Topo

Mobilidade

Táxi-robô: parece coisa de filme, mas andamos em um por Las Vegas; assista

Ricardo Ribeiro

Colaboração para o UOL, em Las Vegas (EUA)

16/01/2018 04h00

Navya diz que não se trata de teste: o táxi sem motorista, nem volante, é real e já tem 15 vendas

A Navya, fabricante francesa de veículos autônomos, aproveitou a CES 2018 para divulgar um modelo de táxi que acaba de lançar. UOL Carros conferiu a novidade que a empresa, com alguma pretensão, chama de "primeiro táxi-robô do mercado".

Seria como pedir uma corrida de Uber ou de táxi por aplicativo, não fossem as semelhanças assustadoras com um filme de ficção dos anos 1980 e 1990.

Uma caixa retangular, vincos modernosos e luzes piscando. O design é muito parecido com o do "Johnny Cab", o táxi-robô do filme "Vingador do Futuro" (Total Recall), no qual o agente secreto, personagem de Arnold Schwarzenegger, tenta usar um transporte muito semelhante para fugir de seus perseguidores. Claro que, na trama, dá confusão.

Veja mais

+ VW Jetta 2019 vem ao Brasil ainda este ano
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Na vida real, ainda é estranho estar abordo de um veículo sem o controle humano. Já há modelos de série hoje capaz de dirigirem sozinhos em algumas situações -- os semi-autônomos -- mas o receio é maior por não se estar atrás do volante.

Aliás, aqui nem existe um volante: o passageiro pode estar até de costas para a dianteira, já que o interior tem bancos invertidos, com espaço para até seis passageiros poderem conversar ou trabalhar, desfrutando de mais espaço e conforto pela ausência do local do condutor. Há ainda uma tela multimídia no interior que pode oferecer informações aos turistas, reservas de restaurantes ou compras, tudo para poupar também o tempo do passageiro.

É teste ou é de verdade? 

No entanto, no trecho delimitado para as demonstrações, o táxi autônomo da Navya, ou "Autonom Cab", aparenta saber o que está fazendo e, para quem está do lado de fora, o interior diferentão desperta mais o desejo de fotografar do que preocupações.

"Nós fabricamos o veículo inteiro, desenvolvemos também sensores, radares e todo o programa de controle. Também podemos oferecer o aplicativo para as empresas interessadas", explica François-Pierre Nieddu, engenheiro da Navya.

Segundo Nieddu, o táxi ganhará as ruas nos próximos meses, em algumas cidades de França, Austrália, Canadá e EUA. Já foram vendidas 15 unidades. Ele reforça que as duas unidades na CES não são protótipos, mas modelos já de produção. 

Ônibus também sem motorista

A fabricante começou com um pequeno ônibus autônomo há três anos. Hoje são 60 unidades do "Autonom Shuttle" operando nos mesmos países. "Muitos em parques, resorts, aeroportos e complexos industriais, mas há alguns em trechos urbanos”, diz Nieddu.

Um deles, aliás, se envolveu em acidente de trânsito em novembro, mas isso é outra história (e a culpa não foi do veículo-robô).

Mais Mobilidade