UOL Carros

06/09/2005 - 18h19

Iraque adota rodízio de veículos para economizar combustível

Por Hiba Moussa e Maher Nazih

BAGDÁ (Reuters) - O país com a terceira maior reserva de petróleo do mundo não deveria ficar sem gasolina. Mas o Iraque chegou perto disso. Para economizar o combustível, o governo retirou metade da frota de carros da capital.

Terça-feira foi o primeiro dia da nova regra, e apenas os carros com placas terminando em número ímpar poderiam ir para as ruas. Foi um dia estranho para os motoristas.

às 9h (horário local), normalmente o grosso da hora do rush na capital iraquiana, as ruas estavam quase vazias. E as poucas autoridades que pareciam conhecer a lei não a entendiam.

O coronel da polícia Tariq Ismail aparentemente acreditava que a lei visava a melhorar o trânsito e não a reduzir a demanda por gasolina.

"As ruas de Bagdá não conseguem lidar com tamanha quantidade de veículos", disse.

"Muitas barreiras foram colocadas em frente dos prédios do governo, atrapalhando o tráfego", disse, referindo-se às medidas de segurança em toda a Bagdá. "Uma solução melhor seria a de criar estradas e pontes alternativas."

Na realidade, a lei tem pouco a ver com o trânsito. Ela se deve a anos de subinvestimento nos setores de distribuição e refino de petróleo, que deixaram a produção de 2,5 milhões de barris por dia incapaz de suprir a demanda doméstica por gasolina e outros produtos essenciais do petróleo.

A falta de combustível tornou-se inevitável, criando filas e um mercado negro de gasolina, que, por causa dos subsídios, custa oficialmente apenas um centavo de dólar por litro.

O vice-premiê Ahmad Chalabi, que dirige o setor petrolífero, disse que o governo introduziu a lei "para reduzir a demanda intensiva por combustível", descrevendo a decisão como "imperfeita, mas positiva".

Mas os motoristas não pareciam entender isso.

O taxista Amir al-Hameeri não pôde sair com seu carro na terça-feira, temendo uma multa de 20 dólares. "É uma decisão cruel contra os pobres", reclamou. "Como poderei alimentar minha família agora?"

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES