Carros

Takata se recusa a criar fundo para vítimas de falha de airbags

Reuters/Newsome Melton Law Firm
Corey Burdick, 26 anos, bateu seu Honda Civic 2001 na Flórida em maio de 2014; o ferimento, segundo seu advogado, aconteceu com a abertura do airbag da Takata Imagem: Reuters/Newsome Melton Law Firm


Em Washington (EUA)

A empresa japonesa Takata, acusada de acobertar riscos vinculados aos seus airbags, rejeitou a ideia de criar um fundo de compensação para as vítimas, informou um legislador americano em uma coluna no "The New York Times"  publicada nesta sexta-feira (10).

O senador Richard Blumenthal convocou, em uma audiência no Congresso no mês passado, a companhia com sede em Tóquio a criar um fundo para as vítimas de acidentes provocados por airbags defeituosos -- algo semelhante foi feito pela General Motors, com valores milionários, após o início das investigações sobre recall gigante provocado por falha em cilindros de ignição.

A fabricante japonesa bateu o recorde de maior recall automotivo da história dos EUA, e elevou para 53 milhões o número de carros afetados desde 2008, quando o problema nos airbags foi descoberto. O problema afetou veículos de montadoras como Toyota, Nissan, Honda (que chegou a cortar salários de executivos) e Subaru. Há casos até mesmo no Brasil.

O recall se refere os dispositivos frontais dos lados de motorista e passageiro, que podem estilhaçar ao ser acionados durante um acidente, jogando pedaços cortantes para cima de todos os ocupantes do veículo e gerando riscos de lesões físicas graves ou até fatais.

"Não é necessário", diz empresa

Blumenthal compartilhou no jornal uma carta que recebeu de Kevin Kennedy, um vice-presidente executivo da Takata, na qual ele rejeita sua proposta.

"A Takata acredita que não é necessário um fundo de compensação em nível nacional", escreveu Kennedy, acrescentando que informará ao senador caso mude de opinião.

Blumenthal classificou esta resposta como inaceitável: "A Takata parece não querer admitir sua responsabilidade para ajudar as vítimas e seus entes queridos que sofreram por suas falhas", disse ao "NYT".

Um porta-voz contactado pelo jornal disse, na quinta-feira, que a Takata estava "comprometida em tratar com justiça toda pessoa que tivesse sido ferida por uma ruptura do airbag".

"Por isso, a Takata estabeleceu uma lista de demandas por ferimentos e seguirá fazendo isso baseando-se em fatos e circunstâncias de casos individuais", disse o porta-voz da companhia Jared Levy.

Mortos e feridos

A Takata buscou durante meses a origem das graves explosões de seus airbags, que ocorrem sobretudo em ambientes úmidos. Segundo as denúncias, os airbags defeituosos são responsáveis pela morte de oito pessoas e por mais de 100 feridos no mundo.

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Carplace
Carplace
Carplace
Carplace
Da Redação
Carplace
Carplace
Carplace
Carplace
Carplace
Carplace
Da Redação
Da Redação
UOL Carros

UOL Carros

Cristiano Ronaldo testa supercarro de R$ 7,8 milhões

Dizer que seu produto foi testado e aprovado por uma das maiores estrelas do futebol parece ser um bom argumento de vendas. Foi o que a Bugatti fez. Não que ela precise de muito esforço para vender o hiperesportivo Chiron, mas ainda assim a marca preparou um vídeo promocional em que Cristiano Ronaldo, multicampeão pelo Real Madrid, é convidado para acelerar o supercarro. O atacante experimentou o modelo de absurdos 1.521 cv de potência, capaz de fazer o 0-100 km/h em 2,5 segundos e de alcançar máxima de 420 km/h (e olha que ela é limitada eletronicamente), acompanhado do piloto de testes da marca francesa, Andy Wallace. Confira no vídeo. O próprio jogador fez marketing em cima da ação e publicou imagens do teste em seu Instagram, faturando milhares de curtidas entre seus 91 milhões de seguidores. Dono de um Veyron, antecessor do Chiron, o atual melhor jogador do mundo tem uma coleção de carrões de luxo de fazer inveja, formada por modelos da Ferrari, Porsche, Lamborghini e Rolls-Royce, só para citar algumas marcas. São alguns dos carros do craque os que aparecem ao seu lado no início do vídeo. Ao final da peça, Wallace sugere a Ronaldo que, caso ele queira "ficar com a chave" do Chiron, basta "ligar para a Bugatti?. Não se surpreenda se o goleador lusitano resolver incrementar sua coleção com o Chiron. Para isso ele terá de desembolsar modestos 2,4 milhões de euros, o equivalente a R$ 7,8 milhões.

Best Cars
AutoEstrada
Carsale
Carplace
AutoEstrada
UOL Carros - Blogs - Blog Car and Driver Brasil
UOL Carros - Blogs - Blog Car and Driver Brasil
Carpress
Carplace
Carpress
Car and Driver
Carplace
Car and Driver
Carpress
Carplace
AutoEstrada
Best Cars
Best Cars
Carsale
Carplace
Carros
Carplace
AFP
Carplace
Best Cars
Carplace
Carplace
Carplace
Best Cars
Carplace
Motos - Da Redação
Carplace
Da Redação
Carplace
Best Cars
Carpress
Topo