Mobilidade

Toyota está perto de mostrar carro a hidrogênio com 1.000 km de autonomia

Divulgação
Toyota Fine-Comfort Ride será apresentado no Salão de Tóquio, nesta semana Imagem: Divulgação

Kevin Buckland

22/10/2017 04h00

A Toyota afirma estar perto de apresentar um carro conceitual movido a célula de combustível que promete oferecer 50% mais autonomia que o Mirai, atual sedã da empresa movido a hidrogênio, em um impulso tecnológico que desafia a onda crescente de veículos movidos a bateria.

Segundo a marca, o protótipo Fine-Comfort Ride, que será exibido no Salão de Tóquio nesta semana, pode chegar a 1.000 km de autonomia, contra cerca de 650 quilômetros do Mirai. Além disso, o conceito também será equipado com sistemas de inteligência artificial e recursos de direção autônoma.

A empresa japonesa continua considerando que veículos a células de combustível são os carros definitivos para um futuro de emissão zero, embora a queda do custo das baterias de íon de lítio tenha atraído a maioria das fabricantes para a tecnologia plug-in (carregamento em tomada), em razão da adoção de padrões ambientais cada vez mais rígidos por todo o mundo. A China, maior mercado automotivo do planeta, anunciou há algumas semanas que está trabalhando em um cronograma para acabar com a venda de veículos de combustão interna, unindo-se assim a países como França, Índia e Reino Unido.

O Japão criou uma espécie de "Mapa da Sociedade do Hidrogênio", plano para aumentar o número de veículos movidos a célula de combustível em suas vias para 40 mil até 2020 -- atualmente há apenas algo em torno de 2.200. A Bloomberg New Energy Finance estima que o governo cumprirá apenas 60% dessa meta.

Divulgação
Fine-Comfort Ride acomoda até seis pessoas e assentos podem ser rearranjados para que todos fiquem virados para dentro Imagem: Divulgação

Honda e Lexus

Além do Mirai, lançado no final de 2014, apenas a Honda tem um carro movido a hidrogênio à venda no Japão, chamado Clarity Fuel Cell. A Lexus, braço de luxo da Toyota, também se comprometeu a levar um modelo movido por este tipo de tecnologia ao mercado nos próximos anos -- o Grupo Toyota afirmou em comunicado que pretende multiplicar por 10 as vendas anuais internacionais de veículos movidos por célula de combustível até 2020 (ou perto disso, para 30 mil unidades, por meio desta uma linha mais ampla).

O Fine-Comfort Ride é capaz de acomodar até seis pessoas e os assentos podem ser rearranjados para que todos fiquem virados para dentro. Uma porta-voz da Toyota preferiu não fornecer detalhes adicionais sobre o conjunto de motor e transmissão e sobre a tecnologia de direção autônoma.

Embora possam ser reabastecidos em cerca de três minutos e tenham autonomia substancialmente maior que a de carros elétricos, os veículos a hidrogênio sofrem com a falta de infraestrutura: existem apenas 91 estações de recarga de hidrogênio no Japão, contra uma meta de 160 do governo até 2020. Por outro lado, o Japão tem cerca de 7.200 recarregadores públicos para elétricos, segundo estimativa da Nissan.

O próprio Leaf, por exemplo, precisa de cerca de 30 minutos para completar uma única recarga, que oferece autonomia de cerca de 400 quilômetros. Clique aqui para conhecer a nova geração do modelo.

Para incentivar a instalação de mais estações de reabastecimento de carros a hidrogênio, a Toyota diz também estar desenvolvendo veículos comerciais movidos por esta tecnologia, como por exemplo um caminhão para entregas que será usado em um projeto com as lojas de conveniência "7-Eleven Japan". Além disso, dois ônibus da marca movidos a célula de combustível começaram a rodar por Tóquio este ano.

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Mobilidade

Topo