Carros

Novo Ford Edge vem como conceito no Salão de SP para ser real em 2015

Murilo Góes/UOL
Paris é primeiro mercado a ver o novo Edge de produção; Brasil terá o SUV em 2015 Imagem: Murilo Góes/UOL

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em Paris (França)

03/10/2014 20h14

O público do Salão de Paris será o primeiro em todo o mundo a ver a terceira geração do Ford Edge exposta com um exemplar real, de produção. Antecipado como um conceito quase idêntico em novembro do ano passado, no Salão de Los Angeles, e revelado em junho, o SUV grande faz sua aparição de forma estratégica: será vendido pela primeira vez na Europa e precisa conquistar um consumidor acostumada a um modelo menor da marca americana, o Kuga.

Em outubro, será a vez do brasileiro ter um vislumbre do novo modelo -- não irá além da impressão, porém. Segundo fonte ligada à Ford, ouvida por UOL Carros no parque de exposição de Porte de Versailles, apenas o conceito será exposto no Salão do Automóvel de São Paulo, não o carro real, que não deve chegar a tempo. Tudo será compensado por uma chegada rápida do SUV às lojas, em 2015.

O fato da Ford do Brasil importar o SUV diretamente do Canadá facilita esta tomada de posição da marca, ainda que encareça o modelo para o consumidor por conta da impossibilidade de isentá-lo do imposto de importação. O Edge começará a ser entregue pela unidade de Oakville no final de 2014 e chegará ao nosso mercado no período inicial do próximo ano.

A fábrica acaba de contratar 1.000 trabalhadores após investimento de 700 milhões de dólares canadenses (R$ 1,5 bilhão) para renovar e reforçar a linha de produção de modo a atender uma demanda globalizada -- serão 100 mercados atendidos, incluindo América do Norte, Europa e Brasil.

Mike Blake/Reuters
Esse é o Edge conceitual que estará no Salão de SP; conseguiu notar diferenças? Imagem: Mike Blake/Reuters
TEM MOTOR NOVO E ESTACIONA SOZINHO
Tecnologia é o ponto forte do novo Edge. Câmeras frontal e traseira, sensores e sistemas integrados prometem experiência única a bordo do SUV, mas também fora dele. Há o controle de cancelemento de ruído do exterior, que promete isolar totalmente os ocupantes do resto do mundo. O condutor tem ainda assistência eletrônica para acelerar e frear (controle de cruzeiro adaptativo), trocar de faixa (sistema de ponto cego), manobrar em baliza, estacionar de ré e até mesmo fazer isso longe do carro (estacionamento autônomo por controle remoto).

Há ainda nova versão do sistema Sync de conectividade presente também nos novíssimos Ka (nacional) e Mustang (que acabou de ser apresentado e já foi visto e avaliado por UOL Carros), que une comandos por voz e aplicativos integrados ao celular para comandar do ar-condicionado ao sistema de navegação por GPS.

Novidades também sob o capô, que pode trazer um motor de apenas 2 litros e quatro cilindros, heresia para alguns. O Ecoboost é da mesma família de Fusion e Mustang 2015 e aqui gera 245 cv de potência com ótimo torque: 37,3 kgfm de torque. É tradicional? Siga no V6 aspirado de 3,5 litros e 289 cv atual, que se mantém em linha. Saiba, porém, que há nova opção de 2,7 litros e dois turbos para entregar mais de 300 cv. Ou seja: os motores menores são os melhores aqui. A Europa ainda verá opções a diesel de 180 e 210 cv. O câmbio é um só: automático de seis marchas.

Faltou um detalhe, o preço, mas ainda há bastante tempo para uma definição. A geração atual é importada or preços que variam de R$ 131.490 a R$ 161.590, sempre com motor V6.

Murilo Góes/UOL
Apesar das lanternas similares às usadas no Fusion, traseira dá estilo oriental ao Edge Imagem: Murilo Góes/UOL
SÓ ISSO?
Esta foi a principal novidade que podemos tirar para o mercado brasileiro, mas a apresentação da Ford em Paris foi -- de fato -- focada em modelos mais atraentes ao europeu: as novas vans C-Max, C-Max com carroceria estendida e S-Max, baseadas na plataforma do Focus. O sedã, aliás, estreia seu face-lift na Europa -- o Brasil vai esperar um pouco mais, como já havia revelado UOL Carros, mas não muito: a nova frente e equipamentos chegam em algum momento (ainda indefinido) de 2015. O que se pode dizer é que, por conta disso, devemos continuar sem qualquer chance de ver as atuais versões dos esportivos da linha ST.

Os europeus também terão seu primeiro contato com o Mustang, algo histórico (a exemplo do que ocorre no Brasil, o pony car nunca foi vendido oficialmente no Velho Continente. Agora, chega nas carrocerias aberta (conversível) e cupê, mas traz novas lentes de lanternas (translúcidas), faróis e de repetidores de setas.

Viagem a convite da Anfavea

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo