Carros

Contra novos rivais, Duster 2016 fica até R$ 1.000 mais barato; vale?

Leonardo Felix

Colaboração para o UOL, em Brotas (SP)

01/04/2015 20h13

Até 2014, a briga interessante no segmento de SUVs compactos era apenas entre Ford EcoSport e Renault Duster. Veio 2015, e Honda HR-V e Jeep Renegade chegaram para acabar com o sossego dos líderes. Durante o lançamento do Renault Duster 2016, na última terça-feira (31 de março), chamou a atenção de UOL Carros a estratégia de redução de preços propagada pela Renault: as versões Expression e Dynamique 1.6 (esta última, responsável por quase 70% dos emplacamentos) ficaram R$ 500 e R$ 1 mil, respectivamente, mais baratas do que na linha 2015. Os novos preços partem de R$ 62.990R$ 67.990.

No teste por ruas e estradas de terra da região de Campinas (SP), constatamos que o tempo passou para o SUV: quando equipado com motor de 1,6 litro e tração dianteira, o Duster mostra o quanto o motor Hi-Power 1.6 flex, de 110/115 cv e 15,1/15,9 kgfm (gasolina/etanol), e o câmbio manual de cinco marchas deixam o carro defasado em relação a concorrentes mais novos e com trens-de-força atuais. Devido ao uso de plataforma antiga e conjunto mecânico fraco para a proposta, embora ligeiramente recalibrado, o motor 1.6 sofre para empurrar os mais de 1.258 quilos do utilitário. Já o câmbio manual de cinco marchas oferece engates por vezes imprecisos, especialmente o da ré.

Há o alento do espaço interno amplo, embora falte equipamento: apenas a central multimídia renovada se destaca.

Sem tantos predicados, a Renault vai na contramão dos recentes reajustes provocados pela alíquota cheia de IPI e tenta uma carta agressiva para deixar a versão mais vendida do Duster abaixo da média do segmento, evitando assim bater de frente com os rivais. A meta é atrair quem quer um SUV, mas não está disposto a pagar mais de R$ 70 mil por um. A Renault afirma categoricamente que dá para manter o volume de vendas do Duster -- 48 mil unidades em 2014. Diante de um segmento tão arejado e modernizado, difícil de acreditar.

Direção hidráulica; travas e vidros elétricos (com função um-toque apenas no vidro do motorista na versão Dynamique); volante e banco do motorista com regulagem da altura; ar-condicionado manual; desembaçador do vidro traseiro; faróis com máscara negra; faróis de neblina; para-choques na cor da carroceria; rodas de liga leve aro 16 polegadas; retrovisores externos com capas pretas e ajuste elétrico; sensor de estacionamento traseiro; computador de bordo; tomada 12V no porta-malas; barras longitudinais com o nome do modelo no teto; e os obrigatórios airbags dianteiros e freios com sistema ABS (antitravamento) completam o pacote. 

Bancos de couro, piloto automático com limitador de velocidade e câmera de ré -- os dois últimos estavam presentes na unidade testada --, são opcionais. A garantia é de três anos ou 100 mil quilômetros, com revisões anuais ou a cada 10 mil km.  

Mudou no que pôde

Visualmente, o Duster conseguiu ficar mais limpo e moderno: na dianteira, faróis com contornos mais marcantes nos canhões de luz seguem o estilo do Dacia Duster europeu e da nova geração de Logan e Sandero no Brasil; a grade frontal antecipada pela picape-conceito Oroch, no Salão de São Paulo 2014, traz faixa horizontal dupla em preto e discretas divisórias menores ao fundo. 

Murilo Góes/UOL
Lanterna traseira com filete em LED é o que de mais moderno o Novo Duster tem Imagem: Murilo Góes/UOL
Na traseira, o desenho das lanternas está mais arrojado e integrou filete vertical sinuoso em LED. Já a faixa horizontal que leva o nome "Duster", acima do nicho da placa, teve as cores invertidas (base preta e letras cromadas). Ambos para-choques contam com destacado aplique em prata-fosco. 

Ao entrar na cabine, observa-se rearranjos no quadro de instrumentos (com iluminação mais clara e computador de bordo digital reposicionado no canto direito), saídas de ar (agora com bordas em tom marrom) e entorno da tela multimídia (a decoração é toda em preto piano e os botões estão reposicionados).

O sistema Media Nav ficou ainda mais esperto na versão "Evolution", dando informações de trânsito em tempo real -- mas apenas em algumas capitais, como São Paulo e Rio --, temperatura ambiente e dicas de direção econômica, além de acesso a mídias sociais conversando com aplicativo no smartphone. Por outro lado, a tela segue demasiadamente baixa, longe do campo de visão do condutor.
Murilo Góes/UOL
Por dentro, Renault reorganizou comandos e redecorou o painel com elementos em preto piano; pode parecer mais harmonioso, mas ficou pouco funcional Imagem: Murilo Góes/UOL
A posição de diversos comandos incomoda: além de pouco intuitiva -- é impossível acionar a função "Eco" (que ativa a direção econômica) sem tirar o olho da estrada --, a regulagem dos retrovisores elétricos foi mantida sob a alavanca do freio de mão, em local ruim para movimentar as mãos.

Murilo Góes/UOL
Motor 1.6 flex, de 110/115 cv e 15,1/15,9 kgfm (gasolina/etanol), empurra os 1.258 quilos do SUV com dificuldades Imagem: Murilo Góes/UOL
Por outro lado, o consumo de combustível está bom: em trecho de mais de 300 quilômetros que mesclou rodovias, estradas de terra e cidade, o Duster Dynamique 1.6 atingiu média de mais de 10 km/l, com gasolina, chegando a aferições instantâneas de até 25 km/l em situações favoráveis. O modelo recebeu ganhou nota A do Programa Brasileiro de Etiquetagem do Inmetro nas versões com transmissão manual, e nota B para a automática.

Espaço e conforto, o Duster continua a oferecer de sobra -- não há mudanças nas dimensões. O porta-malas, por exemplo, comporta 475 litros nas configurações 4x2, contra 260 do Renegade. Esta talvez seja a qualidade mais forte do utilitário.

Confira, por fim, os preços e versões do Duster 2016:

+ Expression 1.6 manual: R$ 62.990
Motor Hi-Power 1.6 flex, de 110/115 cv e 15,1/15,9 kgfm (gasolina/etanol); câmbio manual de cinco marchas; direção hidráulica; travas elétricas; vidros dianteiros elétricos; volante e banco do motorista com regulagem da altura; ar quente; desembaçador do vidro traseiro; faróis com máscara negra; rodas de ferro aro 16 polegadas; retrovisores na cor preta; rádio com CD, MP3, conexão Bluetooth e entrada USB; alarme perimétrico; barras longitudinais com o nome do modelo no teto; e os obrigatórios airbags dianteiros e freios com sistema ABS (antitravamento).

+ Dynamique 1.6 manual: R$ 67.990 
Mesmos itens do Duster Expression 1.6, mais: vidros traseiros elétricos; sistema multimídia Media NAV; faróis de neblina; para-choques na cor da carroceria; rodas de liga leve aro 16 polegadas; piloto automático; retrovisores externos com ajuste elétrico; sensor de estacionamento traseiro; computador de bordo; tomada 12V no compartimento traseiro; e vidros do motorista com comando one touch.

+ Dynamique 2.0 manual: R$ 72.990
Troca o motor pelo Hi-Power 2-litros, também bicombustível, capaz de render 143/148 cv e 20,2/20,9 kgfm, e câmbio manual de seis velocidades.

+ Dynamique 2.0 automático: R$ 75.990
Mesmos itens do Duster Dynamique 2.0 manual, porém com transmissão automática de quatro marchas.

+ Dynamique 2.0 manual 4x4: R$ 78.490
Mesmos itens do Duster Dynamique 2.0 manual, mais: tração integral e rodas na cor cinza escuro.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo