Salão de São Paulo

GM define Chevrolet Tracker em R$ 79.990 iniciais para causar e vender

Leonardo Felix

Do UOL, em São Paulo (SP)

18/11/2016 12h28

GM usará suvinho para estrear novo método de campanha 100% digital

Esqueça Fantástico, Jornal Nacional ou novela das oito. A nova forma de "bombar" um lançamento é usando a internet (saiba mais sobre a campanha aqui). A General Motors levou a ideia ao extremo e iniciou nesta sexta-feira (18) uma campanha 100% digital para apresentar o Tracker 2017 ao Brasil.

Preços já estão definidos, em faixa já adiantada por UOL Carros: R$ 79.990 para a versão de entrada LT (motor 1.4 turboflex e transmissão automática de seis marchas); R$ 89.990 para a de topo LTZ; e R$ 92.990 para a LTZ com opcional de seis airbags.

Online e conectado

Chegada às lojas do Tracker está prevista para dezembro.

Executivos da marca explicaram, em conversa com a reportagem de UOL Carros no Salão de São Paulo, que todo o orçamento publicitário do modelo foi destinado a redes sociais e veículos de comunicação na internet, em campanha que começa este mês e será estendida até dezembro de 2017.

Para se ter uma dimensão, durante as primeiras 24 horas da ação a fabricante terá exclusividade nos anúncios publicitários em vídeos assistidos por brasileiros no YouTube. De acordo com a GM, é a primeira vez que o canal pertencente ao Google fará isso no mundo.

O que o novo Tracker tem

Foram tantas as alterações feitas no Tracker que a GM trata o modelo praticamente como uma nova geração -- apesar de ser, na prática, um facelift pesado de meia-vida.

Além da dianteira inspirada no Cruze (e um pouco no Ford Kuga), o modelo contará com motor 1.4 turboflex da família Ecotec (150/153 cv com gasolina/etanol) e transmissão automática de seis marchas. Não há opção de câmbio manual, pelo menos por enquanto.

Segundo a fabricante, a nova motorização deixará o suvinho entre 15% e 20% mais econômico. No programa de etiquetagem do Inmetro ele aparece com nota A no segmento (o que é bom) e apenas C no geral (um tanto decepcionante), com médias de 7,3/8,2 km/l (etanol) ou 10,6/11,7 km/l no respectivo ciclo de cidade/estrada.

Recheio traz itens inéditos para o utilitário, apesar de já vistos em outros modelos da Chevrolet: partida por botão com sistema liga-desliga automático em paradas breves; central MyLink com projeção de celulares; OnStar (monitoramento e concièrge); faróis e lanternas com guias em LED; central multimídia MyLink, com projeção de celulares via Apple CarPlay e Android Auto; retrovisores externos com alerta de ponto cego; e teto solar elétrico.

Não foi desta vez, porém, que o utilitário recebeu controle de estabilidade e tração, item já presente em muitos de seus concorrentes -- Honda HR-V, Jeep Renegade, Nissan Kicks, Peugeot 2008, Ford EcoSport...

Meta é fazer o Tracker brigar para ser um dos três utilitários compactos mais vendidos do Brasil.

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Salão de São Paulo

Topo