UOL Carros

01/06/2006 - 13h09

França testa primeiros carros bicombustíveis

Por Muriel Boselli

PARIS (Reuters) - A França lançou nesta quinta-feira os primeiros testes com carros bicombustíveis dentro da estratégia de ampliar o uso de energia renonável.

O governo regional de Marne, no leste da França, tem uma permissão especial para testar o combustível E85, composto em sua maior parte por álcool, e utilizá-lo em uma frota de sete carros Ford por um ano.

O E85 atualmente não é permitido na França, mas a aprovação do governo é esperada até o começo do ano que vem, e o combustível deverá estar amplamente disponível até 2010.

"Nossa meta é simples: queremos carros no mercado até o fim da década que possam ser movidos tanto à gasolina quanto a biocombustíveis", afirmou o ministro da Indústria Francois Loos.

"Biocombustíveis são uma maneira de buscar nossa independência energética, garantindo a proteção do meio ambiente e fornecendo novos mercados para a agricultra francesa", disse ele no lançamento dos testes.

O E85 é composto por 85 por cento de etanol, derivado de beterraba ou de cereais (no caso da França). A produção de biocombustíveis da França é formada principalmente por biodiesel, adquirido em grande parte pelo processamento de semente de colza e então misturado ao diesel convencional.

O Brasil, maior produtor mundial de açúcar e etanol, e a Suécia assumiram a liderança no setor de carros bicombustíveis e apenas a Ford e a Saab oferecem esses modelos para o mercado francês.

Mas Loos afirmou esperar que fábricas de carros na França oferecerão modelos semelhantes. A Renault afirmou que metade de sua produção será de carros bicombustíveis a partir de meados de 2009, segundo comunicado divulgado pelo Ministério da Indústria.

NÃO APENAS NO BRASIL

Loos tem encorajado empresas francesas de petróleo a oferecerem gasolina de baixa volatilidade necessária para incorporar álcool puro diretamente aos combustíveis antes do fim de 2006. No entanto, a indústria de petróleo tem sido lenta para produzir tal combustível.

"Essa experiência mostra para aqueles que ainda têm dúvidas que é possível ter carros movidos à álcool, e não apenas no Brasil ou na Suécia", disse Loos.

Em vez de gasolina de baixa volatilidade, empresas petrolíferas na França produzem um tipo de éter derivado de etanol conhecido como ETBE, que é misturado ao combustível convencional.

(Por Muriel Boselli)

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES