UOL Carros
 
10/03/2009 - 08h39

Vendas de carros foram 20% maiores do que seriam sem a redução do IPI, diz Anfavea

Da InfoMoney
As vendas de carros podem não registrar os mesmos números do ano passado, mas a situação poderia ser pior. Segundo o presidente da Anfavea (Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores), Jackson Schneider, com a adoção da alíquota reduzida do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), as vendas foram de 15% a 20% maiores do que seriam se a medida não tivesse sido adotada.

A redução do imposto foi adotada em dezembro do ano passado, como uma forma de incentivar as vendas que registraram queda nos meses de outubro e novembro devido à crise econômica. Após isso, as vendas voltaram a crescer nas comparações com os meses imediatamente anteriores. Em fevereiro, por exemplo, houve aumento de 1% em relação a janeiro.

VENDAS À VISTA
No segundo mês do ano, o levantamento da Anfavea também indicou que houve um aumento na participação dos pagamentos à vista, de 3%. No total, 43% dos carros comercializados foram pagos à vista.

De acordo com a Agência Brasil, a entidade não faz previsões sobre o setor, e afirma que não tem conversado com o governo sobre uma possível prorrogação do IPI reduzido.

IPI PRORROGADO
Sobre a prorrogação da medida, o governo já afirmou que isso não irá ocorrer, porém, o ministro do Desenvolvimento, Miguel Jorge, afirmou que há 50% de chances de que isso venha a acontecer.

Para a Tendências Consultoria, é muito provável que o prazo seja estendido, devido à persistência do cenário crítico e na perspectiva de que a atividade deve continuar apresentando os sinais recessivos da crise.

Veja também

Carregando...
Fale com UOL Carros

SALOES