Topo

Seu Automóvel

Tudo sobre o CRLVe: saiba como fazer e usar o registro eletrônico de carro

Denny Cesare/Codigo19/Folhapress
Versão digital substitui documento impresso em abordagens policiais Imagem: Denny Cesare/Codigo19/Folhapress

Alessandro Reis

Colaboração para o UOL, em São Paulo (SP)

28/08/2018 04h00

Tire 10 dúvidas sobre documento, que já vale no DF -- resto do Brasil terá app até o fim do ano

Já está em operação a versão eletrônica do CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo), documento que serve como prova de registro e propriedade do carro e é porte obrigatório.

Inicialmente, o documento virtual (chamado CRLVe) vale apenas para veículos registrados no Detran do Distrito Federal. Mas a promessa é que até 31 de dezembro faça parte da burocracia de todos os outros 26 Estados.

Sendo assim, UOL Carros faz um "Guia Rápido para usar o CRLVe", usando dicas do Denatran, para sanar as dúvidas de todos os proprietários de automóveis sobre a nova ferramenta. Após a leitura, não deixe de opinar e comentar!

Veja mais

Depoimentos: quem tem a CNH-e conta como é 
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Conheça agora o passo a passo:

1. Como você faz para ter o CRLVe?

O CRLVe é acessado pelo mesmo aplicativo para celulares e tablets, que já traz também a Carteira Nacional de Habilitação eletrônica. O aplicativo foi rebatizado como "Carteira Digital de Trânsito", reunindo a partir de agora os dois documentos.

download é gratuito e existem versões tanto para dispositivos Android quanto para aparelhos com o sistema operacional iOS. Depois de baixar ou atualizar o aplicativo, o usuário deverá adicionar o CRLV Digital, informando o número do Renavam e o código de segurança impresso no CRV (Certificado de Registro de Veículo).

Mesmo os condutores cujo Detran ainda não oferece a tecnologia já podem atualizar a CNHe ou baixar a Carteira Digital de Trânsito, que vai avisar quando o CRLVe estará disponível em seu estado. Mais informações podem ser obtidas no site da Carteira Digital do Serpro.

2. Quem já tem CNH eletrônica faz o quê? E quem não tem CNH eletrônica? 

Quem já tem o aplicativo da CNH-e instalado não precisa baixar o novo. Ele será atualizado automaticamente para a "Carteira Digital de Trânsito", caso a opção de atualização automática estiver habilitada; caso contrário, basta checar a lista de atualizações na respectiva loja virtual e fazer manualmente.

Com o novo aplicativo, é possível usar apenas o CRLVe, desde que já tenha pago o licenciamento do veículo e o Detran do seu Estado já tenha aderido à tecnologia. Da mesma forma, é possível ter a "Carteira Digital de Trânsito" somente com a CNH digital, desde que possua a carteira de motorista em papel com o QRCode.

Diferentemente da CNH Digital, cujo documento impresso tem necessariamente de trazer o QRCode, a versão física do CRLV não possui esse código, ou seja, não há esse tipo de restrição para a emissão do documento do veículo digital. Entretanto, a disponibilização do CRLV digital está condicionada aos proprietários dos veículos licenciados a partir de 2018 nos estados em que o respectivo Detran já tenha aderido à tecnologia.

3. Quanto custa o CRLVe?

Cada Detran fica encarregado de determinar se vai cobrar ou não taxa adicional.

Mas mesmo que a emissão do CRLVe seja gratuita, é preciso seguir pagando a taxa de licenciamento do veículo.

4. Para que serve o CRLVe?

As versões digitais podem substituir as versões tradicionais (de papel) em uma abordagem de trânsito. Ou seja, qualquer uma delas é válida, ainda que autoridades esperem que o uso da versão digitalizada se torne amplo, reduzindo questões como roubou ou perda do documento físico, que pode ficar guardado em um local seguro.

Da mesma forma como acontece atualmente com a habilitação virtual, a autenticidade do CRLV digital é atestado por um QR Code, que o fiscal de trânsito pode ler com a câmera do celular e permite acessar o documento atualizado, informando a data de vencimento.

Uma vantagem do CRLV-e é que seu processo de cadastro e registro é totalmente feito no aplicativo -- diferente do processo pouco intuitivo e cheio de entraves da CNH eletrônica.

5. Dá para fazer uma cópia do CRLVe? Como fica a segurança?

Assim como a CNH eletrônica, o CRLVe traz todas as informações presentes no documento impresso e permite, também, a exportação em arquivo PDF desses dados. Isso pode ser útil em necessidades que exijam documento autenticado -- nesse caso, porém, é preciso ter um certificado digital.

Esse documento em PDF possui todos os requisitos de segurança de validade da original, servindo como uma cópia autenticada em cartório -- lembrando que mesmo as cópias autenticadas não são válidas como documento original em blitzes.

Da mesma forma que a CNH, a autenticidade do CRLVe pode ser verificada por meio da leitura do QRCode que consta no documento digital.

6. Como fica o licenciamento do carro?

Para acessar o CRLVe, o proprietário tem de já ter pago o licenciamento de 2018, ou seja, se você tiver débitos pendentes relacionados ao registro do veículo, não dá para solicitar a versão eletrônica.

Antes disso, será preciso regularizar a documentação.

7. Quem tem vários veículos faz como?

O aplicativo permite adicionar mais de um CRLV digital. Para tanto, é preciso informar o número do Renavam de cada veículo e o código de segurança impresso no CRV (Certificado de Registro de Veículo) de cada um.

8. Quem não é dono do veículo pode ter o CRLVe?

Não ainda. O CRLV digital estará vinculado ao celular informado no cadastro de usuário e, para ser adicionado, exige a confirmação de dados que só o proprietário do veículo possui.

Uma funcionalidade para compartilhamento do CRLVe por pessoas que usam o mesmo veículo será disponibilizada em atualização futura.

9. Precisa ter acesso à internet para abrir o CRLVe?

Não. O acesso à internet só é necessário no primeiro momento para adicionar o CRLV Digital na Carteira Digital de Trânsito. Depois, o documento do veículo digital fica armazenado e criptografado no dispositivo e pode ser usado mesmo sem internet disponível.

10. O CRLVe é "dedo-duro"?

Essa primeira versão do CRLV digital não informa se o documento está suspenso ou cassado (por irregularidades de veículo ou registro do proprietário), mas isso pode ocorrer no futuro.

Além disso, o CRLVe apresenta, sim, o ano em que o veículo foi licenciado.

Mais Seu Automóvel