Topo

Testes e lançamentos

Avaliação: Eclipse Cross é o melhor carro da Mitsubishi? Assista e descubra

André Deliberato

Do UOL, em Porto Alegre (RS)

01/10/2018 04h00

Rodamos com a novidade para responder: ele é um bom SUV?

A Mitsubishi ressuscitou o clássico nome "Eclipse", botou o sobrenome "Cross" e lançou na semana passada no Brasil um "SUV-cupê" de R$ 149.990 para concorrer com as versões topo de linha de modelos do segmento médio de utilitários, como Jeep Compass, Peugeot 3008, Chevrolet Equinox e por aí vai.

Montado sobre uma plataforma totalmente nova, com motor 1.5 turbo de 165 cv e câmbio CVT que simula oito marchas, a promessa do Eclipse Cross é ser o melhor carro da marca vendido no Brasil e encantar pelo bom conjunto mecânico e pela boa quantidade de tecnologia embarcada.

Ele será a grande estrela da empresa no Salão do Automóvel, em novembro.

UOL Carros rodou mais de 300 quilômetros com o modelo pelo interior do Rio Grande do Sul para responder a essa pergunta: ele é mesmo o melhor carro da marca japonesa em nosso país?

Veja mais

+ Eclipse Cross: veja preços e pacotes de equipamentos
+ Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
+ Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
+ Instagram oficial de UOL Carros
+ Siga UOL Carros no Twitter

Impressões sobre o visual

Visualmente o carro diverge opiniões. A frente é "invocadona" e toda estilosa, com o mesmo estilo de DNA que o Outlander e outros carros da marca já trazem, incluindo a grade com dois bumerangues que são ligados aos faróis de LED.

Já na traseira o desenho é mais polêmico por lembrar bastante o do antigo Pontiac Aztek, primeiro carro do personagem "Walter White", o "Heisenberg", da série "Breaking Bad". Muitos achavam o SUV norte-americano desengonçado -- e se alguém cobrisse o logo da Mitsubishi e dissesse que o Eclipse Cross é uma evolução do carro da Pontiac, seria fácil de acreditar.

Murilo Góes/UOL
Mitsubishi Eclipse Cross: R$ 150 mil, motor 1.5 turbo de 165 cv e câmbio automático CVT de oito marchas Imagem: Murilo Góes/UOL

Motor e câmbio

Outra importante novidade é o conjunto mecânico, que oferece um conjunto entre um motor 1.5 turbo de injeção direta (que gera 165 cavalos e 25,5 kgfm de torque) e uma caixa de câmbio CVT que pode simular oito marchas -- com opção de trocas por borboletas no volante. Tração é 4x2 ou 4x4.

Em movimento, o motor responde com ótimas respostas de aceleração e também demonstra ser muito bem escalonado com o câmbio CVT. A carroceria rola pouco em curvas (principalmente em relação à altura e ao centro de gravidade do carro) e a sensação é de guiar um carro bem menor.

O fôlego do 1.5 surpreende por conta do torque de quase 26 kgfm. É como se você estivesse dirigindo um carro 2.4 aspirado, mas que reacelera com ainda mais vontade. O Eclipse Cross, por exemplo, arranca na frente de um Outlander 2.0 de 160 cv, que é mais fraco e mais pesado.

Ponto positivo para o novo SUV, que inaugura uma tecnologia inédita em termos mecânicos para a marca no Brasil -- e que em breve deve se espalhar por outros modelos.

E por dentro?

Agrada o espaço interno para quatro pessoas. Um quinto passageiro, no entanto, terá certo aperto no banco de trás, até porque o assoalho tem um sobressalto no corredor central que dificulta o espaço para as pernas.

Mas também é importante dizer que pessoas mais altas que 1,80 m terão certo aperto no espaço para as cabeças no banco traseiro, justamente por conta do "estilo cupê" do desenho. Ok, dá para reclinar um pouco os assentos. Sim, mas isso sacrifica o volume do porta-malas, que acaba caindo para apenas 341 litros, valor um pouco maior que o de um... Fiat Argo (300 l).

Já em relação ao acabamento interno, novamente o carro merece elogios -- de fato, o Eclipse Cross oferece o melhor refinamento possível em um carro da Mit no Brasil. Os bancos de couro recebem muito bem os ocupantes dianteiros, com bons apoios laterais e nível de conforto.

Ele será vendido em uma só versão, sempre bem completa -- a única diferença será entre configurações com tração dianteira e com sistema AWD (All-Wheel Drive). Fora os equipamentos clássicos que um carro desse preço precisa ter, como direção elétrica, ar-condicionado de duas zonas e chave inteligente, ele ainda traz itens relativamente exclusivos para a categoria, como head-up display e teto solar duplo.

Por fim, o sistema multimídia também se mostra como o melhor já visto em carros da marca japonesa, oferecendo até espelhamento via AndroidAuto e Carplay na tela principal, que é fácil de mexer e bem intuitiva.

Conclusão

Sim, o novo Eclipse é o melhor carro da Mitsubishi no Brasil. Traz bom recheio de equipamentos e visual inovador, apesar de controverso na traseira. Mas não há como negar que por R$ 150 mil muitos rivais não oferecem a mesma quantidade de equipamentos.

Se você não liga para o "bumbum polêmico" e confia na marca Mitsubishi, bem como os três anos de garantia oferecidos para o carro, ele mostra ser uma boa opção de compra.

Mais Testes e lançamentos