Carros

Citroën C4 Lounge "barato" com turbo deveria tirar sono de Corolla e Civic

Leonardo Felix

Colaboração para o UOL, em São Paulo (SP)

12/08/2014 18h50Atualizada em 12/08/2014 20h16

Quando se fala em sedãs médios, é quase instantâneo pensar primeiro nos líderes absolutos da categoria: Toyota Corolla e Honda Civic. Diante de domínio tão "natural", a concorrência precisa de argumentos diferenciados para chamar a atenção dos consumidores. É o caso do motor turbo oferecido na gama do Citroën C4 Lounge (e também do pacotão de equipamentos do Hyundai Elantra, que ganha fácil das versões mais caras dos sedãs japoneses). 

Para aumentar a competitividade frente às rivais, a montadora francesa lançou há três semanas o C4 Lounge Tendance 1.6 THP, de R$ 76.690 (o preço caiu R$ 300 desde o lançamento). O sedã tem a mesma motorização da versão turbo topo da linha (Exclusive), mas perdeu alguns itens (airbags laterais e de cortina, sistema start-stop, câmera de ré) para ficar R$ 5.000 mais em conta.

O objetivo é oferecer um carro turbo com preço para brigar com as versões intermediárias de Corolla (2.0 XEi com câmbio CVT, de R$ 81.480) e Civic (2.0 LXR automático, de R$ 74.900). O trunfo desse Citroën está justamente debaixo do capô: o propulsor THP (Turbo High Pressure) de 1,6 litro, somente a gasolina, desenvolvido em parceria com a BMW, rende 165 cavalos e 24,5 kgfm de torque, números consideravelmente maiores que os dos japoneses (22 cv e 5,1 kgfm em relação ao Toyota; 15 cv e 5,2 kgfm ante o Honda, ambos com gasolina).

Divulgação
Turbo do C4 L gera até 13% mais potência e 21% mais torque que Corolla e Civic Imagem: Divulgação
Em teste de 300 quilômetros feito por UOL Carros, o consumo do C4 Lounge THP ficou em 9 km/l em uso misto, em linha com números registrados pelo programa de eficiência energética do Inmetro (8,7 km/l na cidade e 11,7 km/l na estrada). Superou na prática o 2.0 do Corolla, que durante nossa experimentação da versão Altis registrou 7,8 km/l com gasolina (o Inmetro testou apenas o Corolla 1.8). No Inmetro, o Civic está à frente do rival francês: um recebeu nota B, e o outro, C.

Joga contra o C4 Lounge THP nesta versão mais em conta o fato de que seu motor não é bicombustível, e provavelmente jamais será.

COMO ANDA
Apesar do rendimento superior, o C4 Lounge 1.6 THP não tem a menor vocação de ser esportivo. A transmissão automática de seis velocidades promove trocas sempre abaixo das 2.500 rotações, e o conjunto de suspensões é macio na medida certa para o uso no Brasil, conseguindo boa absorção das (muitas) ondulações de nossas vias.

Isso não significa que o sedã não tenha fôlego para corresponder quando exigido numa estrada: posicionar o câmbio para trocas sequenciais manuais (na manopla; não há aletas atrás do volante) ajuda nesse sentido, embora as mudanças em giros mais altos gerem trancos incômodos. Em todo caso, a própria Citroën vê no perfil de quem compra o C4 Lounge alguém que fará uso predominantemente urbano.

A frente alta e os faróis largos contribuem para a formação desse perfil "sóbrio", mais próximo do Corolla que do Civic. O mesmo ocorre com as dimensões: com 4,62 metros de comprimento e 2,67 m de entre-eixos, o C4 Lounge oferece mais espaço interno que seus dois concorrentes japoneses. Só o porta-malas fica um pouco para trás: 450 litros, contra 470 do Corolla.

Divulgação
Volante largo e comandos não tão intuitivos do sistema multimídia comprometem conforto do C4 Lounge. Elegância do acabamento e ergonomia dos bancos são pontos bastante positivos Imagem: Divulgação
Visual interior é outro ponto forte do sedã francês: borracha macia na parte superior do painel, encaixes impecáveis e uso na medida certa dos cromados e plásticos simulando alumínio formam um acabamento elegante; os bancos em couro (item de série que a Citroën considera crucial para ganhar clientes para esta versão) proporcionam excelente ergonomia, apesar da regulagem manual de altura (no Corolla e Civic, o ajuste também é na mão). O cluster de instrumentos, quase todo digital, dá uma pitada extra de modernidade. Só o diâmetro do volante incomodou: muito largo, dificulta o encaixe de uma boa posição de guiar.

O sistema multimídia, com tela colorida de 7 polegadas, também podia ser mais intuitivo. Faz falta uma tela tátil e comandos simplificados no painel, especialmente se pensarmos que boa parte do público-alvo (homens a partir dos 40 anos) não tem lá tanta intimidade com esse tipo de interface. O ar-condicionado digital é outro diferencial, pois oferece duas zonas de resfriamento.

No quesito segurança, o C4 Lounge Tendance THP possui itens como sensores dianteiro e traseiro de estacionamento; limitador de velocidade e piloto automático (controle de cruzeiro); acionamento de luzes de emergência em frenagens bruscas; chave canivete com abertura remota das portas e porta-malas; acendimento automático dos faróis; luzes de neblina dianteiras e traseiras; luzes diurnas em LED; retrovisores externos com regulagem elétrica; sensor de chuva; alarme periférico, volumétrico e anti-levantamento; alerta sonoro para portas abertas e ausência do cinto; travas elétricas com travamento automático das portas e porta-malas com veículo em movimento; vidros elétricos com acionamento por um toque; e fixação para cadeirinhas Isofix nos bancos traseiros, além dos obrigatórios airbags frontais e freios com sistema ABS (antitravamento). 

Divulgação
Traseira alta e com barra cromada lembra Corolla e Hyundai Elantra Imagem: Divulgação
Sentiu falta de itens como controle eletrônico de estabilidade? UOL Carros também. Ele está presente na versão Exclusive e poderia ser outra vantagem do Tendance THP em relação a Corolla e Civic intermediários (e mesmo top, pois não têm esses sistemas). Pensando no custo, a Citroën preferiu nivelá-lo (por baixo) aos concorrentes.

Assim como Corolla e Civic, o C4 Lounge também tem três anos de garantia e revisões programadas até 60.000 km.

CONCLUSÃO
UOL Carros pode afirmar -- sem medo -- que o C4 Lounge Tendance THP é uma alternativa interessante entre os sedãs médios. Apesar de alguns pontos falhos, o sedã custa quase R$ 5.000 a menos que o Corolla 2.0 XEi e oferece basicamente a mesma lista de itens, além de um motor turbo mais potente e econômico (mas somente a gasolina). E custa só R$ 1.700 a mais do que o Civic 2.0 LXR, entregando conjunto mais confortável e espaçoso.

Atual sexta colocada no ranking do segmento, segundo a Fenabrave, a Citroën evita falar em números, mas espera que esta versão mais em conta faça do motor turbo o responsável por 70% das vendas do C4 Lounge (já são pouco mais de 50%), deixando o modelo próximo das 1.000 unidades emplacadas mensalmente.

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo