UOL Carros
 
25/03/2009 - 12h50

Chefão da Fiat mostra otimismo e prevê recuperação econômica este ano

Da Redação
Pela primeira vez desde o acirramento da crise global, um capitão da indústria automotiva se apresentou para colocar um pouco de otimismo em cena. O autor do gesto foi Sergio Marchionne, chefão da Fiat, que há três meses mostrava-se extremamente sombrio quanto à situação global e o futuro do seu setor.

"O processo de recuperação começou. O pior da crise financeira global já passou, mas as consequências permanecem", afirmou Marchionne nesta terça-feira (25), segundo a publicação especializada Automotive News Europe.

"Depois que passa a tempestade, você pode começar a fazer a limpeza", acrescentou o CEO do fábrica italiana.

De acordo com Marchionne, a economia dos Estados Unidos deve começar a crescer novamente no segundo semestre, enquanto as economias europeias, um pouco menos dinâmicas, devem dar sinais de recuperação apenas no final do ano. "No caso da Europa, estou preocupado com as barreiras protecionistas, especialmente na indústria, o que freia o processo de retomada", disse o chefão, que falou à imprensa após uma reunião de outra empresa em que ele atua, sediada na Suíça.

Os países asiáticos afetados pela crise, em especial o Japão, que é sede de algumas das maiores montadoras do mundo -- Toyota, Honda e Nissan entre elas --, devem começar a se reerguer depois dos EUA, na avaliação do CEO da Fiat.

O otimismo de Marchionne, e especificamente a previsão de que os Estados Unidos saem logo da crise, justificam-se, segundo ele, pelo que viu quando esteve com a força-tarefa do presidente Barack Obama para o setor automotivo. "Conversei duas vezes com os membros da equipe, e percebi muita determinação para encontrar soluções factíveis para a crise", disse o italiano.

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES