Kawasaki Ninja 300 mira o Brasil com receita de motos de 1000 cc

André Jordão
Da Infomoto

Há pouco mais de um mês, surgiram fotos na Indonésia de uma Kawasaki Ninja 250 completamente reformulada (saiba mais aqui). O mercado reagiu positivamente às alterações estéticas -- os elogios sobre a moto "bombaram" pelo mundo. Agora, no início de setembro, outra (e melhor) informação chegou oficialmente: o lançamento da Ninja 300, ou simplesmente ZX-3.

Um evento nesta quinta-feira (13), nos Estados Unidos, batizado de "The Ninja Times Square Takeover" apresenta publicamente a nova Ninja 300. Além do visual agressivo, totalmente inspirado na superesportiva ZX-10R, a mini-esportiva da Kawasaki contará com um propulsor totalmente redimensionado, agora com 296 cm³ e 39 cv, freios ABS (opcionais), e até uma embreagem deslizante, característica de esportivas de 1.000 cc.

Muitas novidades elevam a Ninja 300 a outro patamar. Mas a melhor notícia é que ela estará ao alcance do consumidor brasileiro. Como sempre ocorre antes de um lançamento, a Kawasaki realiza promoções do modelo que ficará defasado. No mês passado, a marca reduziu o preço da Ninja 250R de R$ 15.550 para R$ 13.990, um forte indício de que a nova Ninja 300 chegará até o final deste ano em solo brasileiro – a Kawasaki do Brasil não confirma a data de lançamento, mas a motocicleta foi testada e está homologada para rodar em nosso país.

Veja mais fotos da nova Kawasaki Ninja 300
Veja Álbum de fotos

A CONCORRÊNCIA
O segmento das mini-esportivas está cada dia maior. Somente este ano foram lançadas Honda CBR 250 R e Dafra Roadwin 250, dividindo a atenção dos consumidores com as veteranas Kawasaki Ninja 250 e Kasinski Comet GT 250R.

Dados da Fenabrave mostram que a Honda emplacou 544 unidades da CBR 250 R em agosto. A Ninja 250 vem depois, com 289 unidades, seguida por Kasinski 250R, com 222 motos. No acumulado do ano, temos Ninjinha (2.319) e Honda (1.879).

A nova Ninja 300 tem tudo para potencializar ainda mais as vendas da Kawasaki, dependendo, é claro, do preço.

MAIS ESPORTIVA
A Ninjinha chegou com a proposta de ser a esportiva de entrada para o motociclista. Agora, com a nova Ninja 300, a Kawasaki parece afinar seu modelo e oferecer uma moto com cara e alma ainda mais esportiva ao seu consumidor.

O design é inspirado na ZX-10R: o farol é duplo e o volume fica concentrado na parte frontal. Os piscas dianteiros incorporados à carenagem e a nova saída do escapamento deixam clara a intenção em remetê-la a modelos maiores. Novas rodas, com desenho mais atual, e painel reformulado com display digital junto do conta-giros analógico completam o conjunto.

Há também um chassi mais rígido e pneu traseiro mais largo (de 140 mm em vez de 130 mm), além de um assento -- bipartido -- dianteiro mais estreito, priorizando a tocada mais esportiva e sacrificando um pouco o conforto.

Já os freios mantiveram as especificações da Ninja 250: disco em forma de pétala de 290 mm na dianteira e 220 mm na traseira, ambos com pinça de dois pistões. A diferença é que agora há a opção do sistema de freios ABS. O garfo telescópico dianteiro e a suspensão monoamortecida ajustável na traseira completam o conjunto ciclístico da nova Ninja 300.

MOTOR
O novo motor de 296 cm³ tem dois cilindros paralelos, oito válvulas e refrigeração líquida. Para o aumento da capacidade cúbica, o curso dos pistões foi alterado -- de 41,2 mm para 49 milímetros -- e a Ninja 300 agora tem cilindros em alumínio, assim como as motocicletas maiores da marca.

Com essas novidades, o propulsor passa a oferecer 39 cv a 11.000 rpm e 2,8 kgfm de torque a 10.000 rpm. Esses números evidenciam a preocupação da Kawasaki em melhorar a pilotagem urbana, uma condição crítica no modelo atual.

O câmbio de seis marchas atua em conjunto com a embreagem deslizante que, na teoria, torna o acionamento do manete esquerdo mais leve e evita o travamento da roda traseira nas reduções de marcha, característica sempre presente nas superesportivas de um litro.

Ainda preocupada com o comportamento da nova Ninja no trânsito urbano, a Kawasaki encurtou a primeira marcha e alongou a sexta e a relação secundária -- a coroa está com 42 dentes em vez de 43 para melhorar a velocidade final. Todas as alterações deixaram a Ninja 300 três quilos mais pesada (172 kg) em relação a Ninja 250 presente em nosso mercado.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos