Carros

Ford confirma volta da Série F e levanta bandeira da segurança

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em São Paulo (SP)

12/12/2013 20h29Atualizada em 13/12/2013 13h32

Dois anos após aposentar a Série F no mercado brasileiro, a Ford confirmou o retorno da família de comerciais para 2014 e com produção na fábrica de São Bernardo do Campo (SP). O anúncio foi feito nesta quinta-feira (12), durante evento de balanço da empresa, em São Paulo (SP).

Em 2011, a Ford deixou de vender a picape grande F-250 e também o caminhão leve F-4000 para abrir espaço no mercado para a chegada da atual geração da Ranger. Depois, aproveitando novo filão, a fabricante americana voltou a rechear sua linha com o utilitário Transit, que também terá novo modelo comercializado no próximo ano.

Além da nova geração do Transit, mostrado em outubro durante a Fenatran (Salão Internacional de Transportes), em São Paulo,a Ford também havia dado pistas na feira de que retornaria com as linhas de F-4000 e F-350. Não há, porém, confirmação de quais outros modelos da Série F podem ser fabricados e vendidos no país. Antes, em junho, a Ford havia mostrado a série especial SVT Raptor da picape F-150, modelo mais emblemático da Série F, em seu estande no Salão do Automóvel de Buenos Aires.

Fato é que a política de plataformas globais da marca -- que deve se concretizar no Brasil no biênio 2014/2015, e até 2016 no restante do mundo -- facilita a fabricação e o lançamento (ou o retorno, neste caso) de modelos em diferentes mercados. Segundo executivos da marca, o retorno da Série F -- presença certa nas listas de automóveis mais vendidos no globo (e particularmente no mercado norte-americano) -- serve também como reforço à oferta da Ford no segmento comercial com modelos modernos, bem equipados e seguros.

SEGURANÇA VALORIZA CARRO
Ainda que não tenham entrado de cabeça na polêmica do retrocesso da obrigatoriedade total de airbags e freios com ABS em carros nacionais, durante a fala principal, executivos da Ford deixaram claro em conversa com UOL Carros: equipamentos de segurança são fundamentais na atual linha da montadora a ponto de servirem como diferencial de marketing.

Para a marca, o comprador brasileiro -- pessoa física, mas também frotistas e órgãos públicos -- está maduro o suficiente para entender a importância de itens de segurança e de boas notas em testes de colisão e, mais do que isso, considerá-los no momento de fechar negócio. O discurso é afinado e afiado: "O consumidor é inteligente e vai exigir airbags e ABS nos carros, porque sabe que além do fator segurança, há o fator mercadológico, já que carro sem estes equipamentos valerá menos no momento da revenda em um ou dois anos".

Após a obtenção da primeira nota máxima no teste de colisão do Latin NCAP para um carro fabricado no Brasil, a Ford afirma estudar formas de ressaltar a importância não apenas de airbags e sistemas antitravamento, mas também de controles de estabilidade e tração e do uso de materiais mais leves e resistentes na composição da carroceria.

Uma das fontes chegou a afirmar que esta é uma premissa importante até mesmo para modelos de entrada, como o futuro Ka, antecipado em novembro pelo protótipo Ka Concept: "Já passamos do ponto de discutir dois airbags e ABS, agora a questão é se este modelo [enquanto aponta para o conceito] terá quatro ou seis airbags".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Carros

Topo