UOL Carros

21/10/2008 - 12h07

Nissan responde à queda da demanda com corte de produção no Japão e Europa

Da Reuters

Divulgação

A produção do utilitário Murano é uma das que será afetada pelo corte

A montadora japonesa Nissan Motor informou nesta terça-feira (21) que reduzirá a produção de veículos nas fábricas do Japão, Reino Unido e Espanha, em resposta à queda da demanda ao redor do mundo.

A terceira maior montadora do Japão, onde a Renault detém 44% de participação, informou que cortará a produção em 65 mil veículos nas unidades de Kyushu e Tochigi, no Japão, de novembro até março de 2009. A empresa já havia reduzido a produção em Tochigi, em 10 mil veículos, desde setembro.

A planta da Nissan em Tochigi, ao norte de Tóquio, responde por 95% da produção dos veículos do modelo de luxo Infiniti que são exportados para a América do Norte. A unidade de Kyushu produz utilitários esportivos como o Murano. A fábricante havia planejado uma produção doméstica total de 1,39 milhão de unidades durante o ano fiscal até março.

DESACELERAÇÃO
A desaceleração global na venda de veículos poupou apenas algumas montadoras. As vendas da Nissan nos Estados Unidos caíram 34% em setembro, na comparação com o mesmo período do ano passado, para 59.565 veículos. Algumas rivais da Nissan estão fechando ou reduzindo linhas de produção em diversas regiões.

A montadora informou ainda que suspenderá a produção na fábrica de Sunderland, no nordeste da Inglaterra, por duas semanas e reduzirá o número de dias úteis de operação da unidade durante três semanas, entre o final de outubro e novembro, por conta de queda nas vendas dos modelos Micra e Note.

Na fábrica de Barcelona, onde na semana passada a empresa informou que faria um corte de 1.680 empregos, a Nissan vai interromper a produção por uma semana e reduzir o número de horas trabalhadas por oito semanas, cortando assim a produção dos modelos Pathfinder, Navara 4 x 4 e da van Primastar.

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES