UOL Carros

30/01/2006 - 19h55

UE reforça estratégia de biocombustíveis contra efeito estufa

Por Jeff Mason e Jeremy Smith

BRUXELAS (Reuters) - A União Européia, querendo diversificar o fornecimento de energia e diminuir a emissão de gases que provocam o efeito estufa, está procurando reforçar uma estratégia para usar e produzir biocombustíveis, de acordo com uma esboço preparado pela comissão executiva do bloco.

Os biocombustíveis, que são feitos de biomassa -- substância orgânica como resíduos de madeira, cultivos agrícolas e animais -- são usados em veículos e vistos na UE como uma maneira de reduzir o crescente papel do setor de transportes como emissores de gases que aquecem o planeta.

Um esboço do documento sobre a política, esperado para ser divulgado no dia 8 de fevereiro e obtido pela Reuters, resume uma série de medidas para promover os biocombustíveis na UE e nos países em desenvolvimento.

Ele sugere a possibilidade de introduzir metas obrigatórias de biocombustível para o bloco. O objetivo intencional, que visa um uso de 5,75 por cento de biocombustíveis dentre os combustíveis para transporte até 2010, parece que não será alcançado.

"Não estamos dizendo neste momento que faremos metas obrigatórias no futuro, mas iremos olhar se isso é uma boa idéia ou não", disse um oficial da UE. "Claramente, uma abordagem voluntária não funcionou tão bem como esperávamos."

O estímulo da UE para combustíveis como álcool e biodisel vem no momento em que o bloco busca formular uma política comum de energia para tratar de sua dependência em fornecedores estrangeiros e reduzir sua vulnerabilidade para crise política, reforçada pela recente disputa de gás entre Rússia e Ucrânia, que afetou o fornecimento de gás para a Europa.

"Nunca houve um momento melhor para estimular os biocombustíveis", disse o porta-voz da comissão, Michael Mannn.

O documento pede uma revisão na direção atual dos biocombustíveis, monitorando para prevenir obstáculos legais ou discriminação contra o uso de biocombustíveis, e pesquisa nos chamados biocombustíveis de "segunda geração".

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES