UOL Carros

14/07/2006 - 14h32

Vendas de carros caem na Europa em junho, mas Fiat resiste

Por Gilles Castonguay

MILÃO (Reuters) - A venda de carros novos na Europa caiu 1,4 por cento em junho, em parte pelo menor número de dias úteis no mês, mas a italiana Fiat resistiu à tendência e divulgou o maior crescimento entre as montadoras, segundo dados do setor.

Os licenciamentos de automóveis novos somaram 1,49 milhão de unidades em junho, abaixo de 1,55 milhão de unidades em igual mês do ano passado. Foi o segundo mês de queda no ano. Em abril, a redução foi de 7,3 por cento.

"A baixa parece confirmar que as condições do mercado permanecem incertas", disse a ACEA, sigla em inglês para a Associação Européia de Fabricantes de Veículos, que publicou os dados na sexta-feira.

A Renault, que junto com Nissan compõe uma potencial aliança tripartite com a General Motors, teve um dos piores resultados entre as montadoras européias: queda de 12,5 por cento nas vendas em junho e perda de participação de mercado no período.

Do lado oposto, a japonesa Toyota, conhecida por seus carros acessíveis e confiáveis, anunciou uma expansão de 8,3 por cento nas vendas na Europa.

Também na contramão, a Fiat divulgou um salto de mais de 10 por cento nas suas vendas no mês passado, impulsionadas pelo êxito da sua nova linha, especialmente do modelo Grande Punto.

No período, as vendas da marca Fiat aumentaram 14,4 por cento, enquanto as da Alfa Romeo cresceram 14,9 por cento.

Espera-se que a Fiat enfrente mais concorrência no segundo semestre, quando suas concorrentes lançarão novos modelos.

A maioria dos países europeus contou com um dia de trabalho a menos em junho, enquanto Áustria e Alemanha contabilizaram dois dias úteis a menos no mês passado.

Além da peculiaridade de calendário, as margens das fabricantes de automóveis têm sido pressionadas por excesso de capacidade de produção, altas nos custos das matérias-primas e guerra de preços.

Nesse rol de dificuldades das montadoras européias é preciso acrescentar a competição com os modelos asiáticos importados, que conseguem ser mais baratos.

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES