Dafra Citycom, R$ 15.240, fica mais seguro e caro com freios combinados

Aldo Tizzani

Da Infomoto

Lançado em 2010, o Dafra Citycom 300i se tornou rapidamente figura carimbada nas ruas, estradas e estacionamentos. Imponente, assento largo, amplo para-brisa e prático porta-objetos sob o banco, o scooter é um produto de dupla jornada, oferecendo agilidade no deslocamento urbano e também conforto para viagens curtas nos finais de semana.

Fruto de uma parceria entre a marca brasileira e a taiwanesa SYM, o Citycim recebeu para a linha 2015 uma atualização importante: os freios combinados, que equilibram a ação da frenagem entre os discos dianteiro e traseiro, mesmo que só o último seja acionado pelo motociclista. 

A prática, infelizmente muito comum entre os pilotos brasileiros por conta da má formação nas auto e moto-escolas, dá espaço à introdução de tecnologias para corrigir o processo: a Honda apresentou, há poucos dias, a mesma tecnologia na linha popular da CG 150 Titan. Entre scooters, os freios combinados não são novidade. O veterano Suzuki Burgman 400, lançado em 2001, já trazia a tecnologia. Recentemente, Honda Lead 110 e seu sucessor, PCX, também dispuseram dela.

Batizado pela Dafra de FH-CBS (Sistema Totalmente Hidráulico de Freios Combinados), o item garante frenagens mais eficientes e eleva o produto nacional ao mesmo patamar de países como França, Espanha, Portugal e Inglaterra, onde ele também é vendido.

O scooter já está à venda, mas ficou mais caro com o equipamento: custa R$ 15.240, diferença de R$ 150 em relação à linha anterior.

Mario Villaescusa/Infomoto
Diferentemente do sistema da CG Titan, que conta com um terceiro pistão na pinça dianteira para executar a frenagem combinada, o do Citycom 300i é acionado hidraulicamente e dispensa o pistão extra
A mudança tende a impactar todo o segmento: de acordo com a Abraciclo (associação brasileira das fabricantes de motocicletas), as vendas de scooters no Brasil cresceram oito vezes nos últimos cinco anos, tendo o Citycom como uma das principais alavancas. De setembro de 2010 a julho de 2014, o modelo teve 10.735 unidades financiadas.

COMO FUNCIONA
No caso da Dafra, um sistema hidráulico aciona os pistões do disco dianteiro nas frenagens mais fortes, transferindo até 30% da força empregada. Com essa distribuição, o espaço entre o início do processo e a imobilidade se reduz e o piloto passa a ter mais controle do scooter numa emergência.

Infomoto testou a novidade em São Paulo (SP) e comprovou sua eficiência: ao usar somente o manete do freio dianteiro, o direito, com bastante força a 50 km/h, a roda traseira travou um pouco e a dianteira saltou ao executar a frenagem. Repetindo o procedimento com o manete traseiro, à esquerda, a atuação do freio dianteiro foi perceptível: a dianteira mergulhou de maneira agressiva e só depois o freio traseiro estabilizou a moto.

Ao testar os mesmos processos com um acionamento suave dos manetes, o Citycom freou de maneira muito mais estável. Percebemos, então, que a forma correta de frear este modelo é apertando ambos os manetes de maneira progressiva. Assim, a divisão de frenagem entre as rodas fica mais equilibrada.

Honda explica como funcionam os freios combinados

MOTOR E CICLÍSTICA
Equipado com um motor quatro-tempos monocilíndrico OHC (Comando Simples no Cabeçote) de 263,7 cm³, de quatro válvulas, o Citycom 300i produz 23 cv de potência (a 7.500 rpm) e 2,44 Kgfm de torque (a 5.500 rpm), força suficiente para uso no dia-a-dia. A transmissão CVT (continuamente variável) não requer trocas de marcha e ainda funciona como freio-motor, facilitando a pilotagem.

Na estrada, o scooter consegue manter velocidade de cruzeiro sem fazer muito esforço, e oferece torque de sobra para manobras de ultrapassagem. Em velocidades mais altas, contudo, a turbulência começa a incomodar. O tanque de combustível comporta até 10 litros, com consumo médio na casa de 25 km/l (autonomia de 250 km), a depender de fatores como ritmo de pilotagem, peso transportado e condições da estrada.

Mario Villaescusa/Infomoto
Do ponto de vista estético, scooter continua igual a antes
O chassi, firme e rígido, confere estabilidade nas retas e também em todos os tipos de curva, apesar de apresentar um centro de gravidade alto (o assento está a 80 cm do solo). O conjunto de suspensões usa garfo telescópico de 100 mm na dianteira e amortecedor bichoque de 91 mm na traseira, especificações condizentes com sua proposta. As rodas de 16 polegadas contribuem para a estabilidade nas manobras, incluindo aquelas mais bruscas, assim como para a absorção das imperfeições do piso.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos