Salão de Buenos Aires

Renault Kwid chega por "milão" parcelado no cartão para ser líder de vendas

Leonardo Felix, Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em Buenos Aires (Argentina)

09/06/2017 13h00

Renault brinca com economia e faz pré-venda por R$ 1.000 e restante no financiamento; valor total da versão mais barata é de R$ 29.990

Sem mais demora, a Renault finalmente lança o compacto Kwid no Brasil, ainda que a apresentação esteja acontecendo no Salão de Buenos Aires. E, mais curioso ainda, abre a pré-venda do carrinho por R$ 1.000 parceláveis no cartão de crédito em três vezes.

Claro, este não é o preço final do Kwid: o modelo terá preços que partem de R$ 29.990 e vão a R$ 39.990. O restante do valor poderá ser quitado quando o carro for entregue, em agosto, pelos procedimentos usuais do mercado, sendo que o parcelamento é o mais comum. A reserva pode ser feita no site ou nas lojas da marca.

Você compraria o Renault Kwid? Ele vai ser líder de vendas?

Enquete encerrada

Total de 5668 votos
82,00%
18,00%
Total de 5668 votos

Valide seu voto

captcha

Caso não consiga ler, ouça o que está escrito.

É o segundo carro mais barato do Brasil, atrás apenas do Chery QQ, que tem origem chinesa, mas é fabricado em Jacareí (SP). O Renault Kwid tem origem indiana, mas será fabricado em São José dos Pinhais (PR). 

Com o Kwid, a Renault reforça seu portfólio e tenta brigar de fato para ser uma das quatro grandes fabricantes do país. Para isso, o preço abaixo dos R$ 30 mil é fundamental, pois coloca o Kwid na briga para ser o modelo mais vendido do Brasil, ainda que seja um carro "pelado" de itens de conforto -- mas com quatro airbags. 

Vamos às versões:

+ Renault Kwid Life: R$ 29.990
Rodas de aço aro 14; airbags frontais e laterais; ganchos Isofix; indicador de troca de marcha. 

+ Renault Kwid Zen: R$ 34.990
Acrescenta direção elétrica; ar-condicionado; travas elétricas; vidros dianteiros elétricos.
Há opcionais: rádio com Bluetooth, USB e Auxiliar, elevando preço a R$ 35.390.

+ Renault Kwid Intense: R$39.990
Recebe retrovisores elétricos; faróis de neblina; Media Nav 2.0; câmera de ré; porta-malas com abertura elétrica; chave canivete; roda com acabamento diferenciado.

Há ainda a promessa de uma versão aventureira em 2018 -- chamada de Outsider, ela já foi vista na forma de um carro-conceito no Salão de São Paulo, em novembro de 2016.

Além do Kwid, a marca aposta também no Captur, lançado em fevereiro e que foi bem avaliado, esta semana, no teste de segurança do Latin NCAP (quatro estrelas de cinco). O que eles têm em comum: a marca afirma que ambos são SUVs -- UOL Carros enxerga um hatch altinho no Kwid, que entra diretamente na disputa com Volkswagen up!, Fiat Mobi, Chery QQ, mas também com os demais compactos.

Pelo argumento da Renault, apesar do preço, o concorrente seria o Honda WR-V... De toda forma, o alvo do carro são "jovens urbanos com aspecto diferenciado", que procuram um veículo "capaz de rodar em qualquer condição de piso".

Murilo Góes/UOL
Renault Kwid: tamanho mini e pretensões gigantescas no Brasil Imagem: Murilo Góes/UOL

O que ele tem para vender bem?

De ponta a ponta, são 3,68 m de comprimento e 2,42 m de entre-eixos, com 1,47 m de altura. Apenas para comparar, o líder Chevrolet Onix tem 4,13 m com 2,52 m de entre-eixos, tendo até teto mais elevado: 1,48 m. O up! tem 3,60 m por 2,42 m, com 1,50 m de altura total. No Kwid, o porta-malas tem 290 litros. O peso é de apenas 790 kg. E há um "truquezinho" para ganhar porte, que é a suspensão elevada abrindo um vão para o solo de 18 cm.

Motor é o inédito 1.0 SCe (3-cilindros) com configuração própria da Renault: são 66 cavalos e 9,4 kgfm com gasolina e 70 cv, 9,8 kgfm com etanol. Com ele, a marca promete consumo média de 15,2 km/l com gasolina ou 10,5 km/l, no ciclo urbano. 

Será seguro?

Tem preço, tem algum espaço interno, mas fica a principal questão para um carro que nasceu na Índia e tomou zero nos testes de segurança asiáticos: vai ser seguro para o Brasil? A Renault diz que sim, tanto que atrasou o lançamento em mais de seis meses, justamente para melhorar as especificações da plataforma CMF-A.

Espera-se um carro mais pesado e mais robusto que o indiano, ainda que as rodas de aro 14 tenham apenas três pontos de fixação, por exemplo. Haverá ainda muito equipamento de segurança, considerando o porte do modelo.

Segundo a fabricante, o modelo nacional tem o trunfo de ter quatro airbags (dois frontais obrigatórios e mais dois laterais), além de freios com ABS e EBD (obrigatórios) e barras de proteção lateral nas portas. Esperemos o teste do Latin NCAP.

* Viagem a convite de Anfavea, Ford e Chevrolet

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Salão de Buenos Aires

Topo