Carros

Com elétrico i3, BMW quer parar de poluir o Brasil já este ano

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em Detroit (EUA)

14/01/2014 17h59

Parecia distante, complicado e (ainda mais) caro. Agora, é só (bem) caro: a BMW anunciou o lançamento do monovolume elétrico i3 no Brasil para setembro deste ano. Antes, em março, funcionários serão treinados e já será possível ver o modelo em lojas selecionadas de São Paulo (SP) e Rio (RJ).

Sem incentivo do governo em qualquer uma das esferas para automóveis "verdes", modelos como o i3 pagam IPI cheio e de carro grande, além dos tradicionais tributos de importação, um pouco aliviados no caso da BMW por conta dos primeiros benefícios da adesão ao Inovar-Auto e da construção da fábrica em Araquari (SC). Por conta disso e também pela mudança da alíquota, que subiu e seguirá subindo gradualmente em 2014, a marca ainda não definiu o preço do elétrico. Crava-se apenas o limite: "O BMW i3 vai custar menos de R$ 200 mil", afirmou fonte ligada à marca.

ANO CHEIO PARA A BMW

  • Bill Pugliano/AFP

    Intervalo entre 2014 e 2015 será movimentado para a BMW do Brasil. São nove lançamentos de BMW e Mini prometidos. Veja:

  • - Série 2 Coupé: chega neste primeiro semestre, com configuração similar ao do sedã 335i.
    - M2 Coupé: não está nos planos do país.

  • - M3 Sedan: apresentado aqui no Salão de Detroit, ainda é estudado pela marca, por conta do preço.

  • - Série 4: começa a ser vendido em março.
    - M4 Coupé: outro lançamento deste salão, vem ao país em julho, com poucas unidades.

  •  
  • - X1 facelift: desembarca no primeiro semestre de 2015, antes de ser fabricado no Brasil.

  • - i3: o elétrico chega em setembro.
    - i8: o híbrido desembarca em 2015.

  •  
  • - Novo Mini Cooper: o lançamento à imprensa global será feito no final de janeiro. Chega ao Brasil em julho.
    - Novo Mini Cooper JCW: mostrado ainda como conceito aqui em Detroit, será apresentado definitivamente este ano e já chega ao país no primeiro semestre de 2015.

Na Europa, onde o total de encomendas já ultrapassa dezenas de milhares de unidades (foram mais de 10 mil apenas no Reino Unido), o i3 custa cerca de 35 mil euros -- pouco mais de R$ 113 mil, segundo o câmbio desta terça-feira (14).

Criado do zero como um carro elétrico, o i3 não emite gases tóxicos ou do efeito estufa e tem um estilo totalmente urbano. O monovolume tem quatro portas, sendo as duas traseiras do tipo suicida (abrem-se no sentido oposto ao das portas convencionais), motor elétrico traseiro de 170 cavalos e torque 25,5 kgfm de torque instantâneo, também sobre as rodas traseiras. A aceleração de 0 a 100 km/h dura 7,2 segundos e a autonomia máxima é de 160 quilômetros. Segundo a BMW, estudos apontam que isso se adequa à agenda de deslocamentos de até três dias de pessoas no Brasil.

"Ainda assim, o i3 é feito para ser usado como um smartphone. Você volta do trabalho, chega em casa e carrega o celular e o carro, todo dia. Deixe oito horas na tomada padrão da sua casa e está carregado", afirmou a fonte da BMW. Além disso, o modelo terá ainda um carregador rápido vendido como opcional, que deve ser instalado pro um profissional da marca e permite derrubar o tempo de carga total para até três horas.

OUTRA REALIDADE
Segundo a BMW, este primeiro semestre do ano servirá para receber encomendas de shopping-centers, aeroportos e condomínios, que podem receber pontos coletivos de recarga do i3. A marca acredita que terá uma forte demanda pelo modelo, apesar do preço "über premium", sobretudo de consumidores jovens e "descolados", interessados em mostrar que estão preocupados com o ambiente. E, claro, que têm dinheiro sobrando.

UOL Carros vê como fatores que podem causar apagão de interesse, além do preço salgado para um monovolume (ainda que premium), a autonomia, que não é baixa, mas também não atende a todos os usos de um modelo desta faixa de preço. A BMW rebate afirmando que outro opcional para o país será o motor de dois cilindros a gasolina -- na realidade, outra configuração do i3. Este motor não gera tração para as rodas, apenas alimenta as baterias do motor elétrico, como um gerador, e com isso amplia a autonomia do i3 para 300 quilômetros.

Os planos da marca para os carros verdes são ambiciosos e não param no i3. Em 2015, será a vez do superesportivo híbrido futurista i8.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo