UOL Carros

06/01/2009 - 11h46

Toyota vai parar produção por 11 dias no Japão

Em Tóquio
A Toyota Motor vai interromper produção em fábricas do Japão por 11 dias entre fevereiro e março por conta do acentuado declínio nas vendas nos Estados Unidos, que deixou concessionárias do país entupidas de veículos não vendidos.

Uma queda de 37% nas vendas de dezembro no maior mercado da Toyota marcou a retração mais profunda em mais de um quarto de século, sendo pior que o declínio de vendas de rivais norte-americanas também com problemas, como General Motors e Ford Motor.

LEIA MAIS: Montadoras instaladas nos EUA fecham 2008 com queda nas vendas

VEJA TAMBÉM: Japão tem pior dezembro da história em vendas

"Eu nunca esperei que a crise se espalhasse tão rapidamente e deixasse cicatrizes tão profundas", disse o presidente da Toyota, Katsuaki Watanabe, em um evento em Tóquio realizado pelos principais grupos empresariais do Japão.

A Toyota já anunciou uma paralisação na produção por três dias para este mês em 12 fábricas diretamente operadas pela empresa -- quatro fábricas de montagem de automóveis e oito de motores, transmissões e outros componentes.

A suspensão da produção doméstica é quase sem precedentes. Em 1993, a Toyota paralizou a produção por um dia em um momento em que um iene mais forte abateu as vendas.

Carros fabricados no Japão compõem cerca de 40% das vendas da Toyota nos Estados Unidos, onde carros estrangeiros se acumulam em portos e concessionárias.

A Toyota não divulga o número de veículos que serão afetados pela paralisação de produção. Conjuntamente, as quatro fábricas de montagem no Japão produziram cerca de 130 mil veículos por mês em 2007, de acordo com os últimos dados disponíveis. As fábricas da Toyota planejam considerar os 11 dias em fevereiro e março como feriados pagos da empresa, informou um porta-voz.

Há duas semanas, a Toyota havia alertado que publicaria seu primeiro prejuízo operacional anual, afetada pela queda nas vendas e valorização do iene. Na ocasião, a empresa informou que teria de ajustar produção para além de janeiro.

"Gostaria de acreditar que atingiremos o fundo (para a economia norte-americana) em algum momento este ano", disse Watanabe. "Mas se você olhar para o mercado automotivo agora, vai ver que está muito, muito difícil. Precisamos proceder com a consideração de que a situação pode se manter."
(por Chang-Ran Kim)

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES