UOL Carros
 
30/03/2009 - 11h00

Versão S despeja tecnologia e status de esportivo no Audi TT

Da AutoPress
Especial para o UOL

Ricardo Silverio/Autocosmos

Esportivo é o tipo de produto que atrai olhares cobiçosos nas vitrines e suscita imagem de jovialidade e de alta tecnologia. Com o Audi TT funciona exatamente assim. O esportivo da marca das quatro argolas já é bastante potente desde a versão convencional, com 200 cv. Só que a versão TTS, disponível nas configurações cupê e cupê-conversível, traz 72 cv a mais sob o capô e muita tecnologia. O modelo, cotado para chegar ao Brasil ainda este ano, sai de fábrica recheado de sistemas eletrônicos de última geração e ainda possui soluções pouco comuns aos automóveis, como o Audi Space Frame. A plataforma tem a parte traseira em aço e a dianteira em alumínio, assim como alguns componentes da suspensão. Tudo para melhorar distribuição de peso e elevar a rigidez da estrutura.

AINDA MAIS T
Ricardo Silverio/Autocosmos
VEJA MAIS FOTOS DO TTS

Como em todo esportivo, no entanto, a principal atração do Audi TTS é o motor 2.0 TFSI, totalmente modificado para produzir maiores potência e torque. O bloco em alumínio ganhou paredes com melhor refrigeração, apoio inferior reforçado, cabeçote com novo desenho e novos eixos de comando e pistões. Os cilindros também ganharam camisas reforçadas e injetores específicos para o TTS, com árvores de contrabalanço para eliminar vibrações. A Audi ainda modificou a estrutura do turbocompressor, com adoção de novos compostos no intercooler para melhorar a eficiência térmica, paletas maiores na turbina, além da aplicação de um novo tipo de aço no escapamento para suportar a pressão elevada de 1,2 bar -- normalmente as pressões são de 0.6 bar e 0.8 bar nos turbos.

DOWNSIZING
Com as modificações, a unidade de força de quatro cilindros em linha, com injeção direta de combustível, duplo comando de válvulas e turbocompressor passa a gerar robustos 272 cv de potência aos 6 mil giros. O torque máximo é de generosos 35,6 kgfm, despejados integralmente nas quatro rodas entre 2.500 e 5 mil giros. O propulsor vem acoplado a um câmbio manual de seis velocidades ou à sofisticada caixa manual automatizada S-Tronic, opcional, dotada de dupla embreagem, seis velocidades e paddle shifts atrás do volante para trocas manuais. O trem de força faz o cupê arrancar de zero a 100 km/h em curtos 5,4 segundos ou em 5,2 segundos com o câmbio S-Tronic. A máxima é limitada em 250 km/h.

De tão arrojada, a nova configuração do motor 2.0 TFSI no Audi TTS chega a superar o rendimento do propulsor 3.2 litros V6 da versão topo de linha, com 253 cv e 32,6 kgfm de torque. A unidade de força menor é 7% mais potente e cerca de 8% mais forte em torque que a unidade 3.2 V6 pode até aposentá-la no futuro. Isso sem falar no tamanho e peso menores, que facilitam a distribuição de peso.

O design é outro aspecto que conta muito em um esportivo de luxo. E o TTS se impõe visualmente, embora mantenha quase intocadas as linhas fluidas e estilosas do TT convencional. Os principais destaques são as largas entradas de ar nas pontas do para-choques dianteiro, que envolvem o clássico "bocão" formado pela grade em trapézio da Audi com a inscrição "S" junto do nome TT no interior, os dois escapes duplos nas extremidades inferiores do para-choques traseiro e o aerofólio embutido na tampa da mala -- que emerge aos 120 km/h.
 

Divulgação
CLIQUE NA FOTO para ver imagens do TTS no lançamento

Já no interior, o refino prevalece em cada detalhe. Há revestimentos em couro nos bancos, portas e na base do console central, acabamentos em aço escovado no painel e uma profusão de botões e equipamentos de conforto e comodidade. Entre eles, ar automático, direção eletro-hidráulica assistida, ajustes elétricos nos assentos dianteiros, sensores de chuva, de luminosidade, de obstáculos e de pressão dos pneus, além do sistema de som premium da marca Bose, com rádio/CD/MP3, entradas auxiliar e iPod e conexão Bluetooth para celulares, com informações exibidas em uma tela de cristal no console.

Na parte de segurança, além da tração integral Quattro, disponível de série nos modelos da linha S, o esportivo traz controles eletrônicos de estabilidade e de tração, faróis bixênon, freios com ABS, EBD e assistente de emergência, além de seis airbags -- duplos frontais, laterais e de cortina. A Audi ainda oferece um sistema de suspensão com controle magnético da carga dos amortecedores, com duas configurações disponíveis: Standard ou Sport. Na Europa, o Audi TTS parte de 45.400 euros na versão cupê, o equivalente a R$ 135 mil. E tem um apelo esportivo importante para a Audi, ainda mais no Brasil, onde tenta resgatar seu prestígio entre as marcas de luxo.
(por Diogo de Oliveira)
 

FICHA TÉCNICA
Audi TTS Coupé 2.0 TFSI
Motor: A gasolina, dianteiro, transversal, 1.984 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e duplo comando de válvulas no cabeçote. Acelerador eletrônico, injeção direta de combustível e turbocompressor de geometria variável com intercooler.
Transmissão: Câmbio manual automatizado S-Tronic com dupla embreagem, seis marchas à frente e uma a ré. Tração integral. Oferece controle eletrônico de tração.
Potência: 272 cv a 6 mil rpm.
Torque: 35,6 kgfm entre 2.500 rpm e 5 mil rpm.
Diâmetro e curso: 82,5 mm x 92,8 mm.
Taxa de compressão: 9,8:1.
Suspensão: Dianteira independente o tipo McPherson, com estrutura em alumínio, braços inferiores, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Traseira independente do tipo Four-link em alumínio, com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Oferece controle eletrônico de estabilidade.
Freios: Dianteiros a discos ventilados e traseiros a discos sólidos. ABS, EBD e assistente de emergência.
Carroceria: Cupê em monobloco com duas portas e quatro lugares. 4,18 metros de comprimento, 1,84 m de largura, 1,35 m de altura e 2,47 m de entre-eixos. Oferece airbags frontais, laterais e do tipo cortina.
Peso: 1.395 kg.
Porta-malas: 290 litros/700 litros com o banco traseiro rebatido.
Tanque: 60 litros.

IMPRESSÕES DO AUDI TTS
A julgar pela aparência, o Audi TTS parece não oferecer muito mais que as versões convencionais do modelo. São pequenos detalhes, como as largas entradas de ar nas extremidades inferiores do para-choques frontal, as rodas de liga leve de aro 18 no lugar das de 17 polegadas do TT, além dos dois escapes duplos na traseira. Mas basta ligar o motor e pressionar o pedal do acelerador para perceber que os 72 cv adicionais da versão S fazem muita diferença ao Audi TTS. O esportivo está mais forte nas arrancadas e retomadas, graças ao sofisticado câmbio manual automatizado S-Tronic, com dupla embreagem, seis velocidades e borboletas atrás do volante para trocas manuais.

A tração Quattro é outro ponto forte no Audi TTS. Com ela, o motor 2.0 TFSI despeja seus 272 cv e o torque de 35,6 kgfm nas quatro rodas, permitindo ao esportivo evoluir significativamente na estabilidade. É possível entrar em curvas fechadas a uma velocidade elevada sem que o veículo ameace sair das mãos do condutor. Nas frenagens, há também grande neutralidade. Parte desse comportamento vem da tecnologia Audi Space Frame, em que o monobloco tem a parte traseira em aço e o restante da carroceria em alumínio para obter uma melhor distribuição de peso.

A suspensão adaptativa é outro componente decisivo no equilíbrio do TTS, com o controle magnético da carga dos amortecedores e duas configurações de ajuste -- Standard e Sport. O conjunto é mais rígido que nas versões normais do TT, mas não afeta o uso diário do modelo, que tem comportamento agradável no trânsito urbano. No caso do TTS, o conforto e o nível de segurança ainda são reforçados pelos diversos equipamentos e sistemas a bordo. Estão lá ar-condicionado automático, direção eletro-hidráulica assistida, ajustes elétricos nos assentos dianteiros, revestimento em couro no interior, volante multifuncional, sistema de som da marca Bose com rádio/CD/MP3, conexão Bluetooth e entradas auxiliar e para iPod, sensores de luminosidade, de chuva, de obstáculos e de pressão dos pneus, além de controle eletrônico de estabilidade, freios com ABS, EBD e seis airbags. Um pacote de alto nível, digno do conjunto mecânico.
(por Ricardo Silverio, da Autocosmos.com/México, especial para Auto Press)

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES