Carros

Honda Civic 2015 muda pouco, de olho apenas no Corolla

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em Indaiatuba (SP)

09/06/2014 12h00Atualizada em 09/06/2014 13h38

Entra ano, sai ano, concorrentes chegam e se vão... e nada do mercado brasileiro de sedãs médios sair da disputa particular entre Honda Civic e Toyota Corolla. Ambos dominam o segmento e se alteram na liderança do mais conservador dos segmentos conforme mudanças de visual e troca de gerações. Sabendo disso e tendo que enfrentar a 11ª geração, que já assumiu a primeira posição, a Honda do Brasil fez o básico: apresenta nesta segunda-feira (9), a linha 2015 do Civic com face-lift mínimo e reorganização (temporária) de versões e que chega às lojas durante a Copa, a partir da última semana do mês.

Murilo Góes/UOL
Este é novo visual do Civic -- mas apenas para versão LXR, a mais vendida Imagem: Murilo Góes/UOL

De fato, há mudança discretíssima de visual apenas na versão LXR, a mais vendida, e ampliação da paleta de cores. O "pão-durismo" pode irritar alguns consumidores -- UOL Carros publicou um flagrante do Civic 2015 em gravação de comercial, na última sexta-feira, e muitos internautas disseram não acreditar se tratar de um novo carro -- mas o fato é que a Honda mira apenas os movimentos da Toyota, e vice-versa.

Dados da agência AutoInforme mostram: o novo Corolla emplacou 5.741 unidades em maio, distante do Civic 2014 e seus 4.702 carros. Nesta briga oriental, as 1.651 unidades de Chevrolet Cruze e 1.467 do Ford Focus 3 são irrisórias.

Precisando mudar só o suficiente para se manter na briga caseira, o Civic 2015 fica assim:

Murilo Góes/UOL
O carro da foto acima é o Civic LXR 2014; mas pode tirar os faróis de neblina e você tem o Civic LXS 2015. Imagem: Murilo Góes/UOL
- Civic 1.8 LXS manual 2015 -- R$ 65.890
Tem preço e visual externo mantidos, segundo a Honda. O motor 1.8 bicombustível agora é da linha FlexOne, dispensando "tanquinho" de gasolina na partidas a frio, mas mantendo os 140 cv (6.500 rpm) e 17,7 kgfm (5.000 rpm) de torque com etanol e gerenciamento por câmbio manual de seis marchas; na cabine, novo revestimento dos painéis, agora em preto na parte superior e cinza claro na base, e novas molduras cromadas para alguns botões (poucos notarão tais apliques). Mantém ainda os obrigatórios airbags duplos e freios com ABS.

- Civic 1.8 LXS automático 2015 --  R$ 68.890
Também sem alteração de preço ou estilo, é a versão anterior com câmbio automático de cinco marchas.

- Civic 2.0 LXR automático 2015 -- R$ 74.900
Configuração mais vendida do sedã, é a única a exibir a nova cara neste momento. Custando R$ 510 a mais, copia o carro americano na grade frontal do tipo colmeia com moldura cromada em U (alguns enxergarão um V). E só. Solução local, o para-choque tem barra horizontal cromada na porção central e faróis de neblina mais simples, arredondados e com moldura preta (antes, elípticos e cromados).

Nada muda na traseira (isso mesmo: nada). Mas há rodas de liga leve novas e maiores: usinadas, injetadas e com acabamento diamantado om detalhes em preto, têm desenho esportivo e raio 17". A principal novidade aqui são os pneus Pirelli P7 Cinturato exclusivos -- parece pouco, mas são os grandes responsáveis por este Civic ser "modelo 2015" e não apenas uma reedição do 2014. Por dentro, tudo como no LXS.

- Civic 2.0 EXR automático 2015 -- deixa de existir temporariamente
A Honda promete seu retorno para o final do ano, com o novo visual e central multimídia reforçada, com possibilidade até de acesso à internet. Antes, porém, trará o novíssimo Civic Si, esportivo de fato (a estreia está "agendada" para o Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro).

Um único opcional surge neste momento: as novas cores metálicas cinza Barium (das fotos que ilustram a reportagem) e azul Denim (que pode ser vista no vídeo de divulgação, a mesma do antigo Fit Twist) custam R$ 1.100 e ampliam leque cromático do sedã.

ATENÇÃO: como o centro das atenções é o Corolla, o nível caiu: sem a versão EXR, a linha Civic deixa de exibir diferenciais como controles de tração e de estabilidade e teto solar (que o rival também não oferece). Ou seja, o consumidor perde conforto e -- fator principal -- segurança.

Civic ou Corolla?

  • Imagem: Reprodução
    Reprodução
    Imagem: Reprodução

    Carsale compara e responde

    Análise opõe versão LXR do Honda à XEi do Toyota (R$ 79.990)

É O QUE TEM PARA O MOMENTO
Há uma admissão, por parte dos executivos da Honda, de que o Civic 2015 siga perdendo espaço para o Corolla 2015. A marca aceita a situação, neste momento, por ter de dividir sua fábrica de Sumaré com a produção do novo Fit ("bombando, com fila de espera de até 60 dias nas lojas", dizem os representantes), a chegada do novo City (em agosto) e, agora, com a produção do Civic renovado.

Daí a decisão de não mudar a versão LXS agora e de dar "férias" para a EXR. Quando a demanda pelo novo Fit --e também pelo novo City -- esfriar, a Honda voltará a atacar com o Civic EXR 2015 e com o Si para retomar a liderança do segmento de médios. Dar espaço ao adversário é uma manobra perigosa, mas a marca acredita poder voltar ao jogo antes do final do ano.

SAPATOS MÁGICOS (OU: COMO ANDA)
Se as mudanças são de aparência, o Civic 2015 anda da mesma forma que o 2014, certo? Se estiver ao volante da versão LXS, certíssimo. Com o LXR, porém, as coisas são diferentes. Tudo por conta do pneu, acredite.

Feito exclusivamente para o Civic 2015 -- apesar da linha Pirelli P7 existir para outros carros -- este Cinturato tem nova tecnologia de construção e faz parte da família iniciada pelo P1 do novo Honda Fit. UOL Carros conversou com Kaio Machado, gerente de desenvolvimento para carros de passeio da fabricante, que afirmou haver um novo "trabalho tanto da banda de rodagem, quanto de compostos internos, para que o pneu ganhe performance, sem perder a baixa resistência ao rolamento".

Murilo Góes/UOL
Rodas de 17", pneus 205/50 (contra 205/55 16 no 2014): roda maior aumentou esportividade, enquanto pneu de nova geração promete aumentar conforto e reduzir consumo sem tirar performance. Imagem: Murilo Góes/UOL
Na prática, temos um pneu de perfil esportivo, com melhor contorno de curvas e mais dinâmico em acelerações, mas que não traz o desconforto de pneus de tala menor, que geralmente deixam o carro mais duro, sensível a cada buraco. Parece contraditório, mas guiando um Civic 2015 (por 30 quilômetros) e um 2014, UOL Carros sentiu o novo modelo mais solto e confortável. Apesar disso, o nível de ruídos é mínimo e só cresce em velocidades maiores e, ainda assim, se o motorista abrir as janelas (algo pouco salutar quando acima dos 100 km/h, convenhamos). De vidros fechados, a conversa será feita em tom moderado de voz, sem esforço. "É como a nova geração de TVs: elas fazem coisas que pareciam impossíveis antes, com mais recursos e menor gasto. Temos agora uma nova geração de pneus", afirma Machado.

Claro, há um custo: este Pirelli Cinturato P7 exclusivo para o Civic será mais caro para ser reparado ou trocado. Ainda assim, Honda e Pirelli afirmam que o retorno virá na economia de combustível, mesmo com o carro rodando mais solto e -- portanto -- com chance de andar mais forte: "Com o valor poupado em combustível durante a vida útil de três anos deste novo P7, em relação a um carro com compostos comuns, será possível comprar 3,2 pneus". Menos mal: se for para ser pão duro, melhor que seja com algo que ajude o comprador.  

Viagem a convite da Honda do Brasil

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo