UOL Carros
 
04/04/2009 - 15h16

Bem acertado, CrossFox vai um pouco além da maquiagem

Claudio de Souza
Do UOL, em São Paulo (SP)

Para conferir o que um "off-road light" tem a oferecer, UOL Carros experimentou o mais típico deles: o Volkswagen CrossFox, que acaba de completar quatro anos no mercado.

Metamorfoseado em "off-road light", o compacto começa em R$ 41.100. Parece uma pechincha, mas por esse preço o carro vem bem pelado. O ar-condicionado custa R$ 3.690. O preço dos airbags dá uma idéia de como a lei que os tornou obrigatórios é importante: mais R$ 3.375. Couro nos bancos e no acabamento da cabine sai por (inacreditáveis) R$ 3.310. O exemplar que experimentamos tinha tudo isso, batendo na casa dos R$ 55 mil.
 

Murilo Góes/UOL

Com carroceria mais alta, CrossFox saiu inteiro de onde o Fox normal sairia machucado


É inegável que, com seus adereços de robustez e esportividade, mais o indefectível estepe no lado externo da tampa traseira, o CrossFox colocou um pouco de tempero visual no compacto de meio de gama da Volkswagen (acima do Gol, abaixo do Polo), o qual, aliás, deve sofrer uma reestilização ainda este ano. Mas o termo "cross" esconde mais que isso.

Levamos o carro para a terra, em busca de caminhos mais desafiadores que o asfalto urbano. O resultado foi interessante. O CrossFox se beneficia da carroceria elevada para relacionar-se de forma corajosa com os obstáculos. São pouco mais de 18 cm de distância livre do solo, medida 5 cm maior que a do Fox normal -- e isso faz muita diferença.
 

O CROSSFOX DA STEFHANY

  • Há quem diga que se tratou de um golpe de marketing de uma agência de publicidade próxima à Volkswagen. Outros dizem que não é nada disso, que Stefhany é um minifenômeno de público no Piauí, e que ela ama de verdade o seu CrossFox. Clique na imagem para ver (ou rever) esse clipe, um viral que tem o compacto aventureiro da Volks como astro coadjuvante.

O acerto do conjunto de suspensão faz uma leitura suave de terrenos com irregulares leves, permitindo trafegar neles a uma velocidade mais elevada que a possível com carros mais baixos, ou com suspensão excessivamente mole (ou firme).

O curso também é suficiente para encarar uma buraqueira mais trabalhosa -- e os pneus do CrossFox testado, embora não fossem especificamente de off-road, tinham medida adequada para essas aventuras longe do asfalto: 205/60, com aro de 15 polegadas. Não encontramos lama no caminho (não chovia há dias), mas a ausência de tração integral e de bloqueio de diferencial não recomendariam abusar.
 

ÁLBUM DE FOTOS
Murilo Góes/UOL
MAIS IMAGENS EXCLUSIVAS

Essa performance geral é repetida no "rali urbano" de nossas grandes cidades. É possível superar lombadas, valetas e buracos sem forçar os amortecedores ou ameaçar a integridade das rodas de liga-leve. Também diminuem as chances de raspar a parte inferior da dianteira no chão.

Por outro lado, fica muito claro que os itens de robustez do CrossFox, com os "estribos" laterais e a grade dianteira reforçada, além dos skid plates, são somente de aparência. Não têm uso prático na terra, e na cidade sua função é destacar-se na paisagem.

Por dentro, o CrossFox entrega itens mais esportivos do que aventureiros, como o volante e os bancos especiais revestidos em couro (como já dito, opcionais). É um habitáculo pensado para oferecer uma posição de dirigir mais alta, quase como uma minivan, gerando uma sensação de "segurança" no trânsito. Descontando o painel minúsculo, que inclui o inadequado conta-giros na vertical e com escala ímpar, os ocupantes são bem tratados.
 

Murilo Góes/UOL

Estepe do lado externo é espécie de assinatura off-road light, e não poderia faltar no CrossFox


Sob o capô, o CrossFox traz o motor flex VHT de 1,6 litro, com 101/104 cavalos (gasolina/álcool) de potência e uma excelente curva de torque com pico de 15,6 kgfm já às 2.500 rotações (álcool). É um propulsor adequado para o tamanho e a proposta do carro: garante agilidade na cidade e boas retomadas na estrada, além da necessária força em baixa rotação para o uso off-road. E o câmbio tem a habitual qualidade da caixa MQ 200.

Mas não pise tão fundo: devido à altura, aos pneus e à suspensão, o CrossFox não inspira confiança quando se trata de velocidades mais altas. Não passe de 120 km/h, onde for esse o limite, e seja feliz.

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES