Topo

Seu Automóvel

Fiat Toro enfim passa por teste de segurança e vai bem: quatro estrelas

Do UOL, em São Paulo (SP)

21/03/2018 11h15

Picape foi testada dois anos após ser lançada no mercado e ficou perto de nota máxima; veja onde ela perdeu pontos

Lançada no Brasil há pouco mais de dois anos, a Fiat Toro enfim passou pela bateria de testes de impacto do Latin NCAP, programa de segurança viária para veículos de América Latina e Caribe. Resultado foi bom, embora não perfeito: quatro estrelas em proteção para adultos (sentados no banco da frente) e quatro para crianças (fileira traseira), de um total de cinco.

As unidades avaliadas contavam com dois airbags frontais, o mínimo exigido pela legislação brasileira. Foram realizados três testes válidos para as notas finais: frontal a 64 km/h, lateral a 50 km/h e "teste do alce" para avaliar o controle eletrônico de estabilidade.

Em todos eles os resultados foram considerados "bons", gerando 29,4 pontos de 34 possíveis em proteção para adultos e 36,9 de 49 possíveis para crianças.

Veja mais

+ Onix se reforça e tira nota mais digna; assista
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Onde ganhou (e perdeu) pontos

Comportamento da carroceria e do habitáculo de sobrevivência foi considerado "bom" e "estável" pelo Latin NCAP em todas as provas, em que pese o estepe ter se desgarrado do chassi e "voado" na avaliação da batida frontal.

A picape ganhou pontos ainda por oferecer cintos de três pontos em todas as posições e ganchos para ancoragem de cadeirinhas infantis Isofix na fileira traseira, além de ter "gabaritado" o teste de funcionamento do controle eletrônico de estabilidade (realizado com neve na pista, já que as provas aconteceram no inverno da Alemanha).

Alguns detalhes, porém, impediram a aplicação da nota máxima. No impacto dianteiro, por exemplo, o órgão auferiu nível apenas "adequado" de segurança para os passageiros adultos na região do peito dos dois ocupantes da fileira dianteira, bem como nos joelhos e pernas do motorista.

Já na colisão lateral a 50 km/h a proteção para o tórax do passageiro adulto do banco da frente foi considerada meramente "marginal", sintoma da ausência de airbags laterais e de cortina (oferecidos apenas como opcionais).

O Latin NCAP também avaliou uma unidade dotada de seis bolsas infláveis (dianteiras, laterais e de cortina) no teste de poste a 29 km/h, e considerou o resultado "bom". Entretanto, como tais itens são oferecidos só como opcionais e estão presentes em percentual muito baixo de exemplares comercializados em toda a América Latina, o resultado não foi levado em consideração para formulação das notas.

A bateria de testes foi patrocinada pela FCA.

Veja como se saiu a Toro no "teste do alce"

UOL Carros

Mais Seu Automóvel