Concentração é a melhor amiga dos motociclistas novatos

Cicero Lima

Colaboração para o UOL

  • Getty Images

    Motociclista desatento é o que tem mais chances de se envolver em acidentes

    Motociclista desatento é o que tem mais chances de se envolver em acidentes

Conduzir um veículo exige atenção e coordenação motora. Não basta só olhar à frente -- é necessário perceber e interpretar as condições das vias durante o trajeto.

Horário, dia, clima, tráfego e condições dos outros veículos que estão à sua volta interferem na segurança. Em motocicletas existe uma exigência ainda maior, que é o equilíbrio. Uma pilotagem segura está diretamente ligada à pró-atividade.

Os mais antigos devem se lembrar de uma campanha de segurança que alertava: "Atrás de uma bola sempre vem uma criança". Tal campanha incentivava motoristas a praticarem a direção defensiva. A cena mostrava uma bola rolando pela rua e uma criança logo atrás, que poderia ser atropelada. Uma campanha semelhante foi veiculada em 2010 por um fabricante de pneu. Como a bola permite antever uma situação de risco, o condutor atento é capaz de se antecipar e reagir a tempo.

Marcelo Vigneron/UOL
Motociclistas experientes conseguem sentir a aproximação da chuva pelo cheiro
SENTIDOS AGUÇADOS
Para isso o motociclista deve estar com os sentidos apurados. Dá para, por exemplo, sentir o cheiro de óleo no asfalto, encontrar a mancha de combustível e antecipar uma reação. O mesmo pode acontecer com a aproximação da chuva -- pelo cheiro, principalmente nas estradas. A simples observação dos limpadores dos veículos no sentido contrário já é suficiente.

O fato é que o grande amigo do motociclista é a observação constante de tudo que acontece ao seu redor. Um ponto de ônibus, uma estação de trem ou um supermercado são lugares propícios a encontrarmos pedestres atravessando a rua sem olhar. Em muitos atropelamentos a vítima alega não ter visto a moto -- isso acontece, na maioria das vezes, por conta da agilidade da motocicleta.
Silva Junior/Folhapress
Carros oferecem mais proteção que motos, mas atenção é primordial em ambos
PERIGO ATRÁS
Os retrovisores são grande aliados dos pilotos e não devem ser olhados apenas em manobras. Mesmo nos congestionamentos, observar constantemente o movimento de outros veículos na traseira pode dar o alerta sobre situações de risco -- como um carro, ou mesmo uma moto, colado na traseira.  Além do retrovisor, o próprio barulho pode informar que alguém atrás está próximo. Se for um carro barulhento, com sinais de escapamento furado, é bom ficar atento, pois mostra que a pessoa não é cuidadosa. Se for uma moto com escape aberto ou esportivo, pode ser um piloto "acelerado" que poderá fazer uma manobra ousada. Nessa situação, para evitar riscos, convém dar passagem e evitar risco de colisão.

Estar sempre pronto a reagir é a maior garantia do motociclista (e até mesmo do motorista) para rodar com segurança, mas para isso é preciso estar ligado. Noites mal dormidas e situações de estresse reduzem a capacidade de concentração. Pilotar ouvindo música ou falando ao celular, também.

Para motoristas ou motociclistas experientes, manter a concentração e ficar atento aos outros veículos são hábitos corriqueiros e automáticos. Porém, quem planeja comprar uma moto e sabe que é distraído ou tem dificuldade de se concentrar, é bom rever seus conceitos. Infelizmente a motocicleta não oferece a mesma proteção que os automóveis. E infelizmente quem pilota "com a cabeça nas nuvens" tem mais chance de se envolver em acidentes.

Cicero Lima é especialista em motocicletas e motociclistas

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos