Carros

Volkswagen troca Golf alemão pelo mexicano sem mudar os preços

Murilo Góes/UOL
A partir de agora, todas as versões do Golf (inclusive a de topo GTI, a da imagem) terão origem mexicana até a nacionalização do hatch, no segundo semestre de 2015 Imagem: Murilo Góes/UOL

Do UOL, em São Paulo (SP)

27/11/2014 15h03

Quem for até uma concessionária da Volkswagen para comprar um Golf nesta semana tem grandes chances de não levar mais para casa uma unidade alemã.

A Volkswagen do Brasil anunciou, nesta quinta-feira (27), que já iniciou a importação do Golf mexicano ao mercado brasileiro, em substituição às que vinham da Europa. Pelos próximos meses, o hatch médio virá da fábrica de Puebla, até ter sua produção nacionalizada, na unidade de São José dos Pinhais (PR), no segundo semestre de 2015.

O modelo continua a ser vendido em três versões: Comfortline (R$ 69.510), Highline (R$ 75.830) e GTI (R$ 102.680). Não houve mudança nos preços -- os valores também não devem mudar muito quando começar a montagem em solo brasileiro, embora a montadora não confirme.

As duas primeiras versões usam o motor 1.4 TSI, de 140 cavalos de potência e 25,5 kgfm de torque, com transmissão manual de seis marchas ou automática DSG de sete velocidades. Já a última vem equipada com o TSI de 2 litros e 220 cv, acoplado ao câmbio automático DSG de seis marchas. Ambos são turbocomprimidos e com injeção direta.

Lançada em setembro do ano passado no Brasil, a sétima geração do Golf teve sua fabricação em solo nacional confirmada há pouco mais de um ano. Para isso, a montadora está investindo R$ 520 milhões na adaptação da fábrica da região metropolitana de Curitiba. 

Quando passar a ser verde-e-amarelo, o Golf marcará a estreia da plataforma global MQB no Brasil, que também será usada na montagem do Audi A3 Sedan, no mesmo complexo de São José dos Pinhais, a partir do fim do ano que vem.

PERUA VEM AÍ
Conforme antecipou UOL Carros no Salão de São Paulo 2014, a Volkswagen já prepara a importação da nova geração da Golf Variant (antes vendida no país como Jetta Variant, mas que teve o nome trocado já que o modelo passou a usar a mesma plataforma do hatch).

Embora não haja confirmação, fontes da marca confirmaram à nossa reportagem que a perua deve mesmo vir na configuração que estava exposta no Anhembi: motor 1.4 turbo e transmissão automatizada de dupla embreagem e sete velocidades, porém sem o pacote esportivo R-Line. A chegada será no primeiro semestre de 2015.

Por enquanto, a montadora descarta chances de produzir esta configuração no Brasil. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo