UOL Carros

03/10/2005 - 18h49

Metalúrgicos param Volkswagen por maior participação nos lucros

SÃO PAULO (Reuters) - As três fabricas da Volkswagen em São Paulo param a partir de terça-feira, por tempo indeterminado, devido a uma greve por maior participação nos resultados, informou nesta segunda-feira o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

O movimento começou na unidade de São Bernardo, na quinta-feira, e teve adesão da fábrica de motores de São Carlos, a partir desta segunda. A unidade de Taubaté pára na terça e realiza assembléia para decidir se mantém a greve. Segundo os metalúrgicos, em São Bernardo trabalham 12.400 funcionários, em São Carlos, 500, e em Taubaté, 5.500.

Na fábrica de São Bernardo, 900 carros têm deixado de ser fabricados por dia, informa o sindicato do ABC. O número é confirmado por fontes da indústria. Segundo essas fontes, a fábrica de Taubaté tem a mesma capacidade e São Carlos fabrica 1.400 motores por dia.

De acordo com uma porta-voz da Volks, entre os modelos produzidos em São Carlos está o Fox que é exportado para o mercado europeu. A montadora afirma que mantém negociações permanentes com representantes dos metalúrgicos, mas ainda não declarou sua posição, após a rejeição de sua última oferta pelos trabalhadores.

Na última quinta-feira, a Volks elevou de 4.200 reais para 4.664 reais a sua proposta de participação nos resultados de 2005. Os metalúrgicos exigem 5.500 reais.

Segundo a montadora, a última proposta representa um acréscimo de 13,8 por cento sobre a participação paga no ano passado. Mas os metalúrgicos comparam com valores mais altos pagos por outras fabricantes, como a Ford, que foi de 5 mil reais.

(Por Marcelo Mota)

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES