Carros

BMW fará Série 1, Série 3, X1, X3 e Mini Countryman no Brasil em 2014

Leonardo Felix/UOL
BMW 320i ActiveFlex será feito no Brasil; motor turboflex deve se espalhar pelo resto da gama brasileira Imagem: Leonardo Felix/UOL

Leonardo Felix

Colaboração para UOL Carros, de Araquari (SC)

16/12/2013 12h19Atualizada em 16/12/2013 18h02

Com cerca de um mês de atraso em relação ao que havia sido previamente estipulado, a BMW enfim realizou nesta segunda (16), na região da pequena cidade de Araquari (SC), a cerimônia de lançamento da Pedra Fundamental de sua primeira fábrica no Brasil -- que será também a primeira da marca na América do Sul.

Segundo a BMW, cinco modelos serão fabricados no país, três deles já apontados por UOL Carros: o hatch Série 1 (o de entrada atual sai por R$ 99.950), o Série 3 (a partir de R$ 129.950), o X1 (R$ 124.950), o SUV X3 (R$ 209.950) e o Mini Countryman (R$ 116.950).

  • Divulgação

    Cúpula da BMW e autoridades do governo na cerimônia realizada nesta segunda (16)

Todos os preços levantados acima são da tabela oficial da fabricante do mês de dezembro, mas ainda podem sofrer alterações até o início da produção. UOL Carros publicou mais cedo que os preços poderiam cair até 40%, mas o presidente da marca no Brasil, Arturo Piñeiro, acabou com a graça: a expectativa é manter os valores próximos aos atuais, já que a BMW já se beneficia do IPI reduzido.

Nacionalização em partes, frise-se, já que os próprios executivos declararam, em outras oportunidades, que diversos itens continuarão a ser importados, por questões tecnológicas. Em Araquari, será realizado o processo de soldagem, montagem e pintura dos veículos. E, ao contrário do que algumas concorrentes já fizeram no passado, o presidente da BMW na América do Norte, Ludwig Willisch, assegurou que as configurações de todos os modelos serão as mesmas daqueles vendidos internacionalmente. "Seja aqui, nos Estados Unidos, Europa ou China, a qualidade de um BMW será sempre a mesma", enfatizou.

O LOCAL
O evento contou com a presença do vice-presidente da República, Michel Temer, que chegou a colocar capacete de operário e "pegar na pá", literalmente, para enterrar a pedra e plantar uma árvore simbólica no grande terreno de 1,5 milhão de m², localizado às margens da BR-101. Alguns caminhões e operários já trabalham na terraplanagem para a instalação da unidade, que terá 500 mil m² de área construída, incluindo prédios principais, pátios e pista de testes.

Oficialmente, a montadora divulga investimento total de 200 milhões de euros (mais de R$ 600 milhões), mas estima-se que este valor possa ultrapassar a casa de R$ 1 bilhão. A geração será de 1.300 empregos diretos -- desses, 60 funcionários já estão contratados --, com expectativa de mais 2.500 indiretos. Devido ao atraso supramencionado, o início da produção, antes marcado para setembro de 2014, também foi adiado em um mês, para outubro. A projeção inicial é de 32 mil unidades produzidas ao ano.

"As economias têm um papel essencial para o crescimento da BMW", frisou o presidente da BMW. A montadora não especificou qual o percentual de funcionários brasileiros na fábrica, mas garantiu que irá criar, até 2015, um "programa de desenvolvimento educacional" na região, para formar técnicos capazes de ocupar "cargos de gestão e qualidade".

TURBOFLEX NA ÁREA
Durante o evento, a BMW aproveitou para fazer o lançamento oficial daquele que, conforme a própria montadora fez questão de salientar, é o "primeiro modelo de luxo turbo e bicombustível do mundo": o 320i ActiveFlex.

Esse carro, já flagrado e explicado por UOL Carros, conta com o conhecido sistema Active de propulsão alternativa. O projeto para adaptar o modelo a consumir tanto gasolina quanto etanol foi desenvolvido pela matriz da fabricante, na Alemanha.

  • Divulgação

    Sketch divulgado pela marca antecipa como será o visual da fábrica catarinense

Segundo a BMW, o comportamento do ActiveFlex é o mesmo com etanol ou gasolina. Os números oficiais do motor 2.0 flex biturbo, aliás, são "sincronizados": 184 cavalos de potência, entre 5.000 e 6.250 rpm, com 27,53 kgfm de torque com qualquer combustível. Engenheiros da marca mencionaram melhora de 38% no consumo geral, sem dar maiores detalhes.

Testes de dinamômetro da revista Fullpower, parceira de UOL Carros, apontaram outros dados: 206 cv, 29 kgfm e consumo de 7 km/l com etanol. Saiba mais sobre o primeiro teste com o BMW Série 3 ActiveFlex da Fullpower.

Viagem a convite da BMW

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo