Carros

Presidente da GM anuncia compensações para vítimas de defeito em ignição


Richard Cowan

Em Washington (EUA)

17/06/2014 16h05

Presidente-executiva da General Motors, Mary Barra irá anunciar ao Congresso dos Estados Unidos, nesta quarta-feira (18), que a companhia espera começar a processar as reclamações de vítimas relacionadas à falha na ignição a partir de 1º de agosto.

Mike Cassese/Reuters
Mary Barra comanda melhoria da imagem da GM pós falha: pediu desculpas publicamente, falou a parlamentares, demitiu funcionários por "incompetência" e agora vai anunciar compensação a vítimas do Cobalt Imagem: Mike Cassese/Reuters

Em testemunho preparado para ser entregue ao Comitê de Comércio e Energia da Câmara dos Deputados, Barra também dirá que Kenneth Feinberg, que supervisiona a criação de um fundo de compensação, terá "total autoridade para estabelecer critério elegível para as vítimas e determinar os níveis de compensação".

Os defeitos na chave de ignição em modelos mais antigos -- como o Chevrolet Colbalt americano e o Saturns Ion, entre outros -- foram relacionados a pelo menos 13 mortes e provocou o recall de quase 3 milhões de unidades. Pela demora na condução do carro, a GM foi multada pelo governo americano em US$ 35 milhões.

Na segunda-feira (16), porém, a marca anunciou recall de mais 3,16 milhões de unidades por defeito similar: desta vez, Impala e Camaro estão entre os afetados pela falha na ignição.

A GM de joelhos

  • 1º de abril

    Na CPI, GM promete "compensar vítimas"

  • 1º de abril

    GM anuncia recall do Malibu, o 13º do ano

  • 28 de março

    Sem dar motivos, GM paralisa vendas do Cruze turbo nos EUA

  • 19 de março

    Atenções se voltam a Toyota e multa de US$ 1,2 bilhão e caso "esfria"

  • 18 de março

    CPI é convocada e GM nomeia chefe de segurança

  • 17 de março

    Sob pressão, presidente da GM encarna "mãezona" na TV

  • 17 de março

    Após acusação, GM faz recall de outra linha: 1,6 milhão de carros

  • 13 de março

    Um mês após recall de 1,7 milhão, seguradoras acusam GM de provocar mortes

Barra testemunhou em painel no Congresso início de abril e não pôde responder muitas das questões dos legisladores. Ela prometeu retornar após a conclusão da investigação interna da empresa. A executiva anunciou os resultados da investigação no início do mês, destacando uma série de falhas por funcionários da GM para levar a sério o problema na ignição, e prometeu melhorar as práticas e performance da companhia. Além disso, demitiu 15 executivos.

Foi comprovado que engenheiros e outros funcionários da GM sabiam dos problemas na ignição há mais de uma década, mas que as ações de reparo só foram iniciadas no começo do ano. O defeito pode levar os carros a se desligarem aleatoriamente, desabilitando airbags e causando mau funcionamento nos freios e sistemas de direção.

No Brasil, Corolla 2002-2003 entra no recall

  • Imagem: Murilo Góes/UOL
    Murilo Góes/UOL
    Imagem: Murilo Góes/UOL

    "Brad Pitt convocado"

    Após notificação do Procon, a Toyota do Brasil incluiu o sedã Corolla dos modelos 2002 e 2003 na lista de atingidos pela falha global do airbag. O reparo será feitos em duas etapas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo