Carros

Volks lança Golf Variant a R$ 87.490 e sonha vender como nunca

Leonardo Felix

Colaboração para o UOL, em Indaiatuba (SP)

22/05/2015 14h00Atualizada em 22/05/2015 15h19

Nos últimos anos, perua média da Volkswagen era Jetta Variant. Isso porque o país ficou um bom tempo defasado em relação à Europa e ao hatch Golf -- enquanto a marca mantinha o Golf 4 vivo, o resto do mundo viu quinta e sexta geração nascerem (e se aposentarem). Assim, restava apenas receber a configuração familiar do México com o nome usado naquele mercado. Tudo mudou e segue se alterando com o retorno do Golf mais atual, em sua sétima geração, a partir 2013.   

Como o Golf 7 já roda por aqui há quase dois anos -- e até será produzido em São José dos Pinhais --, a marca aproveita e corrige também a disparidade do modelo familiar, algo que UOL Carros também havia apontado em 2013. Ainda importada do México, a linha 2016 da station wagon média chega às lojas até o final do mês como o nome de Golf Variant, como na Europa, com preço inicial de R$ 87.490. São duas versões:

- Volkswagen Golf Variant 2015 Comfortline: R$ 87.490
O motor é o mesmo 1.4 TSI turbo que equipa o hatch, da família EA211, movido a gasolina e capaz de gerar 140 cv de potência (entre 4.500 rpm e 6.000 rpm) e 25,5 kgfm de torque (entre 1.500 rpm e 3.500 rpm). Ele é acoplado à transmissão DSG, automática de sete marchas com opção de trocas sequenciais manuais. De série, são: sete airbags, freios ABS (obrigatórios), alerta de pressão dos pneus, ar-condicionado, assistência de partida em rampa, conjunto elétrico (vidros, travas e espelhos), faróis de neblina com função auxiliar em curvas, sensor de estacionamento (dianteiro e traseiro), sistema multimídia com CD/MP3-Player, conexão Bluetooth e entrada USB, sistema start-stop e volante revestido em couro. As rodas são de liga leve de 17 polegadas.

Opcionalmente, a Volks oferece o pacote Elegance, a R$ 4.500, com volante multifuncional com aletas para trocas de marcha, controlador automático de velocidade (piloto automático) e rodas aro 17 com desenho diferenciado. O pacote Exclusive, R$ 8.890, acrescenta GPS com atualização automática de mapas.

- Volkswagen Golf Variant 2015 Highline: R$ 94.990
Traz de série, além dos itens da Comfortline, ar-condicionado de duas zonas, bancos de couro, controlador automático de velocidade (piloto automático), sensor de chuva e luminosidade e volante multifuncional com comandos do sistema multimídia.

Os pacotes para a versão são: Elegance, de R$ 5.820, com rodas de 17 polegadas diferenciadas, sistema de seleção de ajustes que identifica o perfil do motorista, GPS com comandos por voz, abertura das portas por meio da chave presencial e partida do motor por botão. O Exclusive vai a R$ 15.700 com todo o conteúdo do Elegance e mais faróis bixenônio com LED diurno, assistente de luz para o farol alto e o ACC (controle de cruzeiro automático) com front assist e freios de emergência (que identificam a iminência de uma batida e freia o carro automaticamente).

Há ainda o pacote Premium, de R$ 26.670, tem todo o conteúdo anterior acrescido de itens como a regulagem elétrica do banco do motorista, sensor detector de fadiga e sistema de info-entretenimento "Discovery Pro", com tela de oito polegadas multitoque e atualização automática de mapas para o navegador.

À parte, para qualquer versão, é vendida a pintura metálica (R$ 1.200) ou perolizada (R$ 1.700). O teto solar elétrico, avulso, custa R$ 5.300.

Da dianteira à coluna central, a Golf Variant é idêntica ao primo hatch. A partir dali, o carro ganha características habituais de uma perua, com portas traseiras maiores, vidros laterais  extras e desenho exclusivo na traseira. Ao todo, a wagon é 30,7 centímetros mais comprida do que o Golf convencional, o que a deixa com 1.357 quilos em ordem de marcha (contra 1.218 kg do dois-volumes). O porta-malas comporta até 605 litros de bagagem, quase o dobro do hatch (313 litros).

Leonardo Felix/UOL
Ficou tudo alinhado: cara (e tecnologia) de Golf 7, corpão de carro de família Imagem: Leonardo Felix/UOL

Sonhando alto

Com a adoção da "grife" Golf, a Volkswagen passa a ter pretensões bastante ousadas para a perua média. Segundo executivos da marca, o objetivo logo para 2015 é de entregar entre 2.000 e 2.500 unidades.

É um volume tímido na comparação com as metas do hatch Golf (mais de 16 mil unidades foram vendidas em 2014) e mesmo do sedã Jetta (mais de 10 mil emplacamentos no último ano). Mas também é um número que foge completamente do padrão do segmento de station médias e grandes.

Em 2014, o segmento inteiro de peruas médias emplacou menos de 300 unidades. O líder histórico é um modelo importado da Alemanha: a perua Audi A4 Avant mantém média de 170 unidades registradas a cada ano. Em 2013 acabou ofuscada pelo esforço derradeiro da Renault, que queimou o estoque final da station Mégane a menos de R$ 50 mil e conseguiu recorde de... 200 unidades. 

Se atingir o objetivo, a Volks terá ido além da mera mudança (de nome). Terá feito uma revolução.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo