cv (etanol/gasolina) e 12,9/12,5 kgfm de torque (etanol/gasolina). Em comparação ao Etios, ganho de 3 cv e 0,2 kgfm com etanol e 6 cv com gasolina.

Já o 1.5 flex (também com duplo comando de válvulas) rende 110 cv e 105 cv (e/g) e 14,9/14,3 kgfm (e/g) -- neste caso, o ganho de potência foi de 3 cv e 0,5 kgfm de torque com etanol e de 3 cv com gasolina. Ele equipa as versões mais caras do hatch e todas do sedã.

No quesito câmbio, a Toyota afirma que o câmbio manual de seis marchas vem com um sistema chamado "IMT" (de Monitor Inteligente de Aceleração, em inglês), que atua para auxiliar o arranque e minimiza que o motor "morra" quando o motorista tira o pé da embreagem. De acordo com a empresa, os engates das marchas do Yaris também estão "mais precisos".

A transmissão Multidrive CVT é a mesma do Corolla, que simula sete marchas mesmo quando o motorista dirige com o câmbio na posição "Drive". Nas versões XL e XL Plus Tech, as trocas podem ser feitas pela alavanca; já nas configurações XS e XLS, elas podem ser praticadas por borboletas atrás dos volantes.

Segundo a Toyota, suspensão foi pensada para atender ao gosto brasileiro e tanto o sistema frontal quanto o traseiro tiveram altura elevada em 13 mm em comparação com o projeto global do Yaris. Na dianteira, usa McPherson com batente hidráulico; na traseira, eixo de torção com barra estabilizadora.

Em movimento, no curto teste que fizemos (prometemos uma avaliação mais detalhada para breve), percebemos um comportamento correto, que vai agradar 80% dos motoristas brasileiros, sobretudo em ambiente urbano. Quem prefere um comportamento mais esportivo não irá encontrá-lo no Yaris, sobretudo por conta do tom monocórdico do câmbio CVT. Mas isso é padrão para este tipo de caixa. Outra curiosidade é que o carro parece muito mais leve do que realmente é, por conta do acerto da assistência da direção, algo muito útil para manobras, mas que não agrada tanto na estrada.

Espaço e comodidade

Curiosamente, o Yaris hathcback passa a sensação de ser mais espaçoso que o Yaris sedã. Ambos têm 2,55 metros de espaço entre-eixos -- a mesma medida do Etios Sedan e um pouco maior do que o espaço do Volkswagen Polo, ainda que bem mais curto que o Virtus, por exemplo.

Em termos de comprimento, o hatch tem 4,15 m, enquanto o sedã vai a 4,43 m. Completam as dimensões 1,73 m de largura, 1,49 m de altura e tanque de combustível para 45 litros. A capacidade do porta-malas do hatch é de 310 litros, enquanto no sedã esse número sobe para 473 l.

Mas então por que o hatch seria mais amplo que o sedã? Por conta da curvatura do teto, mais acentuada no sedã. Isso prejudica o espaço para cabeça de quem tem mais de 1,80 m, por exemplo, e viaja no banco traseiro. Isso é um "contra" na briha com Virtus e Cronos. Espaço para pernas, porém, é amplo nas duas carrocerias.

Quem levar as versões iniciais vai conviver com instrumentos mais simples, ao estilo Etios (com iluminação monocromática), mas na posição correta. Painel de instrumentos traz um display de LCD de 2,7 polegadas (somente preto e branco), que reúne funções do computador de bordo, além de dois hodômetros, consumo de combustível instantâneo e médio, autonomia, velocidade média e intensidade de brilho do painel.

Nas versões mais caras, a cabine ganha ares de Corolla, com computador de bordo em tela maior: em TFT, colorida, de 4,2 polegadas, ela agrega mais funções ao computador de bordo, como histórico de viagem, consumo a cada cinco minutos, consumo mensal (km/l) versus distância e histórico mensal de valor (R$) versus consumo (litros), além de um ranking de eficiência em que é possível elencar os três melhores períodos de economia de combustível. O sistema de entretenimento também se amplia e pode espelhar celulares da Apple (Android ainda não é suportado, infelizmente).

Divulgação
Detalhe da coluna "C" do Yaris hatch: essa curva ampla o faz ser mais espaçoso que sedã Imagem: Divulgação

Segurança

A Toyota também faz questão de ressaltar que o Yaris quer ser "referência no mercado" no quesito segurança, mesmo sabendo que Polo/Virtus têm nota máxima no Latin NCAP para adultos e crianças.

A marca japonesa destaca a adoção de equipamentos como controle de tração e estabilidade e assistente de subida em rampa desde as versões de entrada, mas também ressalta que o carro oferece cinto de segurança de três pontos e apoios de cabeça para todos os ocupantes, além do sistema "Isofix" para fixação de cadeirinhas de criança com ancoragem "Top Tether" e alarme com monitoramento dos vidros e janelas.

Mais Testes e lançamentos