Topo

Testes e lançamentos

Mitsubishi Eclipse Cross: nome clássico está de volta em SUV de R$ 150 mil

André Deliberato

Do UOL, em Porto Alegre (RS)

26/09/2018 00h00

Um dos nomes mais conhecidos da marca japonesa volta à ativa; conheça preços e versões do modelo, que estreia dia 1º de novembro

Lembra do Eclipse? Nome de um esportivo que fez relativo sucesso no Brasil durante os primeiros anos de importação de veículos de nosso país, lá nos anos 1990, ele volta ao mercado, conforme adiantado por UOL Carros no começo deste ano, com início de vendas no dia 1º de novembro. Pré-vendas podem ser feitas por um hotsite.

Só que desta vez ele não é mais um esportivo. Com o sobrenome "Cross", o Eclipse passa a ser um SUV intermediário da Mitsubishi, oferecido entre ASX e Outlander. De acordo com executivos da empresa, ele "traz a essência do cupê dos anos 1990 em um carro do momento".

Veja mais

+ Novo Volkswagen Jetta: veja os preços e versões
+ Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
+ Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
+ Instagram oficial de UOL Carros
+ Siga UOL Carros no Twitter

O visual é curioso: a frente é bela e imponente, mescla elementos do próprio Outlander e agrada pelo atual estilo de design da marca -- chamado de "Advanced Dynamic Shield" --, com faróis afilados e grade que trazem bumerangues combinados ao para-choques; já a traseira tem lanternas pequenas e uma divisória entre os vidros, assim como o estilo de Toyota Prius e do antigo Citroën C4 VT-R, que mantém a terceira luz de freio.

Na opinião de UOL Carros, o desenho do "bumbum" do Eclipse Cross é polêmico e lembra o do antigo Pontiac Aztek -- primeiro carro de "Walter White", o "Heisenberg", protagonista da série "Breaking Bad".

Segundo a marca, o caimento da coluna C é proposital, aumenta a visibilidade para a visão do retrovisor do motorista e dá ao carro aspecto de cupê, tal qual modelos como BMW X6 e X4 e Mercedes-Benz GLE e GLC Coupé. O futuro SUV Renault Arkana, que deve chegar ao Brasil em 2020, é outro carro com proposta visual parecida.

Arte sobre fotos de Murilo Góes/UOL e Divulgação
Eclipse Cross 2019 e Pontiac Aztek 2004: quem não conhece pode dizer que o primeiro é evolução do segundo Imagem: Arte sobre fotos de Murilo Góes/UOL e Divulgação

Preços e versões

+ Eclipse Cross HPE-S: R$ 149.990

Traz pacote completo de equipamentos por ser importado em versão única: faróis full-LED com DRL; lanternas em LED; ar-condicionado de duas zonas com função automática e display digital; direção elétrica; bancos elétricos dianteiros com aquecimento; interior preto e preta com detalhes metálicos, revestimento dos bancos em couro e acabamento soft-touch; bancos traseiros bipartidos; controlador de velocidade automático adaptativo (ACC); head-up display colorido; sistema multimídia com tela de sete polegadas, wifi e conexão com celulares via CarPlay e AndroidAuto; câmera-de-ré; volante multifuncional; sensores de estacionamento dianteiro e traseiro; chave inteligente (Keyless); botão para ignição; freio de estacionamento eletrônico (por botão); dois tetos solares e rodas de liga leve diamantadas de 18 polegadas com pneus Toyo.

Além disso, traz como parte do pacote de segurança sete airbags; alerta de saída de faixa (apenas aviso, sem correção de volante); sistema de frenagem de emergência e sistema de tráfego traseiro, além dos obrigatórios freios com ABS. Os bancos traseiros ainda oferecem fixação Isofix para cadeirinhas.

+ Eclipse Cross HPE-S AWD: R$ 155.990

Acrescenta ao pacote somente o sistema de tração integral inteligente "S-AWC", acrônimo de "Super-All Whee Control", expressão em inglês para "Supercontrole de todas as rodas".

Que carro é esse?

Importado do Japão, o Eclipse Cross estreia uma nova plataforma global de produção da empresa... além de um novo conjunto mecânico no Brasil. Sim, nada de motores aspirados de 2 ou 2,4 litros. O Eclipse Cross estreia em nosso país o motor Mivec 1.5 turbo com injeção direta, somente a gasolina, e câmbio CVT com simulação de oito marchas, que traz paddle-shifters no volante.

Segundo a Mitsubishi, são 165 cavalos e 25,5 kgfm de torque, estes disponíveis entre 1.800 e 4.500 rpm. São números próximos ao de motores conhecidos do mercado, como o 1.4 TSI da Volkswagen e o 1.6 THP da BMW/PSA. O turbo trabalha com 1 BAR de pressão.

Por baixo, o SUV-cupê tem suspensão independente nos dois eixos, com conjunto McPherson na dianteira e multilink na traseira. O cuidado tomado em reforços de suspensão e carroceria renderam ao carro nota máxima nos crash-tests do Latin NCAP revelados em junho passado.

Importante dizer que o caimento traseiro ao estilo de um cupê reflete diretamente no tamanho do porta-malas. O Eclipse Cross permite que os passageiros do banco traseiro reclinem um pouco os assentos para melhorar o conforto. Isso é excelente, mas nessa configuração de bancos o volume do bagageiro cai para 341 litros.

Com os bancos avançados para a frente, o volume aumenta para 488 litros. Em resumo, é pouco para um SUV médio, na opinião de UOL Carros.

Quem ele enfrenta

A Mitsubishi mira modelos específicos dessa faixa de preço, como Hyundai New Tucson, Kia Sportage, Peugeot 3008, Chevrolet Equinox e o próprio líder entre os SUVs médios, o Compass -- apesar de considerar seu carro mais equipado que o modelo da Jeep.

Além disso, também considera clientes das versões de entrada de SUVs compactos de marcas premium, como Audi Q3, BMW X1 e Mercedes GLA.

Nos planos da marca estão 300 emplacamentos por mês. Para isso, a marca também aposta em revisões com preços fixos e na garantia de três anos. São sete opções de cores: preto, bronze, azul, vermelho, cinza, prata e branco.

UOL Carros rodou com o modelo no Rio Grande do Sul no começo deste mês e publica suas impressões ao dirigir em vídeo na próxima segunda, dia 1º.

Newspress
Modelo começa a ser vendido no dia 1º de novembro e será destaque da marca no Salão do Automóvel de SP Imagem: Newspress

Mais Testes e lançamentos