Salão de São Paulo

Volkswagen mata Jetta nacional para fazer futura família do Gol

Eugênio Augusto Brito/UOL
Gol GT Concept relembra carros dos anos 1980, mas pode apontar futuro Imagem: Eugênio Augusto Brito/UOL

André Deliberato
Karina Craveiro

Do UOL, em São Paulo (SP)

09/11/2016 10h00

Marca investe R$ 7 bilhões para quatro novos carros

A Volkswagen anunciou durante seus 25 minutos de conferência no Salão do Automóvel, na terça-feira (8) que irá investir R$ 7 bilhões até 2020 no Brasil para produzir quatro novos modelos. Elétricos? Híbridos? Nada disso.

Será a nova família Gol, conforme antecipado pelo colunista de UOL Carros Fernando Calmon. Além do hatch Gol, o sedã Voyage, um totalmente novo Fox e a picape Saveiro devem compor a linha. 

UOL Carros apurou ainda que todos serão produzidos sobre uma inédita plataforma MQB A0, mais compacta que a MQB de Golf e Audi A3, que será construída na fábrica de São Bernardo do Campo (SP). Eles serão produzidos no mesmo espaço onde o Jetta nacional era produzido há até poucos dias.

Sim, o Jetta nacional que chegou às lojas em julho do ano passado não existe mais. Fontes ligadas à marca, que preferiram não se identificar, afirmaram a UOL Carros que atualmente o espaço é destinado à produção de bancos -- vale lembrar que entre agosto e setembro as quatro plantas da marca no país ficaram paradas por "falta de fornecimento de peças" (leia-se bancos).

Oficialmente, a VW confirmou que a fabricação do sedã no Brasil foi suspensa justamente para adaptação do espaço à nova plataforma, que deve fornecer à empresa estes quatro novos produtos, "mais rentáveis que o Jetta". A entrega de todas as versões do sedã fica 100% a cargo do México a partir de agora. 

O que mais? Gol GT, Golf GT e Kombi!

Gol em traje esportivo, chamado de GT, tem apenas duas portas, frente inspirada no Golf, apliques exclusivos na carroceria e pintura cinza especial com detalhes em vermelho. Na traseira, spoiler e dupla saída de escapamento. Por dentro, os bancos são esportivos e têm costura vermelha. Por ser apenas um mocape (carro sem motor que apenas imita um modelo de produção), seus dados técnicos não foram revelados.

Mas muitas novidades podem sair deste conceito, que bebe na fonte do Gol 1.8 GT de 1984. Fullpower mostra os detalhes do Gol GT aqui.

Para o chefe de design da Volkswagen da América Latina, José Carlos Pavone, o visual do Gol GT é "bastante vendável", embora ainda não existam planos para sua produção. "O salão é um termômetro. O Gol GT é um estudo e faz tempo que queríamos dar uma roupagem esportiva ao Gol. Este ano tive a chance de desenvolver, quem sabe não sai do papel? Isso vai depender da reação do público", afirmou.

Ainda entre as novidades está o Budd-e, uma espécie de "Kombi do século 21" que tem motor elétrico com bateria recarregável em trinta minutos (80%) e autonomia de 533 quilômetros. Promete ser um dos carros mais visitados do estande da marca. O T-Cross Breeze, revelado no Salão de Genebra deste ano. E o Golf GTE Concept, híbrido com dois motores elétricos de 115 cv e um 1.6 a gasolina turbo de 299 cv.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Salão de São Paulo

Topo