Carros

GM demite 15 executivos por "incompetência" no caso Cobalt


Ben Klayman

Em Warren (Michigan)

05/06/2014 16h54Atualizada em 05/06/2014 18h56

A General Motors deu mostras de "incompetência e negligência" ao lidar com o defeito na ignição de veículos ligado a pelo menos 13 mortes, disse a presidente-executiva Mary Barra nesta quinta-feira (5). Barra afirmou ainda que 15 funcionários que "agiram inapropriadamente" foram demitidos. Outros cinco receberam ações disciplinares e advertências.

Carlos Osorio/AP
A cara de Mary Barra e Mark Reuss, presidente e vice da GM, ao anunciar 15 demissões por incompetência diz tudo. Todos estavam em cargos de alto escalão Imagem: Carlos Osorio/AP

Com a maior montadora dos Estados Unidos começando a revelar os resultados de uma investigação interna, Barra não deu detalhes sobre como o problema perdurou por mais de 11 anos, mas disse que mais da metade dos funcionários punidos ou demitidos exerciam cargos do alto escalão (executivo ou sênior).

Foi a primeira vez em que a GM tomou a decisão de "cortar na própria carne" após o escândalo em que se transformou o caso da falha de quase 3 milhões de unidades de modelos com o Chevrolet Cobalt americano. Além disso, Barra confirmou que a GM começará em breve a indenizar as vítimas de acidentes relacionados ao defeito de ignição.

Por dentro da crise da GM

CONTANDO AS VÍTIMAS
Representantes da GM disseram que o número de fatalidades relacionadas ao defeito na peça pode aumentar, mas acrescentou que Kenneth Feinberg, que está cuidando das indenizações às vítimas, vai determinar o número.

A Reuters publicou na segunda-feira que ao menos 74 pessoas morreram em acidentes similares àqueles que a GM ligou ao problema na ignição, com base em uma análise de dados do governo.

A GM fez o recall de mais de 2,6 milhões de carros devido ao problema. Este recall, em conjunto a outros anunciados pela GM este ano, já custou à companhia até agora cerca de US$ 1,7 bilhão (quase R$ 4 bilhões).

Divulgação
Engenheiro da GM admitiu ter feito confusão em caso da ignição defeituosa Imagem: Divulgação

PERDAS E GANHOS
Apesar da admissão de culpa e do expurgo de culpados -- espera-se que o engenheiro-chefe Ray DeGiorgio, que desenvolveu a ignição e admitiu ter "esquecido" de corrigir a falha, e alguns membros do departamento jurídico estejam na lista de demissão -- a GM segue com ritmo de vendas forte.

Balanço de emplacamentos de maio divulgado na quarta (4) mostra alta de 12,6% em relação ao mesmo mês de 2013.

Ainda assim, a fabricante sofre nos bastidores: encara uma CPI no Congresso americano, recebeu uma multa de US$ 35 milhões e viu seu lucro cair em 88% no primeiro trimestre de 2014. (Com redação do UOL)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo