Carros

PSA aguarda reação do Brasil para fazer motor 1.2 com turbo

Newspress
2008 reestilizado, apresentado no Salão de Genebra, deve chegar em 2018 turbinado Imagem: Newspress

Leonardo Felix

Do UOL, em Fortaleza (CE)

06/04/2016 08h00Atualizada em 08/04/2016 11h56

O lançamento do motor PureTech 1.2 3-cilindros, nas versões de entrada da linha 2017 do compacto premium Peugeot 208, abre novos horizontes para o grupo PSA recuperar prestígio, tecnologia e vendas no mercado brasileiro.

Divulgação
Após debutar no 208, tornando-o no papel o carro "mais econômico do Brasil", propulsor PureTech 3-cilindros já tem novo destino certo: Citroën C3 Imagem: Divulgação
Uma das movimentações já está certa, segundo apurado por UOL Carros: o propulsor flex de 90 cv e injeção eletrônica multiponto, tido como o mais econômico à disposição no Brasil atualmente, vai ser usado também no Citroën C3 reestilizado, que estreia no Salão de São Paulo, em novembro.

Mas não para por aí. Por enquanto, o motor virá importado da França, mas seguem estudos para nacionalizar a produção em 2017, criando até uma derivação turbo de injeção direta -- esta não chega antes de 2018.

Quando for confirmada, será configurada para atingir dados semelhantes aos vistos na Europa: cerca de 130 cv de potência e 25 kgfm de torque (há outra calibração de 110 cv por lá).

O lançamento seria preparado para um facelift do 2008 e, depois, aproveitado na nova plataforma compacta EMP1, criada junto com a chinesa Dongfeng e que tende a estrear por aqui com o substituto do Aircross.

Fim do L4

Mesmo sem o pequeno motor turbo, a PSA já trabalha para acoplar, em sua gama de compactos, a transmissão automática de seis velocidades que já equipa modelos de porte médio, como DS 3, peugeot 308/408 e Citroën C4 Lounge. Seria o fim da obsoleta caixa de quatro marchas.

A fabricante tentará encaixar o AT6 ao propulsor 1.6 aspirado, com estreia prevista ainda para este ano, no Aircross (a informação é do site Autos Segredos). 

Divulgação
Por enquanto, propulsor 1.2 de 90 cv vem importado da França Imagem: Divulgação

Cautela

Para isso, porém, o mercado interno e o próprio grupo precisarão dar sinais de reação nos próximos meses e anos. Quem afirmou foi o presidente da PSA para a América Latina, Carlos Gomes. "Não faz sentido fabricar o motor 1.2 aqui sem volume próximo a 100 mil unidades [ao ano]", afirmou.

Em 2015, as duas marcas somadas emplacaram 55.187 carros no Brasil. A meta imposta pelo chefão da companhia representaria, portanto, dobrar as vendas internamente, algo impensável no cenário atual do setor. Saída para tornar a produção local viável, então, seria selar a exportação do propulsor (ou pelo menos partes dele, como o bloco) e dos modelos empurrados por ele a mercados próximos.

Outro fator decisivo é o encerramento da primeira fase do Inovar-Auto, no fim de 2017. A partir de 2018 há incertezas sobre quais serão as exigências relacionadas a índices de nacionalização e eficiência energética.

Com sua hipotética extinção, mais um cenário de aprofundamento da crise, a fabricante não teria pudor em estender a vida útil de velhos trens-de-força a fim de conter custos, mantendo o 1.2 como importado.

Há o outro lado: nacionalizar o PureTech 3-cilindros deixaria a PSA com aproximadamente 90% de componentes nacionais à disposição para manufatura em Porto Real (RJ), índice que a tornaria mais competitiva, rentável e menos suscetível às oscilações de moeda.

Como é o motor Pure Tech

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo