Carros

Anti-fracasso, Honda Civic "made in USA" estreia no Salão de NY

Do UOL, em São Paulo (SP)

01/04/2015 17h55

Um carro a ser esquecido: este é o Honda Civic de nona geração no mercado americano. Apresentado em 2011, o modelo foi duramente criticado pelo exigente consumidor dos Estados Unidos e acabou mudando apenas 18 meses após o lançamento. Além disso, por conta da recepção fria, a Honda já havia avisado em 2012 que a vida do modelo seria curta. E cumpriu a promessa nesta quarta-feira, dia 1º de abril, no Salão de Nova York, com a apresentação do Civic Concept, que antecipa os traços da 10ª geração do modelo médio.

Divulgação
Nona geração do Civic nos EUA: criticado por ser sem graça demais Imagem: Divulgação
Atenção! Embora tenha tido vida dura e curta nos EUA, o Civic de nona geração foi bem recebido no Brasil, onde acaba sendo um carro de perfil diferente, comprado sobretudo por empresários de mais de 45 anos, que não se agradam com o estilo mais sóbrio do rival Corolla. Ainda assim, e embora siga sendo atualizado nacionalmente, o novo modelo também nunca ameaçou o carro da Toyota em vendas por aqui.

De volta a Nova York, os executivos da Honda avisaram, ao expor o conceito na chamativa cor verde cítrica: "essa é uma estreia global para mudar o jogo". Embora ainda possa ser reconhecido como um Honda, sobretudo por conta da grade frontal que se mescla ao conjunto óptico em solução praticamente idêntica ao do HR-V, este protótipo pode ser classificado como inovador. O estilo choca: é um cupê derivado de hatch que guarda semelhanças tanto com o Type R europeu quanto com o coreano Hyundai Veloster. Em contraponto, a nona geração foi introduzida em 2011 com um conceito em forma de cupê alongado (derivado de sedã), que depois se tornou o Civic Si. 

Made in USA

E chocar, mudar de rumo, é justamente a ideia dos Centros de Pesquisa e Desenvolvimento da Honda em Los Angeles e Ohio -- a filial americana assumiu a coordenação da equipe global de criação da nova geração para evitar os erros do modelo atual.

Além da plataforma, o Honda Civic 2016, que será anunciado até o final deste ano tomando este conceito como base, promete ter ainda novos trens-de-força. Os detalhes somente serão divulgados quando o modelo real for revelado, mas a empresa adianta o uso da nova família VTEC Turbo.

Novidades também na carroceria. O modelo será feito com novo processo modular, que vai alinhar toda a produção mundial. Traduzindo: a décima geração do Civic permitirá que todos os mercados contem com as configurações hatch, sedã, cupê e com o esportivo Si, se houver relevância comercial. Atualmente, o mercado das Américas (incluindo o Brasil) convive apenas com sedã e cupê esportivo, enquanto Europa e Ásia têm ainda as configurações hatch e perua, além do Type R, de performance.  

O que isso vai mudar na trajetória do Civic? No momento é difícil dizer. A Honda americana, porém, se diz feliz em anunciar a volta do Civic hatch após nove anos de hiato, ao mesmo tempo em que afirma esperar vender mais do que as 9 milhões de unidades projetadas para este ano.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo