Topo

Testes e lançamentos

Xis da questão: BMW X2 ou Volvo XC40? Veja qual SUV de luxo entrega mais

Murilo Góes/UOL
X2 e XC40 são bem diferentes no design, mas brigam pelo mesmo consumidor Imagem: Murilo Góes/UOL

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

22/04/2018 08h00

Estreantes na categoria seduzem por design e conteúdo

O segmento de SUVs compactos de luxo está “bombando” no Brasil. Depois do Jaguar E-Pace, BMW e Volvo lançam seus representantes praticamente ao mesmo tempo no Brasil.

X2 e XC40 desembarcam no país com pegadas diferentes: enquanto a BMW aposta no design esportivo, a Volvo acredita que poderá fisgar clientes pela boa relação custo-benefício dentro da categoria.

Veja mais

+ SUV vira tendência no Brasil e abocanha 20,8% das vendas
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Aproveitando a estreia destes dois atraentes SUVs, UOL Carros fez uma breve comparação entre eles em cinco importantes quesitos: espaço interno, tecnologia, design, motor e preço.

Preço

Aqui não tem briga: o XC40 R-Design entrega mais que a versão mais cara do X2 e custa o mesmo que a configuração de entrada.

O BMW X2 parte de R$ 211.950 na versão sDrive20i M Sport e chega aos R$ 246.950 na configuração mais cara. Já o Volvo XC40 parte de R$ 169.950 na versão T4 2.0 turbo e atinge os R$ 214.950 do XC40 R-Design.

Na configuração topo de gama, aliás, o Volvo traz a mais itens como alertas de colisão e de pontos cegos e o sistema de condução semiautônoma Pilot Assist. Se serve de consolo, todo X2 oferece assistente de estacionamento (Park Assist) e câmera de ré – o primeiro não equipa o XC40, enquanto o segundo item só vem a partir da versão Momentum.

Espaço interno

O X2 pode aproveitar a plataforma do X1 e ter até a mesma distância entre-eixos (2,67 metros), mas engana-se quem pensa que eles são iguais. O X2 é mais baixo (1,54 m), mais largo (1,82 m de largura) e mais curto (4,36 metros contra 4,43 metros do X1).

Por isso, o espaço acaba sendo excelente para quatro passageiros adultos, tanto para abrigar pernas quanto ombros e cabeça, sem aperto. Ainda cabe uma criança no assento central traseiro (lembramos que o carro tem ganchos Isofix para fixar caderinhas).

Porta-malas também poderia ser maior: por escolher dar espaço aos passageiros numa carroceria não tão longa, a BMW sacrificou o espaço para bagagens. Assim, o X2 tem apenas 370 litros para bagagens – muito pouco para o segmento, inclusive diante dos 460 litros do Volvo XC40. Ambos, porém, ficam bem longe do Jaguar E-Pace e seus 580 litros, um exagero dos bons.

O XC40 é maior do que todos seus concorrentes diretos: 4,42 metros de comprimento, 1,86 metro de largura, 1,65 metro de altura e 2,70 metros de distância entre eixos. Além disso, o aproveitamento de espaço na cabine é excepcional, especialmente por soluções como a adoção de bancos dianteiros mais finos (mas não por isso menos confortáveis), ampliando o espaço para as pernas de quem viaja atrás. Não dá para levar cinco adultos com extremo conforto, mas quatro adultos e uma criança viajam confortavelmente.

Tecnologia

O X2 é um carro ultra conectado e traz até um head-up display ultra colorido reproduzindo praticamente todo tipo de informação no para-brisa. Mesmo assim, parece um carro desenvolvido alguns anos antes do XC40.

Isso porque o Volvo oferece o Pilot Assist, sistema semiautônomo de assistência ao condutor que acelera, freia e até faz curvas de raio médio sem interferência do motorista. O recurso funciona a até 130 km/h e só pede para que o motorista mantenha contato no volante a cada 15 segundos para continuar funcionando. É opcional nas versões T4 e Momentum e vem de fábrica na de topo R-Design.

É verdade que nem todos os motoristas estão acostumados (ou até desejam) com este tipo de auxílio, mas pesando o que se leva de equipamento pelos quase R$ 250 mil pedidos na versão topo de gama, era de se esperar que o X2 tivesse ao menos alerta de ponto cego e alerta de colisão, ambos oferecidos no rival – e em carros mais baratos também.

Falta ainda o assistente de frenagem de emergência (que detecta a presença de objetos, veículos e pedestres e realiza a frenagem se necessário), presente desde a versão básica do XC40 e ausente em qualquer X2. Alerta de mudança de faixa também equipa todas as versões do novo SUV da Volvo. Para terminar, o piloto automático do X2 não é adaptativo, e sim comum.

Murilo Góes/UOL
XC40 tem sistema de condução semiautônoma Imagem: Murilo Góes/UOL

Design

Esportividade é o ponto forte do X2. A frente é instigante, com a grade em duplo-rim desenhada de forma inédita, diferente de qualquer outro BMW. Junte ao conjunto óptico totalmente em LED (com fachos automáticos na versão de topo), à base da carroceria em tom antracite e aos para-choques pronunciados do pacote M Sport (também exclusivos da versão), tem-se o visual mais bonito da linha alemã, como dito.

Traseira extremamente curta faz um ótimo contraste como o focinho longo do X2. E detalhes colocados ali levam os fãs da marca ao delírio: a linha "Hofmeister kink" modificada abre espaço na coluna C para que caiba um escudo da marca, como nos clássicos 2000 CS e 3.0 CSL; mais acima, a emenda do teto com a tampa do porta-malas é feita por dois apêndices aerodinâmicos soberbos, perfeito como poucas marcas podem fazer em termos de spoilers.

Já o XC40 segue o padrão visual dos últimos SUVs lançados pela Volvo, XC60 e 90. Os faróis têm iluminação em LEDs no já tradicional estilo “Martelo de Thor”. As linhas mais retas reforçam a sensação de robustez do carro. A linha de cintura é alta e traz uma elevação em direção à coluna “C”, que pode vir com um aplique preto no melhor “estilo Nissan Kicks” de ser.

A traseira preserva as lanternas elevadas, mas ousam no formato. As linhas são mais limpas do que as do XC60, fazendo o design ser mais harmonioso do que nos demais SUVs da marca. Mesmo assim, podemos dizer que o BMW consegue vencer essa dura briga de estilos tão atraentes.

Murilo Góes/UOL
Difícil achar ângulo ruim no X2: SUV é bonito por todos os lados Imagem: Murilo Góes/UOL

Motor

O X2 é movido pelo motor 2.0 turbo de 192 cv e 28,6 kgfm de torque máximo, sendo 90% dessa entrega a menos de 1.500 rpm. A potência é a mesma das versões de entrada de X1 e Série 3, mas o torque é maior. porque falamos de um motor de nova geração, com menor aspereza e entrega com menos perdas.

A decisão da BMW de usar este trem-de-força completado pelo câmbio automatizado de dupla embreagem e sete marchas (e não por um oito-marchas automático que seria pesado demais) foi acertada.

Faltou apenas o toque da tração traseira, ou mesmo da integral (xDrive): a primeira não está disponível no projeto do X2 (a plataforma usa tração dianteira por padrão), enquanto a última existe, mas não nas configurações que chegam agora ao país. Seria a dose de controle necessária para fazer do X2 um modelo de dirigibilidade perfeita dentro de sua proposta.

Já o XC40 é oferecido com duas variações do motor 2.0 turbo da Volvo: a versão de entrada T4 tem 190 cv, enquanto as configurações Momentum e R-Design possuem 252 cv. Nos dois casos a transmissão é automática de oito marchas, mas apenas a versão mais cara traz aletas para trocas sequenciais atrás do volante – nas demais o condutor faz as mudanças na própria alavanca.

Se não tem desempenho esportivo (até porque nem é essa a intenção), o XC40 é bom de dirigir -- lembra muito o Audi Q3, que ainda é uma boa referência no segmento. Fato é que o XC40 é mais gostoso de guiar do que seus irmãos mais velhos XC60 e 90. Ele também se aproveita do porte menor para ser bem ágil, inclusive pela direção leve que ajuda nas manobras.

A suspensão tem calibragem firme. Juntamente com as rodas grandes, calçadas com pneus de perfil baixo (sobretudo na versão R-Design), vem uma vantagem e um problema. A virtude é a boa estabilidade nas curvas: o XC40 transmite segurança mesmo quando abusamos em curvas mais sinuosas. Em contrapartida, os ocupantes sentem demais os desníveis do solo, especialmente em trechos de piso ondulado.

Murilo Góes/UOL
Dirigibilidade esportiva é ponto forte do X2 Imagem: Murilo Góes/UOL

X2 é ótimo, mas...

A BMW acertou a mão com o X2. Ele tem pegada de hatch anabolizado (ou perua, se preferir), amplo espaço interno e é prazeroso de guiar como os melhores carros da marca. Lembra mais um esportivo do que um SUV tradicional. Porém, o preço alto pode atrapalhar o desempenho do X2 nas vendas.

É justamente aí que o XC40 brilha. Partindo de R$ 169.950, o SUV alia estilo com conteúdo. Mesmo nas versões mais equipadas o Volvo leva vantagem sobre o BMW na hora de assinar o cheque.

E, como é praxe nos modelos da marca sueca, segurança é palavra de ordem: todas as versões trazem alerta de frenagem e o sistema de condução semiautônoma pode equipar o modelo a partir da versão intermediária Momentum.

O X2 é uma boa escolha para quem valoriza design e boa dirigibilidade. Mas o XC40 não fica atrás em nenhum destes critérios e ainda custa menos.

Mais Testes e lançamentos