UOL Carros

26/08/2005 - 13h21

Unidade da GM na Austrália anuncia corte de 1.400 empregos

MELBORNE, Austrália (Reuters) - A unidade australiana da General Motors declarou nesta sexta-feira que irá cortar 1.400 empregos de sua fábrica no sul do país diante da competição crescente com as importações e de uma perspectiva árdua para as exportações.

O diretor da unidade da GM na Austrália, Denny Mooney, disse que a companhia não irá mais operar o terceiro turno na fábrica e gradualmente reduzirá a produção diária de 800 para 620 carros.

"As mudanças nos preços de commodities, as taxas de comércio, as marcas dos automóveis, as tarifas de importação caindo para 10 por cento e o colapso dos fornecedores locais, juntos, transformaram a maneira como precisamos operar", disse Mooney em nota.

A GM emprega mais de 9.500 pessoas no país. Suas operações incluem a fábrica de veículos de Elizabeth, no sul da Austrália e a unidade de produção de motores e operações de serviços no estado de Victoria.

A companhia declarou no mês passado que vendeu 90.228 carros na Austrália durante o primeiro semestre de 2005, detendo 18,1 por cento de participação no mercado local. Atrás da Toyota mas na frente da Ford . A GM australiana exportou mais de 50.000 automóveis em 2004, montante 45 por cento maior do que o de 2003.

Mooney, no entanto, afirmou que o fortalecimento do dólar australiano frente ao dólar norte-americano, ao iene japonês e ao won sul-coreano estava facilitando os negócios dos importadores, com sete de cada 10 carros vendidos na Austrália sendo importados, e prejudicando os exportadores locais.

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES