UOL Carros
 
09/04/2009 - 12h55

GM usará mercado de carros da China para escapar da quebra, diz jornal

Da Redação
Ameaçada pela falência nos Estados Unidos -- onde tem prazo dado pelo governo Obama até 1º de junho para se reorganizar, ao mesmo tempo em que vê suas vendas despencarem --, a GM decidiu apostar pesado no mercado de automóveis da China como parte da estratégia de recuperação, informa nesta quinta-feira a agência Automotive News, citando como fonte o diário local "Shangai Securite News".

Os planos da gigante americana envolvem a duplicação do total de unidades vendidas em território chinês, chegando a 2 milhões de carros até 2013. Se a estratégia funcionar, a GM ainda conseguirá dar uma resposta à rival alemã Volkswagen, que revelou recentemente ter a intenção de alcançar 2 milhões de carros vendidos na China até o ano de 2018 e de se tornar a segunda maior montadora do mundo, ultrapassando a própria GM.

De acordo com a porta-voz da GM para a China, Sophia Luan, a fabricante planeja mais de 30 lançamentos para os próximos cinco anos, entre modelos novos e versões.

TUDO AZUL NO PAÍS VERMELHO
A China é, atualmente, o segundo maior mercado de veículos para a GM, atrás apenas dos Estados Unidos. Mas diferente do país-sede, onde as vendas estão em declínio, a montadora vendeu 24,6% mais veículos para o público chinês em março (137 mil unidades no total), na comparação com o mesmo mês de 2008. No trimestre, foram 363.701 unidades vendidas no país pela GM, alta de 16,8% em relação ao último ano.

Segundo a associação de montadoras chinesas, o mercado chinês vem aumentando na totalidade: o crescimento médio foi de 10,26% em março ante o mesmo mês de 2007, com 772.400 carros vendidos. Em fevereiro, outras 607.300 unidades foram comercializadas.

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES