Carros

Ford confirma novo Mustang no Brasil, mas lançamento pode ficar para 2016

Claudio Luís de Souza

Do UOL, em Los Angeles (EUA)

24/09/2014 03h29

Está confirmado: o novo Mustang será vendido no Brasil por importação oficial da Ford, com garantia de fábrica e assistência na rede autorizada. A data para o lançamento do histórico esportivo em nosso país ainda não está definida.

É impossível que seja neste ano e improvável que seja em 2015. Um prazo de até 18 meses -- ou seja, no primeiro semestre de 2016 -- parece mais realista, a julgar pelo que se ouve dos executivos da empresa.

Eles disseram aqui em Los Angeles, num encontro com a mídia sul-americana na noite desta terça-feira (23), que a chegada do Mustang ao nosso país é muito mais complicada do que simplesmente pegar os carros na fábrica de Flat Rock (Michigan), que abastecerá nada menos que 120 países, e despachá-los pelo mar.

Uma das dificuldades é o ajuste para rodar com nossa gasolina, que contém até 25% de etanol -- substância que pode corroer partes do motor.

Divulgação
Mustang 2015: o que era só americano virou global; Brasil espera mais Imagem: Divulgação
Segundo Prakash Patel, engenheiro indiano que gerenciou o projeto da 6ª geração do Mustang, o fato de os motores fabricados nos Estados Unidos aceitarem o E10, nome local da gasolina com 10% de etanol (na verdade, aceitam até E15), não significa que possam ser abastecidos com E25 no Brasil. "É preciso fazer adaptações", disse Patel. Questionado por UOL Carros sobre um prazo mínimo para viabilizá-las, foi direto: "Um ano".

Portanto, sendo (muito) otimista e contando a partir do mês que vem, quando começam as vendas do Mustang aqui nos EUA, o modelo só seria importado ao Brasil em outubro de 2015.

A promessa feita repetidas vezes pela Ford verde-amarela, de oferecer localmente todos os carros globais da marca até 18 meses depois do lançamento nos EUA/Europa serve para fixar a data mais distante: abril de 2016.

Divulgação
Mídia dos EUA relatou aplausos ao novo Mustang em LA; você vai ter de esperar Imagem: Divulgação
Outra variável são as eleições presidenciais. Todas as montadoras que trabalham com importação, independentemente da quantidade de carros envolvida, aguardam para saber se terão no Planalto mais quatro anos de Dilma Rousseff (PT), cujo governo alterou significativamente algumas regras do setor automotivo, ou se Marina Silva (PSB) ou Aécio Neves (PSDB) conseguirão derrotá-la. Difícil dizer para quem torcem, mas o compasso de espera é evidente.

Finalmente, há uma questão de posicionamento de produto. Se a ideia é vender o Mustang em número que justifique sua importação ao Brasil, é preciso antes decidir o que significará o Mustang em nosso país.

Traduzindo as declarações enigmáticas de alguns executivos ao longo da noite de terça em Los Angeles, nota-se o desejo de colocar o modelo num patamar acima do Chevrolet Camaro, como alternativa à moda americana (mas nem tanto, já que o novo Mustang está bastante europeizado) a esportivos das marcas alemãs Audi, BMW e Mercedes-Benz, das quais apenas a BMW é especialista em tração traseira.

Quer guiar um Mustang V6?

  • Imagem: Claudio Luís de Souza/UOL
    Claudio Luís de Souza/UOL
    Imagem: Claudio Luís de Souza/UOL

    Vá aos EUA e alugue um 2014 conversível

    UOL Carros alugou um exemplar do Mustang ano-modelo 2014, o último destinado exclusivamente ao mercado americano. Quem viajar aos Estados Unidos nos próximos meses e quiser dirigi-lo também, quase certamente vai topar com um igualzinho ao nosso.


Essa lógica faria com que a Ford priorizasse no Brasil a configuração topo de gama do novo Mustang, a GT na carroceria cupê, com motorzão V8 de 5 litros, talvez com o pacote Performance (que acrescenta belos itens visuais ao carro) e numa faixa de preço que poderia começar acima dos R$ 250 mil. Haveria espaço ainda para uma segunda versão, mais "barata", a ser escolhida entre a V6 3,7 litros e a EcoBoost 2,3 litros, esta com turbo (as outras são aspiradas).

A única certeza que se tem, por ora, é a presença do Mustang no estande da Ford no Salão do Automóvel de São Paulo, no final de outubro. Ah, tem outra: o novo carro, visto de perto, é infinitamente mais bonito que a 5ª geração.

Divulgação
Motor V8 de 5 litros e 441 cavalos do novo Mustang GT: esse monstro mecânico pode ser o "culpado" por pelo menos parte da demora na chegada do carro ao Brasil, já que ele precisaria de adaptações para beber gasolina com 25% (ou mais) de etanol Imagem: Divulgação
Nesta quarta-feira (24), UOL Carros participa de longo test-drive do Mustang 2015 em Los Angeles e arredores, e publica suas impressões ao dirigir nos próximos dias. A mídia local o experimentou na semana passada, no mesmo trajeto -- e algumas reportagens mencionaram aplausos e outras reações positivas por parte das pessoas que viram os carros nas avenidas e freeways da Califórnia. Uma cena que, no Brasil, vai demorar para acontecer.

Viagem a convite da Ford do Brasil

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo